ÚLTIMAS NOTÍCIAS

8 de agosto de 2013

Resenha: Além da Carne [Contos Insanos] de César Bravo


Sinopse:
   A coletânea “Além da Carne” é definitivamente dedicada a fãs de suspense e horror, principalmente horror. Originalmente fazia parte do volume “Calafrios da noite”, mas terminou ganhando um título individual pelo seu teor bem mais violento e “gore”. Bem-vindos a mais um massacre da coragem.

"Cada corpo é um Livro de Sangue; sempre que nos abrem a impressão é vermelha”.
Clive Barker

Opinião:
  Além da Carne é uma coletânea de contos de horror que surgiu para elevar o gênero nacional a outro patamar de qualidade. Cesar Bravo é um autor extremamente talentoso que possui uma intimidade com as palavras e as usa para dar profundidade e criar as cenas mais insanas para suas histórias. São seis contos inesquecíveis que formam essa obra, cada um uma faceta diferente de um mesmo horror que cresce através dos tempos, as pequenas menções e citações que ligam as histórias foram inteligentemente mescladas em meio ao sangue e pegajosas desafiam o leitor a encontrá-las e olhar diretamente para suas formas inspiradoras de pesadelos. O estilo de César é bem parecido com o que Clive Barker utilizou nos primeiros volumes de Livros de Sangue, transcendendo a morte e a carne com contos que desafiam a mente do leitor a tentar imaginar o horror por eles criado.
   Diferente dos filmes, nos livros não possuímos a luxúria de fechar os olhos diante de uma cena horrenda de desmembramento ou assassinato, somos obrigados a ler cada descrição sangrenta e detalhe macabro que se infiltra nos cantos mais escuros da mente, se alimentando da nossa imaginação e esperando apenas o descuido do sono para retornar em todo o esplendor do horror. Os contos de Além da Carne são assim, diferente de livros estrangeiros o cenário nacional das histórias serve como um elemento a mais para a crivelidade, ficam na memória muito tempo depois da leitura e quando a luz se apaga as sombras lhes dão vida.
  A Cor da Tinta é o conto que nos apresenta a narrativa do autor e logo de cara o leitor é invocado como testemunha de um ritual por um casal de ciganos.  Não é uma chegada suave com apresentações e apertos de mão. Não. Simplesmente somos jogados em meio à tensão da invocação e sem saber como agir ficamos parados e horrorizados com as cenas que se desenrolam diante dos olhos. Cigano através da dor tenta controlar Lúcifer para ter seus desejos e cobiças realizados criando um novo mundo enraizado na obediência através do medo e dor, tendo ele como novo "deus". É um conto delicioso de se ler, rápido e extasiante o sangue flui pelas páginas manchando nossos dedos em meio à carnificina final.

"Cigano descobriria em breve que não se pode escravizar o pai da mentira. Nem aquele que os céus habita conseguira tal façanha lançando-o aos infernos com a artimanha do livre arbítrio. E desde então o demônio não reconhecia tal palavra entre os seus; livre."
  
   A seguir temos o conto mais longo do livro, Pagamento Cigano. Uma história que mostra que a união, horror e humor podem coexistir de maneira que nenhum atrapalhe o clima do outro com ambos se sustentando numa narrativa rica e prazerosa de ler. O que mais impressiona é a naturalidade com que o sobrenatural é inserido no texto, é de uma maneira tão gradual e lenta que quando o leitor nota já está seduzido pela história e a crivelidade é inquestionável. É como o por do sol na rua, apesar de notar que a luz está falhando e as sombras crescendo, apenas nos damos conta da noite quando a escuridão já nos cerca, ou seja, tarde demais. É assim com o horror no conto. 
  O Melhor do Contrato foi um dos contos que mais gostei pela inteligência critica e ácida com as quais foi escrito. Em um bar noturno, lá pela madrugada Lucrécia presencia a conversa de um trio de homens engravatados sobre seus trabalhos. Eles discutem a falta de adesão de "clientes"  e nossa adorável garçonete, curiosa e impulsionada pela atração pelo mais jovem do grupo, decide escutar um pouco sobre o assunto quebrando a monotonia das suas madrugadas de serviço. Mas seus ouvidos captam coisas proibidas a humanos e isso muda para sempre sua vida. É um conto que se presa mais pelos diálogos bem estruturados, palavras ditas e não ditas que formam sementes para questões bem mais complexas...
  A Fera é uma história que possui muita verossimilhança com realidade e certamente vários leitores vão se identificar com o protagonista e suas dores. O que acontece na história sem dúvida nenhuma já se passou nas realidades alternativas imaginadas por todos aqueles que sofrem bullying na escola. Quem nunca passou por essa situação? A de ser importunado pelo valentão da escola sem receber ajuda de ninguém? Como nem todos possuem a capacidade de Carrie existem outros meios onde a vingança viceja, entre eles está a selvageria de uma fera de ferro e seus projéteis dançantes...
  A Expressão da Desgraça tem ares de décadas passadas e um fundo nostálgico, numa época onde as brincadeiras ao invés de se passarem ao redor de uma televisão ou computador eram construídas a partir de desafios. Quem nunca desafiou amigos ou foi desafiado a entrar naquela casa escura e abandonada do bairro? Ou entrar naquele cemitério sombrio a noite? Um grupo de amigos se reveza no cumprimento de desafios e tarefas, porém espinhos entre dois colegas transformam a brincadeira em algo mais sério e a cabeça dura de um deles acaba com a infância de todos. A fantasia unida ao horror cria a mistura perfeita que compõe este conto, que na grande trama do destino possui fios que o ligam às histórias anteriores.
   E para fechar temos Justa Causa um conto pequeno e direto, com um toque de ironia o autor nos apresenta o desabafo de 153.342, um sujeito desconhecido (será mesmo?!) contando um pouco sobre seu trabalho. Leia por si próprio e tire suas conclusões... Além da Carne se mostra uma leitura deliciosamente obrigatória para os fãs brasileiros de horror. Se você gosta da fantasia e do horror criada pela mente de Clive Barker encontrará muito disso em César Bravo além do diferencial de seu estilo único. Leitura recomendadíssima. 

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras) 

2 comentários :

  1. Adorei a resenha! O livro parece ser bem macabro e com contos ótimos.

    http://bisbiblogando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ótima resenha, mais um livro que quero ter mas não achei pra comprar. Abraço e parabéns pelo excelente blog. Maurilei.

    ResponderExcluir