ÚLTIMAS NOTÍCIAS

22 de novembro de 2014

Resenha: Manson, a Biografia de Jeff Guinn



“Brilhante. [...] O melhor livro sobre Manson que já li [...] e creio que já tenha lido todos eles.”

Jeffrey Deaver, premiado autor do best-seller O Colecionador de Ossos —


“Manson não é simplesmente uma biografia de um assassino e um líder de culto. É uma história da cultura norte-americana da Grande Depressão ao final do século XX. [...] um estudo fascinante da ambição, avareza, mesquinharia, controle da mente, celebrifilia (um desejo intenso e patólogico para se relacionar com uma celebridade), sexo, narcóticos, racismo e abuso de poder. Ninguém contou a história de forma tão precisa quanto Jeff Guinn. É a história dos ex-presidentes Richard Nixon e Lyndon Johnson, de Martin Luther King, do Vietnã, do movimento ativista estudantil da nova esquerda Students for a Democratic Society, dos Panteras Negras, da cultura lisérgica e de uma nação em processo de degradação. Esta é uma viagem espetacular.”

James Lee Burke, renomado autor de livros policiais, vencedor por duas vezes do Prêmio Edgar Allan Poe —


Opinião:
   Um herói é uma pessoa respeitada pela sociedade e que desperta simpatia generalizada, cujas ações são espelhos de atitudes que devemos tomar para a criação e manutenção de um mundo melhor para todos. Mas o que acontece quando esse herói se transforma no vilão? Quando em sua luta interna entre o bem e o mal, a escuridão acaba prevalecendo? A fantástica biografia de Charles Manson, responde a isso e muito mais. Será que nascemos com a maldade no coração ou essa é uma semente plantada pela sociedade? Será que no mesmo lugar onde nascem sentimentos bonitos como amor e compaixão é fonte do ódio e raiva que destroem as barreiras da sanidade? E quando um homem com o carisma e poder de convencimento de figuras como Jesus, Buda ou Maomé escolhe o lado obscuro e decide formar uma quadrilha de sádicos? 
   Jeff Guinn constrói uma obra cheia de paixão que mergulha não apenas na psicopatia de Charles Manson, mas em todo em período histórico dos Estados Unidos onde protestos raciais e anti-guerra varriam a nação, em meio à geração hippie que pregava a paz e o amor florescia uma erva daninha que contaminava a todos com seu pútrido hálito viciante, a descoberta de alucinógenos sintéticos que se misturavam as dezenas de drogas conhecidas era combustível que dava força ao movimento que se embalava ao som do rock and roll. A biografia é escrita em um ritmo rápido e instigante, sem perder tempo com detalhes desnecessários, o autor esboça desde os primeiros anos da vida de Manson até os dias atuais com excelência, cada capítulo se perfaz em uma fase de sua conturbada vida. Baseado em uma extensa pesquisa que reúne entrevistas, artigos e o famoso livro escrito por Bugliosi, promotor do caso Manson, Helter Skelter, mergulhando o leitor no centro dos acontecimentos sangrentos que marcaram o final dos anos sessenta.
   Charlie Manson só queria ser famoso, como seus grandes ídolos musicais, The Beatles, queria ser reconhecido nas ruas e admirado pelas pessoas. Porém às vezes sonhos dão errado, alguns se desvirtuam tanto de seu caminho que acabam se realizando às avessas, Manson conseguiu se tornar um ícone pop, mas por causas totalmente diferentes das que imaginava. Sua biografia pode ser dividida em três partes que marcam momentos de mudança para o protagonista. A primeira parte pinta um retrato fiel e impressionante da sua infância e adolescência problemáticas, seus primeiros envolvimentos com as drogas e o mundo violento dos reformatórios, com uma mãe pouco presente e parentes rígidos e autoritários o pequeno Charlie cresceu ressentido contra a sociedade e sua raiva eclodiu anos depois em uma fúria descontrolada de mortes e assassinatos. A segunda parte mostra a evolução pela qual passou um Charles Manson mais adulto, influenciado pelo clima de revolução que imperava nas ruas começa a recrutar mulheres para formar um grupo em que ele próprio era uma espécie de guru, começando a utilizar as técnicas que aprendeu na prisão de controle de pessoas e chantagens através de cafetões e charlatões, a formação da Família Manson e uma descrição exageradamente detalhada de seus assassinatos. A terceira parte e não menos importante trata da batalha judicial travada por juízes, advogados e promotores para incriminar Manson nos assassinatos da Família.
    A biografia de Manson surge em mais uma edição com o selo de qualidade psicopata da Editora Darkside, uma leitura imperdível sobre a origem do monstro que espreita a mais de quarenta cinco anos o sono dos americanos, Charles Manson, o rejeitado que marcou a história com uma mancha de loucura e sangue.
Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)


Postar um comentário