ÚLTIMAS NOTÍCIAS

9 de novembro de 2014

Os Livros de Barker [O Horror Explícito de Clive Barker]

   Clive Barker é dono de uma das mentes mais imaginativas que a humanidade produziu em sua sangrenta história, seus livros são obras-primas do horror explícito que desafiam a sanidade humana com imagens habilmente construídas em sua putrefata consagração do macabro e do maldito. Criador de criaturas que até hoje assombram os recônditos mais obscuros dos sonhos das vitimas como Pinhead de Hellraiser, Rawhead Hex, os monstros de Raça da Noite, Candyman, entre outras de suas visões que foram adaptadas para os cinemas, porém suas maiores contribuições estão nos horrores inomináveis de seus livros e contos, alguns inadaptáveis para o cinema, como A Trama da Maldade, O Jogo da Perdição e a gloriosa coleção de contos presente em Os Livros de Sangue. Pouco conhecido no Brasil seus livros foram publicados entre as décadas de oitenta e noventa, ápice da literatura de terror por aqui, sendo que O Desfiladeiro do Medo e Galilee foram suas únicas publicações traduzidas no novo século. Conheça a seguir um pouco mais sobre os seus livros que foram traduzidos por aqui: 



O Jogo da Perdição (1985)
O Jogo da Perdição é o primeiro livro de Clive Barker, no Brasil foi publicado pela Civilização Brasileira em 1989 com uma edição de 468 páginas. A obra contém os principais aspectos que iriam reger a sinfonia gore de Barker nos anos seguintes, horror misturado com alta dose de erotismo e sensualidade através de um caminho de sangue, sadismo e escatologia. Foi meu primeiro contato com autor e é de certa forma chocante para o leitor despreparado. Não há como se preparar o horror que a mente de Clive Barker é capaz de conceber.

Resenha: Em Breve

Livros de Sangue (1984-1985)

   Os Livros de Sangue, os seis volumes foram publicados ao longo dos anos noventa pela Civilização Brasileira com uma capa branca básica que se diferenciavam pela nuance do sangue que escorria através delas. Um design até inocente para seu conteúdo forte e chocante, os contos reunidos nos livros são as melhores histórias que Clive Barker construiu com destaque para os três primeiros volumes, que são assumidamente os mais sangrentos, enquanto os outros apesar de nunca fugir do tema horror escorregam pelas raias do fantástico. 

Resenhas:
Livros de Sangue I
Livros de Sangue II
Livros de Sangue III
Livros de Sangue IV
Livros de Sangue V 
Livros de Sangue VI 

A Trama da Maldade (1987)

   A Trama da Maldade foi um dos indicados ao World Fantasy Award no ano de 1987 ao lado de Stephen King com Misery e o ganhador Revivente de Ken Grimwood, marcou o início da mudança de estilo que marcaria os anos seguintes da carreira de Clive Barker, traçando um paralelo entre o horror e a fantasia. Foi publicado no Brasil apenas em 1995 em uma grandiosa edição de 733 páginas.

Resenha: A Trama da Maldade

Raça da Noite (1988)

   Raça da Noite foi publicado no Brasil em 1994 após o sucesso do filme que fez com que a nome da tradução fosse esse, que na versão original é Cabal, em uma edição da Civilização Brasileira com 259 páginas. Anteriormente a Editora Abril já havia publicado os quadrinhos Raça das Trevas, uma espécie de continuação para o romance. O livro e filme são um caso sobrenatural em que as duas mídias se complementam, já que o próprio roteiro e direção ficaram nas mãos de Clive Barker. É um dos meus favoritos.

Resenha: Raça da Noite

Sacramento (1996)

   Sacramento foi publicado no Brasil em 1998 pela Bertrand Brasil em uma edição de 523 páginas, marcando o início das atividades da editora com os livros de Clive Barker. É um dos seus romances mais eróticos e onde o elemento fantástico está mais presente. No livro um fotógrafo é especialista em capturar cenas de animais morrendo quando quase encontra sua morte nas mãos de um urso polar fantasmas da sua infância retornam furiosos na busca por vingança, quando mais as lembranças voltam mais fortes e famintas as criaturas ficam.

