ÚLTIMAS NOTÍCIAS

10 de março de 2014

Resenha: Cilada de Harlan Coben


Sinopse:
   Haley McWaid tem 17 anos. É aluna exemplar, disciplinada, ama esportes e sonha entrar para uma boa faculdade. Por isso, quando certa noite ela não volta para casa e três meses transcorrem sem que se tenha nenhuma notícia dela, todos na cidade começam a imaginar o pior. O assistente social Dan Mercer recebe um estranho telefonema de uma adolescente e vai a seu encontro. Ao chegar ao local, ele é surpreendido pela equipe de um programa de televisão, que o exibe em rede nacional como pedófilo. Inocentado por falta de provas, Dan é morto logo em seguida. Na junção dessas duas histórias está Wendy Tynes, a repórter que armou a cilada para Dan e que se torna a única testemunha de seu assassinato. Wendy sempre confiou apenas nos fatos, mas seu instinto lhe diz que Mercer talvez não fosse culpado.
   Agora ela precisa descobrir se desmascarou um criminoso ou causou a morte de um inocente. Nas investigações da morte de Dan e do desaparecimento de Haley, verdades inimagináveis são reveladas e a fragilidade de vidas aparentemente normais é posta à prova. Todos têm algo a esconder e os segredos se interligam e se completam em um elaborado mosaico de mistérios. Harlan Coben mais uma vez deixa o leitor sem ar. Cilada fala de culpa, luto e perdão em uma trama repleta de reviravoltas surpreendentes. Nada é o que parece e tudo pode ser desfeito até a última página.

Opinião:
   Harlan Coben é um nome, que para mim alcançou aquele patamar que antigamente eu relegava apenas ao mestre Stephen King, só seu nome na capa já é uma qualificação para uma trama cheia de suspense e ação. Demorei muito para ler alguma coisa do autor, o primeiro livro que parou em minhas mãos foi Não Conte A Ninguém, e Cilada já é minha quarta leitura dele em menos de um mês. Influenciado pela grandiosa massa de leitores que desferem a torto e direito elogios à obra de Coben, acabei descobrindo o mestre do suspense. O estilo do autor é bem característico e pessoal, une tramas rápidas e ágeis a enredos inteligentes, com reviravoltas magnificas e impressionantes. Seus personagens são criativos, possuem personalidades próprias e refletem as ações e pensamentos do leitor. Porém o mais interessante é o universo criado pelo autor no qual personagens de diferentes livros transitam e fazem pequenas aparições especiais. Adoro isso.
  Cilada é um daqueles livros que possuem o leitor com a sede insaciável de ler apenas mais um trecho antes de dormir, é preciso muito fôlego para acompanhar a trama que cresce de forma brilhante tanto em emoção e suspense como ação, à medida que o enredo se desenrola. Harlan Coben faz sucesso, pois retrata os crimes e assassinatos tão cruéis e sanguinários inerentes ao romances policiais com um tato raro, trazendo o cenário monstruoso das ruas para a casa do americano de classe média, com o tipo de história que poderia acontecer com o seu vizinho ou até mesmo com você. Unindo mistérios a excelentes diálogos, Coben transforma situações com tendência a ser tediosas, como uma batalha judicial no fórum, em hábeis e ferinas críticas a sociedade e sua composição.
    É difícil definir o assunto que o livro aborda, pois o autor não segue apenas uma linha de pensamento e desenvolve várias subtramas que se auto explicam e concluem-se mutuamente formando o grande retalho final. Cilada por exemplo explora sobre a pedofilia e o desaparecimento de menores, além das facetas usuais a influencia da mídia em geral no tema é bem enunciada, os jornalistas para conseguir audiência não se preocupam com a imagem dos acusados ou mesmo com a família desesperada em sua busca pelo ente querido, apenas querem espremer o máximo daquele assunto até que esse se esgote ou surja algo novo. Outros dois aspectos interessantes de Harlan Coben é a capacidade de alterar toda a trama da história até o último ponto final, o desfecho da última pagina pode mudar o rumo todo do livro e não se pode concluir nada com certeza até que a ultima linha seja lida. Seus personagens são abertos, mas ao mesmo tempo ambíguos, é impossível para o leitor saber com antecedência se o protagonista está falando a verdade ou está omitindo alguma informação.
   Enfim, Cilada é um livro super indicado para fãs de um bom suspense carregado de surpresas e emoções. Não quero falar sobre o enredo e acabar revelando alguma passagem, a sinopse por si mesma já dá todos os detalhes iniciais pertinentes ao embarcar na leitura. Em poucas páginas Harlan Coben já conseguiu mais um fã. Boa Leitura!

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras) 

4 comentários :

  1. Gosto do Coben, mas ainda não li Cilada. Vou colocá-lo na lista.
    Obrigado pela resenha!!!

    ResponderExcluir
  2. "Não se pode concluir nada com certeza até que a última linha seja lida." Resumiu o que é Harlan Coben!
    E quando essa última linha é lida, toda a história passa em retrospectiva em um piscar de olhos, os xis são revelados e vc pensa: "meu deus! como não pensei nisso antes?!" As vezes imagino o Harlan saindo do livro e dizendo: - HAHA vc acreditou mesmo na história de A e B?! PEGADINHA DO MALANDRO!
    É, Harlan sabe enganar. Sempre tem uma carta a mais na manga... e mesmo eu sabendo disso, sempre erro nas revelações :x

    Enfim, essa resenha só aumentou minha vontade ler Cilada
    #partiu #assaltar #saraiva -q

    ResponderExcluir
  3. Coben é um dos meus autores preferidos. Já tenho quase todos os livros dele e amo as histórias do Myron, é um personagem muito cativante.

    ResponderExcluir