ÚLTIMAS NOTÍCIAS

10 de setembro de 2013

Resenha: Calafrios da Noite - César Bravo



Sinopse:
   Calafrios da Noite é um livro de contos de horror e suspense. Eu o escrevi porque acredito que o conto seja uma das partes mais prazerosas do ofício de escritor. Um bom conto é curto, forte e preciso. A faca afiada na mão do assassino competente. Ele abre caminho, fere, tira nosso fôlego e faz o que deve ser feito. Os contos que você lerá a seguir serão honestos com você, assim como foram comigo.

Bem vindo ao meu mundo, amigo leitor. Deixe a luz acesa se for ao banheiro. Pode ter alguém te esperando na volta... Rangendo dentes e esparramando restos de carne pelo chão. Ouse... Deixe-se levar pela escuridão; abandone todo o velho preconceito. Embriague-se de suspense e horror.

Opinião:
   Calafrios da Noite é uma coletânea de gritos de horror e pavor, de sustos concentrados em cenas aterrorizantes, de gemidos regados aos piores pesadelos e fobias que uma mente sã é capaz de conceber, mas principalmente de histórias em ambientes normais e comuns que de tão familiares rompem facilmente a fronteira do real e imaginário na cabeça do leitor, criando assim um poderoso compendio de contos que seguem a mais tradicional linha de Stephen King. César Bravo consegue transportar um gênero tão americanizado como o terror para territórios nacionais tendo como protagonistas pessoas como aquele vizinho velho, aquele tio do interior meio desconhecido ou mesmo o seu amigo a quem você diz conhecer como ninguém. Enfim pessoas como eu e você.
    O terror já começa em "Torniquete" como um sopro gelado em nossos ouvidos ao narrar a angustiante história de um homem que decepou a própria perna. A pergunta é por quê? E depois a curiosidade mórbida de como? É um conto em primeira pessoa valorizando muito a experiência do protagonista, de modo que um pouco passa para o leitor fazendo quem sabe sentir uma coceirinha incomoda na perna... É aterrorizante por ser algo bastante real.
   "Pague sua conta" mostra o rapaz que tinha tudo o que podemos sonhar e aspirar conseguir com trabalho duro, mas que em seu intimo não possuía a felicidade e o senso de valor para a humanidade. Todos almejamos muito mais do que as conquistas materiais, algo mais espiritual... A questão é como alcançar isso? E se alcançarmos estaremos prontos para utilizar da maneira correta este conhecimento?
   Tem dias em que em nossas vidas tudo está tão ferrado e indo tão mal que um empurrãozinho mesmo que de um estranho seria aceitável. Em “Cavalo Bravo" uma proposta aparentemente generosa será feita a um pai de família, sua vida irá mudar para melhor, muito melhor mas o pagamento é estranho... Será que irá aceita? Um conto onde o autor ataca novamente com seu humor negro ácido.
   "Vinte Andares" vem logo a seguir como um sopro de suspense sutil e forte mas segure-se leitor não irá querer cair desta altura sem antes presenciar o curioso debate que ocorre com o protagonista e um sujeito estranho.
   "O homem que falava palavrão" é um conto bastante cortante, direcionado aquelas pessoas cuja inveja é maior do que a vontade de mudar. Se em algum momento da vida mesmo fazendo tudo certo algo deu errado para você, na mesma medida que para o cara que não estava nem aí para nada acabou se saindo melhor, então certamente irá se identificar com o protagonista desta história.
   Agora "Posso fumar aqui?" incrivelmente não fala de cigarros e sim de bebidas. Quando um estranho gótico chega a um bar de amigos ferido, os bêbados o recebem melhor que qualquer skinhead neste horário da noite. Meio agradecido ele deixa no bar algumas pílulas, que logo são dividas entre os visitante habituais, segundo disse elas te deixam bêbado para sempre.  Será? O que você faria se vivesse num eterno estado alcoolizado?
