ÚLTIMAS NOTÍCIAS

22 de fevereiro de 2015

Resenha: Jogo Perigoso de Stephen King


Sinopse:
   Um jogo de sexo se transforma em prelúdio para uma noite de horror, onde King mergulha o leitor numa trama fascinante e diabólica ao acompanhar a agonia de uma mulher forçada a encarar seus temores mais ocultos. Jogo perigoso revela o estilo que consagrou este mestre do terror moderno: uma história envolvente e sofisticada, narrada num ritmo eletrizante.


Opinião:
   Jogo Perigoso é um dos livros mais claustrofóbicos e angustiantes de Stephen King, a mágica de insinuar monstros e horrores tétricos na escuridão se imiscui com a profunda ilusão dos nossos próprios demônios internos, aqueles pesadelos que crescem conosco vicejando no lado mais escuro da mente, aqueles segredos que tentamos esconder de todos e até de nós mesmos mas que sempre surgem à tona nos piores momentos empestando os pensamentos com sua putridão. Adicione a isso a sufocante sensação de imobilidade que advém de estar algemado em uma cama, numa posição extremamente insuportável e indecorosa, tendo seus movimentos restritos a mercê de qualquer eventualidade sem nenhuma possibilidade de fuga. É esse o inferno pessoal que Stephen King preparou para uma de suas protagonistas mais fortes e incríveis, Jessie Burlingame. 
   Gerald um advogado de meia idade tenta aquecer a relação com sua esposa através da realização de suas fantasias, com um par de algemas o casal redescobre uma chama há muito tempo esquecida, rapidamente se transforma em uma grande fogueira que arde calorosamente. Jessie descobre que ser algemada a uma cama não é tão ruim quanto parece ainda mais quando o desejo traz um brilho selvagem no olhar de seu parceiro. Em um desses jogos acaba acontecendo uma tragédia, isolados na casa de campo, Gerald acaba sofrendo um enfarte e corpo gordo e flácido desaba ao lado da cama sem vida. Jessie é corajosa e não deixa o pânico tomar conta de sua mente, a racionalidade é sempre uma benção nessas horas, o que deve fazer é pegar as chaves na cômoda e ligar para a emergência. Porém a sensação excitante das algemas nos braços começa a se tornar dolorosa, o que antes era um aditivo sexual torna-se um objeto de horror, com seus movimentos restritos e braços paralisados Jessie descobre que a chave está a poucos metros de distância, o que em sua atual condição equivale a anos-luz, inalcançável.
    Stephen King tem então o ambiente perfeito para fazer o que sabe de melhor, arrancar os monstros da escuridão e despertar os pesadelos de seus protagonistas. Em nenhum outro livro um personagem se encontra tão à mercê dos desejos de seu criador e o mestre não perde a chance, disseca brutalmente e sem nenhum receio a mente de Jessie, seus segredos e seus medos são examinados sob uma luz cirúrgica que não deixa nenhuma ótica sem iluminação, não interessa se o assunto é tabu ou pode causar mal estar nos leitores. Sem dó ou piedade King toca em nervos sensíveis da sociedade cujo resultado é uma leitura excruciante, situações banais se tornam montanhas de horror com uma qualidade narrativa que apenas o mestre do terror poderia produzir. Não há como não se sentir tocado e perturbado pelas provações da protagonista.
   A ideia original de Stephen King era criar uma antologia especial que reunisse duas histórias centradas em um eclipse, chegou até a ganhar o nome “In The Path of the Eclipse” (No Caminho do Eclipse), mas ambas acabaram se desenvolvendo tanto que se tornaram dois romances diferentes: Jogo Perigoso e Eclipse Total. Mesmo assim é interessante a maneira como as duas histórias se conectam e se completam ao redor deste sombrio evento. King mais uma vez consegue ser efetivo como a potente máquina de assustar que há anos produz os pesadelos mais absurdamente racionais, Jogo Perigoso se destaca por sua autenticidade, poderia muito bem ser mais uma daquelas histórias baseadas em fatos reais, mas principalmente pela maneira como o horror psicológico é explorado, um incrível monólogo onde o desespero encontra a insanidade e o resultado é um dos melhores livros de Stephen King.


Nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

6 comentários :

  1. É esse tipo de resenha que me convence a ler o livro. Já tentei lê-lo há mais de dez anos e desisti. Mas vou tentar novamente, porque a resenha me instigou.

    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o colega. Resenha impecável. O livro é fantástico e sua resenha não ficou diferente.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o livro, uma narrativa que te deixa presa (sem trocadilhos) o tempo todo!!!

    Como uma King fanática me peguei por vária vezes visualizando e tremendo com as cenas...

    Resenha incrível!!!

    ResponderExcluir
  4. Sem dúvidas o livro que me deixou mais desconfortável lendo! Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  5. Estou lendo o livro agora. E não consigo largar. Muito boa sua resenha!

    ResponderExcluir
  6. Estou lendo o livro agora. E não consigo largar. Muito boa sua resenha!

    ResponderExcluir