ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1 de agosto de 2013

Resenha: Mistério Os Crimes da Rosa Azul - Peter Straub



Sinopse:
    A primeira morte de Tom Pasmore trouxe não o fim, mas a transformação. Preso á cama por um ano, o menino mergulhou no universo da literatura policial; aprendeu de professores como Scherlock Holmes e Hercule Poirot, a decifrar os mistérios em meio aos quais cresceu na pequena Ilha de Mill Walk.
     Saindo do hospital, Tom é iniciado na arte da investigação por um lendário detetive amador. Seu nome, Lamont von Heilitz; sua alcunha, 'O Sombra'. Estimulado (usado?) pelo Sombra, Tom se envolverá numa trama complexa, durante a qual começará a compreender não apenas os mistérios que estuda, mas também o significado da amizade, do amor, da solidão. Na busca da solução de mistérios policiais, se defrontará com os mistérios da vida, da morte, do conhecimento de si mesmo.

Opinião:
    Peter Straub é um escritor complexo com um estilo bastante denso e detalhista, suas obras possuem muitas camadas sobrepostas que juntas formam um grandioso mosaico literário e se tornam grandes clássicos como é o caso de Os Motos Vivos, Ghost Story, de sua autoria. Mistério: Os Crimes da Rosa Azul é mais um desses casos, com descrições minuciosas de seus personagens, ações, lugares e pensamentos o livro é de uma leitura enriquecedora e prazerosa, mas também extremamente difícil. É com certeza o melhor livro sobre detetives que já li, com mistérios que ultrapassam as barreiras do tempo e um método de dedução perspicaz que envolve tanto o protagonista como o leitor incentivando-o a acompanhar as pistas e chegar as suas próprias conclusões. Mistério, Koko e The Throat fazem parte de uma espécie de trilogia conhecida como Rosa Azul, sendo que apenas os dois primeiros foram publicados no Brasil.
    Não é um livro indicado a qualquer leitor, Straub escreve de maneira que faz com que o cotidiano tome uma nova forma mais interessante e diferente da realidade criando uma espécie de supra-realidade. Porém esse tipo de escrita tende a ser visto por alguns como chato, pois a ação fica em segundo plano para dar importância à construção das cenas e dos personagens. A ação em Mistério, o verdadeiro clímax da história acontece quase que unicamente nas páginas finais e trata-se apenas do desenrolar das ações que cresceram desde a primeira linha, é no ultimo terço do livro que as amarras de todas os enredos secundários são unidos a história central trazendo consigo grandes revelações que tem um poder sobre o leitor muito mais forte que qualquer cena de explosão ou troca de tiros.  A impressão que fica é que Peter Straub tem um talento fora do comum para pegar uma cena demasiadamente normal e esticá-la até torna-la surreal fazendo com que a leitura seja lenta, mas cheia de imagens.
  A história se passa em uma pequena ilha do norte americano onde há uma divisão social bastante acentuada com bases na corrupção. Tom Pasmore é um jovem que após sofrer um acidente se vê preso à cama de um hospital, em seu tempo como paciente começa a ler histórias sobre detetives e mistérios, influenciado por Lamont von Heilitz um antigo e famoso detetive particular... O tempo passa e Tom cresce junto com sua paixão por literatura policial de modo que quando um estranho assassinato ocorre na ilha sem nenhuma conclusão por parte dos policiais que consideram suicídio como sendo a alternativa “óbvia”, Tom decide investigar a história e em uma carta anônima expõe suas conclusões e apresenta o culpado enviando-a diretamente ao chefe de polícia. Porém sem saber sua investigação chegou perto de segredos muito bem guardados da cidade e isso provoca mais mortes e traz a tona uma conexão com antigos crimes sem solução ligados a principal e mais rica família da ilha.  Auxiliado por Lamont ele parte na maior investigação da sua vida em busca de segredos que mudarão para sempre sua maneira de ser.
  A conclusão da história é brilhante e a maneira como o mistério, que na verdade é formado de vários outros pequenos mistérios, é solucionado e seu dramático e paralisante desfecho. Peter Straub definitivamente é um dos maiores romancistas da América. Mistério é indicado para os fãs do gênero policial, mas acima de tudo para o leitor que busca uma leitura desafiante e marcante.

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras) 

    

Postar um comentário