  "A mulher no sótão" é meu conto favorito e o que melhor lembra King de todos. Um homem vive assombrado por um fantasma no sótão de casa, em uma noite especialmente nostálgica decide ir até lá e conhecer sua fantasmagórica companhia. É uma história curta mas que por isso mesmo se torna rica em detalhes, cheia de surpresas no fim exige uma releitura para convencer o leitor de aquilo mesmo aconteceu. Um texto de mestre.
  "O Violão de Johnny" e "Kid Caranguejo" são histórias com o mesmo cerne, fantasmas e sua provocação por parte dos "vivos". Os dois possuem finais bem assustadores e são ótimos exemplos da mistura crescente entre o suspense e o terror que se desenrola apenas nas cenas finais das histórias, união da qual o autor conhece e utiliza de maneira magnifica.
   "Danação" é uma ode aos fantasmas pessoais que carregamos desde a infância até a consequente morte. São os medos que crescem e se modificam de acordo com a nossa idade mas que nunca vão embora ou desaparecem. Sempre estão lá nos aguardando... Está preparado para a próxima visita do seu pior pesadelo?
   "Não Há Vagas" é perfeito. O conto começa com a frase: "Jack era um cara que morava dentro de outro cara..." Genial! A história é bem conduzida e é contada através dos olhos que estão dentro dos olhos do protagonista. Com o já de praxe final surpreendente do autor, o leitor além de ficar atônito ao final do conto é compelido a pensar sobre o real significado da palavra identidade. Quem é realmente você?
   A paranoia está solta em “Dor Nas Costas". E se aquele espirro não for gripe? For uma diminuta neva alienígena entrando em seu nariz para disseca-lo por dentro? E se aquela dor de dente não for algo ao acaso? E se aquele caroço que tem na perna ou nas costas for algo mais que simplesmente um inchaço?
   "Alguém a Olhar por Você" é uma mescla de o que todo mundo queria que acontecesse a aqueles acontecimentos chatos de pessoas egocêntricas e quando alguém finalmente atende aquela voz no fundo da mente que diz mate! Coisa que o protagonista de “Colheita Obrigatória" também faz. Num misto de revelação com inspiração infernal ele acaba vendo demônios no lugar de pessoas, bom isso significa que é hora de começar a colheita. De almas.
    E para finalizar "Lado Oculto" um impressionante conto que ilustra bem um ditado sobre escrever direito por linhas... Hm não lembro ao certo como é mas é isso, não quero dar spoiler.  Deste modo digamos inspirador acabam os contos de Calafrios da Noite mas é só o começo de muitos pesadelos que com certeza virão a seguir.


Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras) 

7 comentários :

  1. Meu amigo,vim só para agradecer. Sabe o que aconteceu depois dessa super-resenha? Pulei para primeiro na Amazon. Valeu parceiro! Espero continuar à altura de suas palavras.

    ResponderExcluir
  2. Show de bola! Sou apaixonados por contos, e de terror ainda? Vou procurar! Abraços! Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  3. ADOREI seu blog! Eu amo terror, e adorei a resenha também!
    Parabéns pelo blog! Ah, acabei de publicar um conto de terror que escrevi no meu blog, ok, não é tão de terror assim, mas... Dá uma olhada:
    http://mentes-magicas.blogspot.com.br/
    sucesso!

    ResponderExcluir
  4. Hey, tudo bem?
    Os unicos livros de terror que li e estou lendo são os do Stephen King, que por sinal são ótimos! Mas eles não me deixam tão apavorada. Fiquei super curiosa pra ler esse livro. Sua resenha ficou incrível! Adorei seu blog. Você já leu algum livro do King?
    Seguindo, (:
    Beijocas,
    Cindy, Livros e Piratas. Visite o blog! c:

    ResponderExcluir
  5. Mas um livro que gostaria de ter e não acho pra comprar, ótima resenha. Maurilei.

    ResponderExcluir