ÚLTIMAS NOTÍCIAS

15 de janeiro de 2016

Resenha: Contos de Alguns Lugares de Paul Richard Ugo


Sinopse:
   Os lugares onde vivemos são os verdadeiros personagens. Vinte e dois contos de terror, mistério e fantasia onde os lugares são minuciosamente descritos, levando o leitor a um passeio por fatos e ambientes baseados em lendas e misteriosos acontecimentos, alguns reais e outros imaginários. Neste primeiro trabalho de Paul Richard Ugo, a morte e o sobrenatural são tratados de maneira diferente do que se costuma ver em outros thrillers literários. Os Contos de Alguns Lugares têm como característica os lugares onde as tramas acontecem, com uma descrição detalhada que leva o leitor a visualizar os ambientes fazendo com que estes se transformem também em personagens.

Opinião:
   O mal e sua influência nefasta se fazem presentes em todos os lugares, na maioria das vezes a bondade viceja em meio a este ódio transformando-o em algo belo, mas em alguns lugares nem sempre isso acontece. Há vielas tão escuras, presentes nas profundezas dos melhores bairros, em que a luz da justiça não consegue iluminar, partes do planeta em que o véu da realidade é tão fino que abraça o sobrenatural, locais inóspitos do globo onde lendas e monstros são reais, mais do que isso há partes da alma humana que descendem de tempos pré-históricos, do lado animal do homem no qual conceitos de prazer e dor se mesclam para criar aberrações sociais, assassinos, psicopatas e o ser mais temível de todos,  o homem comum, aquele que não conhece  seus limites até ser obrigado a confrontá-los em uma situação de vida ou morte.  Richard Paul Ugo mapeia essas regiões fantásticas em vinte e duas estórias no livro Contos de Alguns Lugares, dissecando o lado negro do coração humano, através de seus piores temores e medos. 
    A duração dos contos é variada, alguns conseguem saciar o leitor em poucas páginas, outros maiores e mais elaborados deixam a sensação de "quero mais", há ainda aqueles que podem ser medidos pelo número de batidas que o coração alcança durante a leitura, além daqueles que são rápidos e afiados como o corte de uma faca.  "Deixem Emma em Paz" abre a coleção com uma estória macabra de vingança adolescente, o texto segue a esperada linha do estereótipo da premissa, mas é coroado por um final sangrento e misterioso. "Catarse" narra a busca por autoconhecimento de um jovem que no caminho terá de enfrentar seus piores medos, além de uma criatura lendária saída diretamente dos mitos indígenas americanos. "Chez Renée Dinner Restaurant" é o primeiro de uma safra de estórias que tem como plano de fundo a cidade de Baltimore, a premissa é simples: e se você descobrir que aquela deliciosa e exótica carne, do prato de maior sucesso de seu restaurante favorito é preparada com um toque, literalmente, humano? "Por Dentro da Hora Morta" e "Fenômeno da Voz Eletrônica" possuem ligações com o macabro restaurante, seus protagonistas enfrentarão a morte e sentirão o sabor do horror!
   "O Gato" tem um estilo que remete as narrativas dos anos setenta, no qual a histeria se mistura com o sobrenatural, com um resultado deliciosamente sombrio! Sabe aquele animais que às vezes parecem te encarar na rua sem motivo algum? Bem, talvez haja um motivo sim... Em "Madaleine" uma estranha babá alimenta as crianças com fins malignos, a estória tem um toque gótico moderno, inspirado nas macabras estórias de Poe. Do mesmo modo "A Bandeja de Prata" evoca o misticismo das bruxas medievais, através do objeto que pode trazer a vida uma das piores criaturas que já existiram. "A Pele" fala sobre uma seita canibal arrepiante, e "Webcam" é uma releitura extremamente atual das assustadoras histórias de fantasmas. Em "O Túnel", a profecia do anticristo se mescla com a distorcida mentalidade nazista numa recriação perfeita do clima angustiante das narrativas de Lovecraft, assim como "A Adega dos Morgan" que flerta com visões terríveis de criaturas atemporais. Em "O Décimo Terceiro" um jovem descobre sua sangrenta herança e em "Morte Barata" um homem tem uma estranha conversa com as baratas, que aguardam sua morte para devorá-lo! "O Fado de Antônio" narra as aventuras de um serial killer português e sua luta contra suas convicções religiosas. 
   "As Vidas de Charles" conta a estória de um homem que sempre que adormece vive uma vida paralela, em uma delas ele é dono de uma loja de antiguidades, na outra um famoso ator de cinema, o que ambos tem em comum é o bafo da morte em seus pescoços. Qual será o verdadeiro Charles? Em o "Pequeno Conto da Lower East Side" um músico faz um pacto em busca de fama. "Cabaret" e "Amor de Cortiça" falam tragicamente sobre o amor e suas desilusões, enquanto "A Tatuagem" mostra que a luta entre o bem o mal é mais terrena do que imaginamos. E por fim em "Alegres Folhas Mortas", o autor se coloca como personagem e recebe uma incumbência "maldita" das mãos de um mestre do sobrenatural. Contos de Alguns Lugares se destaca pela qualidade de suas estórias, geralmente há grande variação de ritmo em um livro de contos, mas Richard Paul Ugo soube fracionar a exata medida de sobrenatural para deleitar o fã de horror sem que  o medo torne-se banal, cada página traz uma nova surpresa, em cada linha jaz escondido um arrepio. A especialidade do autor são finais chocantes, o leitor encontrará sempre uma grande surpresa na conclusão dos contos, poucas vezes acontece o esperado. Você vai descobrir que alguns lugares não são regidos pelas leis naturais e seu maior inimigo é você mesmo. Preparado?

Nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

3 comentários :

  1. É um livro para se degustar aos poucos, assim como os melhores vinhos.
    Já espero ansiosamente o 2o livro deste novo e promissor autor

    ResponderExcluir
  2. É um livro para se degustar aos poucos, assim como os melhores vinhos.
    Já espero ansiosamente o 2o livro deste novo e promissor autor

    ResponderExcluir
  3. Os contos possuem boas ideias, é verdade, mas infelizmente frases equivocadas como "O silêncio do frio e da neve gelaram meus ossos" e "piadas sem graça à cerca de ter sido o filho número treze" pesam um pouco pra eu dar aí uma nota dez.

    ResponderExcluir