Resenha: Sacramento

O Desfiladeiro do Medo (2001)

   O Desfiladeiro do Medo foi publicado em 2002 pela Bertrand Brasil em uma edição de 700 páginas. É uma história clássica de fantasmas com os toques macabros e sádicos que apenas Clive Barker consegue imprimir.

Resenha: O Desfiladeiro do Medo

Abarat (2002)

  A Editora Companhia de Letras apostou na nova saga de fantasia juvenil de Clive Barker e um livro com uma diagramação diferenciada, que trazia além do texto as imagens que o autor pintou para ilustrar a história, numa edição de 440 páginas. Porém por ser uma edição de luxo, com o preço elevado, a saga acabou abandonada e os volumes seguintes não possuem nenhum projeto de serem publicados por aqui. 

Resenha: Abarat

Galilee (1998)

Galilee foi publicado pela Bertrand Brasil em 2009, sendo assim a última tradução de uma obra do Clive Barker no Brasil, a edição possui 714 páginas. É o único que ainda não li, mas a sinopse fala sobre uma história a là Romeu e Julieta com os toques do criador de Hellraiser.

Resenha: Em Breve

   Clive Barker também ganhou destaque através das seus quadrinhos, entre os publicados por aqui estão Hellraiser, o Ladrão da Eternidade e Raça das Trevas. A Editora Darkside Books no inicio deste ano através de seu facebook deixou implícita a mensagem de que pode vir a publicar o inédito The Hellbound Heart, o livro que conta a história dos Cenobitas e de Pinhead. O que marcaria o reencontro dos leitores nacionais com o mestre do horror. Atualmente o autor se prepara para lançar ano que vem The Scarlett Gospels, seu novo romance de horror que trará novamente como protagonista os cenobitas e o enigmático cubo, A Configuração do Lamento.

8 comentários :

  1. Li trama da maldade, alguns dos livros de Sangue e Galileem, esse último eu inclusive comprei em um sebo, e ache o livro bem interessante, inclusive com ligações bem interessantes e com personagens bizarros. Me lembrou um pouco a 3° temporada de American Horror Story

    ResponderExcluir
  2. Tá aí um carinho que eu tenho um forte interesse em ler. Eu tentei ler alguns contos dos Livros de Sangue, mas nunca terminei.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Eu vi o inferno nas linhas de Clive Barker. Como ele mesmo costuma dizer, é preciso ter cuidado ao classificar qualquer coisa como horror. Esse gênio artístico é um dos poucos merecedores. Barker fala com propriedade, como se ele mesmo, em carne, tivesse caminhado através do fogo. Sua lista é impecável (como sempre), meu caro, Rafa. Eu recomendo "Livros de Sangue", nunca li nada parecido.

    ResponderExcluir
  5. Adoro Barker, mas para mim, sem sombra de dúvidas o melhor é A trama da maldade, que inclusive está no topo da minha lista de melhores livros de ficção que já li. Felicidade d+ ter conseguido comprá-lo neste ano depois de muito tempo procurando. FANTÁSTICO

    ResponderExcluir
  6. Inaceitável não lançarem os livros desse mestre no Brasil.

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pela lista, mann, sei como, às vezes, é difícil obter dados sobre a obra publicada de alguns autores no Brasil, já que não temos acesso a um tipo de "registro geral" (seria lindo se pudéssemos ter acesso livre às fichas catalográficas) de livros. Recentemente a Darkside Books lançou Hellbound Heart, infelizmente como "Hellraiser - Renascido do Inferno". Sem mais, obrigado.

    ResponderExcluir
  8. Obrigado pela lista, mann, sei como, às vezes, é difícil obter dados sobre a obra publicada de alguns autores no Brasil, já que não temos acesso a um tipo de "registro geral" (seria lindo se pudéssemos ter acesso livre às fichas catalográficas) de livros. Recentemente a Darkside Books lançou Hellbound Heart, infelizmente como "Hellraiser - Renascido do Inferno". Sem mais, obrigado.

    ResponderExcluir