Resenha | Inspeção de Josh Malerman - Biblioteca do Terror

Biblioteca do Terror

O maior e mais completo site brasileiro sobre literatura de terror!



O artigo primeiro da Constituição da Parentalidade diz que a genialidade é perturbada pelo sexo oposto. Essa é base do experimento social que Josh Malerman utiliza como premissa de seu suspense psicológico Inspeção, onde meninos e meninas são educados de forma completamente autoritária, sem ter a mínima noção da existência do sexo oposto, em uma espécie de bolha ideológica que filtra toda e qualquer menção a própria sexualidade.

O livro explora a sensação de desconfiança que corrói as relações interpessoais na sociedade contemporânea: a desinformação, caracterizada pelo medo constante da manipulação e ocultação de informações, através da disseminação de mentiras ou fatos descontextualizados e apresentados de forma a dar suporte para determinado discurso, e a consequência direta dessa sensação de desconfiança, a perda da fé nas autoridades.

Na trama uma instituição com ares distópicos, a Parentalidade, criou uma espécie de complexo totalmente isolado da civilização, onde conduz um experimento social que visa perceber o potencial  da mente humana a partir da desvinculação da sexualidade e da inserção de estímulos puramente intelectuais. Existem duas instalações, uma para os meninos e outra para as meninas, cada uma abrigando vinte e seis indivíduos, nomeados com as letras do alfabeto, que são inspecionados diariamente para medir o seu nível de amadurecimento e auto-percepção.

Aquele que tem qualquer tipo de contato comprovado com a existência e o conceito do sexo oposto é considerado inútil aos propósitos da pesquisa e mandado para o Canto, um local misterioso criado como punição àqueles que fogem do padrão adotado. É nesse contexto de medo e repressão que os protagonistas começam a enfrentar as mudanças da adolescência, tanto hormonais como psicológicas, e questionar cada vez mais a própria realidade e motivo de existência, bem como a autoridade a que estão relacionados, desencadeando um processo que culminará em uma orgia de sangue e violência.

O argumento de Josh Malerman é bem simples, o clímax da narrativa se delineia perante os olhos do leitor desde as primeiras páginas, é a execução cheia de metáforas e críticas sociais que destaca seu texto. A tensão é construída a partir do processo de amadurecimento dos personagens e de uma ambientação cirúrgica que se baseia na sugestão da violência escondida por trás realidade artificial e dos sorrisos da Parentalidade. O livro surpreende em suas passagens finais ao abordar de formar explícita as repercussões da destruição das amarras sociais e a revolução que a verdade causa nas "crianças" do experimento.

A trama é ágil e repleta dos diálogos diretos das obras de suspense contemporâneas, se Malerman acerta na condução da tensão em sua narrativa, peca em alguns momentos cruciais da trama ao utilizar subterfúgios no texto para que a história avance da forma que planejou inicialmente, como no caso de algumas cenas importantes com a figura que controla a Parentalidade, que não percebe o óbvio diante de seus olhos até que seja tarde demais para seus propósitos, ou que esse tempo extra permita que um personagem faça algo necessário para o avanço da narrativa. Essas passagens afetam diretamente na experiência da leitura e verossimilhança do texto.

Inspeção é um livro que mostra o amadurecimento da narrativa de Josh Malerman, partindo da exploração de temas mais pessoais em livros anteriores, como Piano Vermelho, para uma análise crítica da sociedade contemporânea em uma metáfora política bem elaborada. Um suspense psicológico com altos e baixos que possui um final sangrento  que irá agradar aos leitores de Caixa de Pássaros.

  Inspeção | Ficha Técnica 
   Título original: Inspection (2019)
   AutorJosh Malerman
   Tradutora:  Carolina Selvatici
   Editora: Intrínseca
   Páginas: 416 páginas
   CompreAmazon
   Nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (8/10 Caveiras)

2 comentários:

  1. Gosto de Caixa de Pássaros, porém Piano Vermelho decepcionou. Irei atrás dessa nova obra, pois continuo gostando do trabalho do autor.

    ResponderExcluir
  2. Li Caixa, Li Piano, Li A Casa no Lago e gosto muito do que Josh está fazendo, vai ser um nome que ainda vamos ver muito.

    ResponderExcluir

Pages