Livros de terror e suspense estrangeiros que mudaram de título no Brasil - Biblioteca do Terror

Biblioteca do Terror

O maior e mais completo site brasileiro sobre literatura de terror!

Livros de terror e suspense estrangeiros que mudaram de título no Brasil

Share This
Esta lista tem como intenção ajudar leitores a não se confundirem com edições de um mesmo livro de terror publicado no Brasil com títulos diferentes. Esse tipo de engano é bastante comum, principalmente em relação a livros lançados nas décadas de setenta e oitenta. 

A falta de informações sobre essas obras mais antigas pode fazer com que alguém compre um livro achando que está adquirindo algo que ainda não leu só para descobrir que na verdade é a mesma história que já conhecia, só que com outro título. 

Há também casos em que algumas alterações são mais profundas que apenas a modificação de um título e podem incluir desde o acréscimo de novo material, como contos, prefácios e posfácios e até mesmo a total reescrita da obra pelo autor. Veja a seguir alguns casos:

Rosemary's Baby de Ira Levin (1967)

A primeira edição de Rosemary's Baby de Ira Levin foi publicada no Brasil em 1968 pela editora Civilização Brasileira com o título de A Semente do Diabo na coleção Biblioteca do Leitor Moderno. O Bebê de Rosemary só recebeu o título mais condizente com o original em 1987 pela editora Best Seller. Em 2014 o livro ganhou uma nova edição da editora Amarilys com a icônica imagem do cartaz do filme como capa.  A tradução como A Semente do Diabo também pode confundir por ser o mesmo título que Demon Seed de Dean Koontz ganhou em sua versão brasileira pela editora Francisco Alves em 1978.

Twinkle, Twinkle, Killer, Kane de William Peter Blatty (1966)

A própria história de publicação de  Twinkle, Twinkle, Killer, Kane é bem confusa. William Peter Blatty o publicou pela primeira vez em 1966, esta edição foi lançada no Brasil em 1978 pela editora Record como Paranóia.  Neste mesmo ano Blatty revisou o romance e o republicou como The Ninth Configuration, esta nova edição foi publicada no Brasil em 1982 pela editora Melhoramentos com o título de A Nona Configuração. Uma nova edição foi lançada em 2015 pela Harper Collins Brasil.

I Am Legend de Richard Matheson (1954)

A primeira edição de I Am Legend no Brasil saiu pela coleção Mestres do Horror e da Fantasia da editora Francisco Alves em 1981 com o título de Eu sou a Lenda, porém três anos depois, em 1984, o livro foi republicado na mesma coleção como A Última Esperança Sobre A Terra. Em 2007 a editora Novo Século publicou uma edição de Eu Sou a Lenda com mais dez contos de terror e suspense de Richard Matheson. Em 2015 a história ganhou uma nova edição pela editora Aleph, desta vez sem contos, mas com uma introdução de Stephen King.

The Stepford Wives de Ira Levin (1972)

The Stepford Wives de Ira Levin foi publicado em 1972 no Brasil pela editora Record, com uma capa que remetia ao gótico. Em 1986 ganhou uma nova edição na série Campeões De Venda e no mesmo ano ganhou uma edição da Círculo do Livro. Em 2004 a editora Bertrand Brasil a republicou com o título Mulheres Perfeitas, motivada pela adaptação cinematográfica.

The Other de Thomas Tryon (1971)

Numa edição de sábado de 29 de abril de 1972 do Jornal do Brasil, do Rio de Janeiro, trouxe uma lista dos livros mais vendidos nos estados brasileiros, com destaque para São Paulo onde o clássico Os Gêmeos de Thomas Tryon estava listado. É interessante resgatar essa memória, a prova da existência de um público leitor e apreciador de terror na época, para tentar entender as motivações por trás da publicação das duas edições de The Other, pela editora Artenova em 1972, com títulos diferentes O Outro e Os Gêmeos. Em 2019 o livro foi relançado, como O Outro, em uma edição especial para assinantes da Escotilha da Novo Século.

