Últimas Notícias

6/recent/ticker-posts

Resenha | Alfred Hitchcock Apresenta: Histórias Para Noites Sem Luar


Alfred Hitchcock Apresenta é uma coleção de livros que foram publicados entre os anos sessenta e oitenta no Brasil, o formato apresentava edições temáticas que traziam contos supostamente escolhidos pelo cineasta, variando entre suspense policial, horror e ficção-científica. A marca dessa série são os títulos chamativos como Histórias de Além-Túmulo, Histórias para Ler no Cemitério, Histórias para ler com a Porta Trancada, Histórias de Arrepiar e Histórias Macabras. Muitas dessas antologias possuem uma "introdução de Hitchcock", mas o consenso atual entre as fontes é de que o diretor teve envolvimento mínimo com os livros e as tais introduções eram escritas por editores contratados para fazer a seleção. Hitchcock simplesmente licenciou seu nome para uso da editora.

Alfred Hitchcock Apresenta: Histórias Para Noites Sem Luar é a versão nacional de Alfred Hitchcock Presents: Stories for Late at Night, publicado em 1961 pela Random House. As edições brasileiras tinham o costume de cortar diversas histórias da edição americana, reduzindo os livros à praticamente metade de seu tamanho original. Neste volume nomes importantes da literatura insólita como Roald Dahl, William Hope Hodgson, George Langelaan e M.R. James foram suprimidos. Stories for Late at Night originalmente possuía 469 páginas, enquanto Histórias Para Noites Sem Luar possui apenas 213. Mesmo com tal mutilação este volume apresenta algumas pérolas escondidas em suas páginas.

"Uma Vida Boa" de Jerome Bixby é o melhor conto deste volume, uma das histórias mais assustadoras sobre crianças malditas, imortalizado como um dos episódios mais memoráveis da série original de Além da Imaginação. Existe uma versão dessa história, baseada no roteiro da adaptação cinematográfica de 1983, escrita por Robert Bloch e publicada em No Limite da Realidade com o título de Helen. Mas o conto original de Bixby é mais arrepiante e impactante. Na trama uma cidade inteira vive refém de um menino que possui poderes psíquicos incríveis, ele controla a realidade e transportou todos para uma espécie de existência onde possui poderes de deus. O menino deve ser mantido feliz se as pessoas quiserem ter as condições mínimas para sobreviver nesse lugar, trabalho dificultado pela capacidade dele de ouvir pensamentos. O fardo psicológico e emocional de ser obrigado a fingir uma felicidade inexistente e não estar livre nem na própria mente faz com que alguns moradores percam o controle. Então coisas horríveis acontecem. (10/10)

"A Cidade está Dormindo" de Ray Bradbury é talvez uma de suas histórias menos inspiradas, um daqueles contos clichês de moralidade que soam misóginos nos dias atuais, especialmente porque o "horror" da trama se baseia na questão da punição das jovens que desafiam a autoridade masculina da cidade, a protagonista independente é punida justamente por ser independente. Um grupo de moças decide ir ao cinema à noite, elas são aconselhadas a ficarem em casa e a não saírem, caso contrário encontrarão o Solitário, o assassino que está estrangulando mulheres na cidade. Você já consegue imaginar o que vai acontecer não é? (3/10)

"O Casulo" de John B.L. Goodwin é uma daquelas ótimas histórias de terror desconhecidas que volta e meia surpreendem o leitor nos livros da coleção. Denny é um garoto que adora a vida selvagem, seu interesse especial é por borboletas e mariposas, dezenas de espécies capturadas jazem espetadas nas paredes de seu quarto. Sua vida muda quando ele encontra um casulo estranho, diferente de tudo que já viu antes e do que está catalogado em seus livros, e do qual sai uma mariposa mais bizarra ainda. A criatura é pregada na parede acima do seu travesseiro, mas sua morte é o início das perturbações noturnas de Denny. (10/10)

"Os Turistas da Tragédia" de C. L. Moore é um conto de ficção-científica que discute um tema bastante contemporâneo: a ideia de que os privilegiados da sociedade enxergam no caos das pessoas comuns uma espécie de entretenimento banal. A forma como essa discussão é levantada na história é bem interessante e impossível de se discutir sem revelar o mistério da trama. Oliver Wilson alugou sua antiga casa para três hóspedes estranhos, eles lhe ofereceram bastante dinheiro para que pudessem ocupar a casa na última semana de maio. O problema é que surgiram novos compradores para a casa que se dispõem a pagar uma quantia maior contanto que o local esteja disponível para eles na mesma data. Oliver começa a traçar um plano para romper o contrato de locação com os hóspedes, quando começa a notar que a cidade está cheia dessas "pessoas estranhas". Algo grandioso está prestes a acontecer. (9/10)

"Nossos Amigos Emplumados" de Philip MacDonald é uma pequena pérola perdida dentro da coleção. Existe toda uma controvérsia por trás das verdadeiras inspirações por trás do clássico Os Pássaros de Hitchcock, a versão oficial diz que o filme foi baseado no conto "As Aves" de Daphne du Maurier publicado em 1952, posteriormente foi levantada a questão da similaridade da premissa com o romance Os Pássaros de Frank Baker, publicado em 1936. O conto de Philip MacDonald pode ser considerado um precursor a essas obras, publicado em 1931 é uma das primeiras histórias a sugerir o horror advindo do trabalho em equipe de pássaros para realizar ataques em massa em seres humanos. Na trama um casal de namorados é atraído para o meio de uma floresta pelo belo canto dos pássaros, ao adentrar na escuridão do local são recebidos por um silêncio perturbador, ao olhar para a copa das árvores percebem que são observados por centenas de pássaros. (9/10)

