Últimas Notícias

6/recent/ticker-posts

Resenha | Red Hookers de Ramiro Giroldo


Red Hookers de Ramiro Giroldo é uma história que desafia limítrofes e categorizações ao adicionar altas doses de erotismo ao horror cósmico de H. P. Lovecraft. Sua narrativa vai muito além de percepções dualistas, as quais a ficção de terror geralmente utiliza como base para enquadrar esta temática, como as relações entre o sensual e o grotesco, atração e repulsa, dor e prazer, para discutir profundamente libertação sexual e empoderamento. Uma visão original e assustadora que explora a resposta ao medo a partir de uma sensação intensificada de consciência, provocada pela excitação sexual.

O título é uma óbvia referência ao conto “O Horror Em Red Hook”, entretanto a história não tenta emular o estilo de Lovecraft, sua escrita é ágil e explícita, mantendo o suspense do início ao fim com ótimos diálogos e descrições concisas. Red Hookers nasceu como um curta-metragem da Astaroth Produções, com direção de Larissa Anzoategui e roteiro do próprio Ramiro Giroldo, em meados de 2013. O baixo orçamento não impactou na alta qualidade da obra, cujos tentáculos alcançaram festivais e mostras de cinema nacionais e internacionais. A premissa foi ampliada e aprofundada em sua invocação no formato códice.

O destaque narrativo é a forma como Ramiro Giroldo explora, subverte e desconstrói as relações de poder na dinâmica lovecraftiana. Ao invés de protagonistas masculinos, invariavelmente estudiosos castos, que encontram horrores inomináveis nas páginas de livros antigos em estantes empoeiradas, Red Hookers apresenta duas irmãs que descobrem a existência de um mal ancestral em uma boate da Rua Augusta. Se as mulheres lovecraftianas, quando existem, são personagens de apoio que desaparecem rapidamente da história, as de Red Hookers são o oposto e usam sua sexualidade para exercer controle sobre suas próprias vidas. 

Ramiro Giroldo esboça a ideia de empoderamento feminino de maneira construtiva através do sexo, em uma contraposição importante à forma como a ficção de horror demoniza o corpo e a sexualidade feminina desde seus primórdios, associando erotismo à destruição. Vide como exemplo Regan em O Exorcista e suas referências ao sexo como punição, tanto na questão da mortificação corporal através de sua insinuação de masturbação, como nas provocações demoníacas ao Padre Karras insinuando uma punição sexual para sua mãe no Inferno, que demonstram um medo implícito das mulheres e de sua sexualidade.

Entre invocações de entidades sobrenaturais e sacrifícios não tão virginais, Red Hookers apresenta uma voz original e com excelente domínio narrativo, o que é estimulante, considerando que este é apenas o primeiro livro de ficção de Ramiro Giroldo. Dizem que frutos do mar são afrodisíacos, então qual é o potencial erótico de um deus antigo? Leia e descubra.

  Red Hookers (2020) | Ficha Técnica 
   Autor: Ramiro Giroldo
   Editora: Cabana Vermelha
   Páginas: 180 páginas
   CompreAmazon
   Nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

Postar um comentário

1 Comentários