Horns de Joe Hill (2010)

Uma adaptação cinematográfica é um dos maiores motivos para um livro de terror ser publicado no Brasil ou ganhar uma nova edição, na maioria dos casos as editoras preferem o utilizar o mesmo título que o filme ou série de televisão recebe no Brasil para atrair o maior número de leitores. Horns de Joe Hill é um desses casos. O livro foi publicado pela editora Sextante em 2010 como O Pacto e em 2015 pela Arqueiro como Amaldiçoado.

Salem's Lot de Stephen King (1975)

Vários livros de Stephen King tiveram seus títulos alterados ao longo dos anos no Brasil conforme passaram a ser publicados por diferentes editoras. Em alguns casos as alterações foram pequenas, como a inserção de títulos originais em inglês em novas edições, a exemplo de A Coisa, publicado pela primeira vez pela Francisco Alves em 1989 em dois volumes, que passou a se chamar It: A Coisa na edição de 2014 da Suma. Um de seus primeiros livros a ter uma mudança completa de título foi 'Salem's Lot. A primeira edição brasileira do livro foi publicada em 1975 pela editora Record como A Hora do Vampiro, título que foi repetido pelas editoras nos anos seguintes: Nova Cultural em 1988 e 1991, Planeta DeAgostini em 2005 e pela Objetiva em 2006. Em 2013 a editora Suma alterou o título para 'Salem em nova edição. Curiosamente anos depois em 2017 ao republicar A Hora do Lobisomem na Coleção Stephen King, o título deste não foi alterado.

Misery de Stephen King (1987)

Depois de A Hora do Vampiro diversos livros de Stephen King ganharam novas edições pela editora Suma e receberam novos títulos nacionais mais condizentes com o original. O caso mais emblemático neste contexto é Misery, publicado na coleção Mestres do Horror e da Fantasia em 1988 pela Francisco Alves como Angústia, e que recebeu o título de Misery: Louca Obsessão na edição de 2014 da Suma. Outros exemplos são Cujo, publicado como Cão Raivoso pela Record em 1981, e posteriormente como Cujo em 2016 pela Suma na Coleção Biblioteca Stephen King; A Maldição do Cigano, publicado pela Francisco Alves em 1991, que se transformou em apenas A Maldição em 2012 pela Suma.

Small World de Tabitha King (1981)

Tabitha King recentemente teve uma nova edição de Small World publicada pela editora Darkside Books em 2019 com o título de Pequenas Realidades.  A sua primeira edição foi em 1985 pela editora Francisco Alves na coleção Mestres do Horror e da Fantasia com o título de As Miniaturas do Terror.

The Green Mile de Stephen King (1996)

The Green Mile de Stephen King foi publicado originalmente em 1996 em seis volumes, no Brasil a editora Objetiva publicou os livros mensalmente no mesmo ano, cada um com uma média de cento e vinte páginas, com os títulos de Corredor da Morte: As Duas Meninas Mortas, Um Rato no Corredor, As Mãos de Coffey, A Morte Horrenda de Eduard Delacroix, A Excursão Noturna e Coffey no Corredor. A adaptação cinematográfica fez com que uma nova edição fosse publicada pela editora Objetiva em 2000, desta vez em um único volume chamado de À Espera de um Milagre. O título se repetiu nas edições da Planeta DeAgostini em 2004 e da Suma em 2013.

Legion de William Peter Blatty (1983)

Mais um livro de William Peter Blatty nesta lista, desta vez é Legion, a continuação de O Exorcista, publicado originalmente em 1983. O livro foi publicado no mesmo ano no Brasil pela editora Record como O Espírito do Mal e posteriormente republicado na coleção Supersellers Record. Em 1988 ganhou uma edição pelo Círculo do Livro que manteve o título. Em 2017 a Darkside Books o publicou como Legião. Este não é o único caso de clássico da literatura de terror republicado pela editora com novos títulos, a exemplo de  Horror em Amityville de Jay Anson, lançado como Amytiville em 2016 e Os Mortos Vivos de Peter Straub, como Ghost Story em 2019.

2 comentários:

  1. Acrescentando à lista de Stephen King Cujo, que foi lançado anteriormente como "Cão Raivoso".

    ResponderExcluir

Pages