"No Meio do Mato" de Gouverneur Morris é a típica história com tons imperialistas do início do século passado que demoniza os povos nativos, neste caso de uma pequena vila polinésia, mesclando misticismo e lendas locais. A história gira em torno de um botânico que encontra uma mulher selvagem em miniatura, com trinta centímetros de altura, que possui presas de cobra e cujo veneno é fatal. A pequena "selvagem" se torna a fonte do horror após desenvolver uma espécie de paixão pelo homem branco e ser trocada por uma noiva branca. (2/10)

"O Assalto" de Edward L. Perry é um conto policial mediano que usa da ironia para invocar uma suposta moral em sua história, seu único ponto positivo é ser curta e rápida. Dois amigos ao sair de um cinema tarde da noite decidem roubar alguém, um deles está com sua namorada e decide usá-la como isca para atrair um dos espectadores do filme para um beco escuro. O plano dá errado e a pobre moça é quem sofre pela idiotice dos dois. (4/10)

"Ladra! Ladra!" de Margaret Ronan é aquele tipo de história que tem um início inocente e um desenrolar misterioso que leva diretamente a um final insólito. Carola está bastante nervosa no primeiro dia do seu primeiro emprego como criada na casa de uma patroa acamada. Miss Amanda, além de ter idade avançada, é obesa e possui modos pouco convencionais. Logo na primeira interação mal cumprimenta Carola e começa a fazer perguntas íntimas sobre sua vida amorosa. A jovem fica constrangida e tenta evitá-la pelo resto do dia, mas mal sabe que por trás daquele interesse e curiosidade jaz um horror além de sua compreensão. Sarah Pinborough deve ter se inspirado nesse conto para escrever Por Trás de Seus Olhos. (9/10)

"Uma Noite na Cobertura" de Henry Slesar é o típico conto policial mediano que infesta a coleção Alfred Hitchcock Apresenta, histórias que tentam trazer um senso de justiça em sua conclusão, mas se estendem demais no seu desenvolvimento. Não é exatamente um conto ruim, mas se comparado com o parâmetro das boas histórias da antologia, empalidece. Chet Brander recebe um telefonema de Frank Coombs para vir até seu apartamento receber o dinheiro que ele está lhe devendo. Enfrentando o que parece ser a noite mais fria do ano, Chet vai até a cobertura de Frank esperançoso, porém seu amigo tem outros planos para ele. (5/10)

"A Mulher do Vizinho" de Pauline C. Smith parece ser uma versão moderna de O Papel de Parede Amarelo de Charlotte Perkins Gilman. Após se recuperar de um colapso nervoso uma mulher discute com seu marido, ela tenta convencê-lo que os eventos estranhos relacionados aos vizinhos que observou ao longo dos últimos tempos são reais, enquanto ele credita os acontecimentos à sua mente imaginativa. A história pode ser tanto interpretada literalmente ou como um reflexo dos medos e ansiedades da protagonista com relação à seu esposo e ao casamento, em ambos os casos a conclusão é arrepiante. (7/10)

"Dia-D" de Robert Trout é uma história de suspense que se aproveita da tensão da Guerra Fria na década de sessenta para fazer uma homenagem a famosa transmissão de rádio de Orson Welles sobre A Guerra dos Mundos. Um repórter está transmitindo ao vivo informações de que houve uma explosão em Pittsburg e que nenhum sinal de comunicação está vindo daquela direção. Ele continua a receber informações de outras explosões pelo país e começa a especular que talvez possa ser o início de uma guerra. É um conto rápido e claustrofóbico, a onda de ansiedade cresce conforme fica cada vez mais difícil confirmar as informações e permanece com o leitor muito tempo após a linha final. (10/10)

"O Homem que Gostava de Dickens" de Evelyn Waugh é um suspense divertido e cheio de reviravoltas sombrias ambientado na Amazônia, sua história foi eternizada em uma adaptação em quadrinhos do mestre Flávio Colin chamada "Já leu Dickens?", publicada originalmente na edição especial número 5 da revista Calafrio e republicada na coletânea Terror no Inferno Verde. O único sobrevivente de uma expedição amaldiçoada vaga perdido pela floresta amazônica, quando já está no fim de suas forças é resgatado por nativos indígenas. Enquanto se recupera de seus ferimentos descobre que existe outro homem branco vivendo entre a tribo, esse homem é agradável e rapidamente se dispõe a ajudá-lo voltar para a civilização. Mas conforme os dias se passam uma inquietude toma conta de seus dias, há algo de estranho nas atitudes daquele homem e algo indica que ele jamais o deixará sair vivo da tribo. (9/10)

Histórias Para Noites Sem Luar é uma antologia que fica na média da coleção Alfred Hitchcock Apresenta, possui alguns contos espetaculares e que só estão disponíveis no Brasil nessa edição, ao mesmo tempo que tem histórias medianas e desinteressantes. 

   
  Histórias Para Noites Sem Luar (1961) | Ficha Técnica 
   Título original: Stories for Late at Night (1961)
   Autores: Jerome Bixby, Ray Bradbury, Philip MacDonald et al.
   Tradutor: A. B. Pinheiro de Lemos
   Editora: Record
   Páginas: 213 páginas
   Compre: ---
   Nota:☠☠☠☠☠☠(7/10 Caveiras)

Postar um comentário

0 Comentários