ÚLTIMAS NOTÍCIAS

17 de julho de 2013

Resenha: O Intruso - Peter Blauner


"Não se pode largar O Intruso - não é 'deixável'. Manteve-me acordado até uma hora da manhã, virando páginas muito além da hora de dormir. O que destaca Blauner acima de seus contemporâneos é sua energia narrativa, seu conhecimento da vida urbana especialmente a versão paranoica do fim do século) e sua compaixão por seus personagens. O Intruso é um desses raros romances que constroem uma ponte entre o que chamamos de ficção popular e literatura. Aconselho reservar algum tempo para ler este livro"   Stephen King

"O Intruso é o melhor romance que li nos últimos anos. Têm grandes personagens, uma grande historia e grande coração. Se você quer comparações não posso oferecer nenhuma. Não há comparação."   James Patterson

"Este é um daqueles romances de "pesadelos que acontecem", com uma apavorante premissa que nos deixa desconfortáveis e um personagem sinistro que nos enche de pavor por conhecê-lo, conhecer sua maldade."   Nelson deMille

Sinopse:
   Em 'O Intruso', Peter Blauner vai psicologicamente fundo na vida dos deserdados, dos sem-teto, dos que vivem à margem de uma grande sociedade capitalista que ensina a triste arte de animalizar seres humanos. Um livro político e policial, poético e violento, denunciador e verdadeiro, emocional e crítico.

Opinião:
   O Intruso é um dos melhores livros que já li em toda minha vida, Peter Blauner é um escritor maravilhoso e seus personagens são extremamente profundos e reais. Esta é uma história perturbadora sobre a destruição de um homem, a desconstrução do que é o ser humano e a perda total da esperança de viver. John G. um dos protagonistas da história, é um dos personagens mais complexos que já conheci e sua história uma das mais emocionantes, nunca torci tanto para um personagem se sair bem no final. É uma leitura densa que se desenrola de uma maneira nada suave e planta no cérebro do leitor muitas questões sociais que são apenas o florescer de perguntas muito mais profundas.
     Diariamente a nossa volta, principalmente em grandes cidades, centenas de moradores de rua estão vivendo as mais adversas e degradantes situações pelas quais nenhum ser humano deveria passar. A violência nas ruas é grande e para se viver lá a pessoa perde uma parte essencial de si e se vê de volta a animalidade, passar frio à noite dormindo em chãos de pedra coberto com pedaços fedorentos e sujos de tecido, comer restos de comida às vezes podre compartilhado por outros animais e o principal vilão dos moradores de rua: a dependência química das mais diversas drogas. Alguém já se imaginou no lugar de um mendigo viciado que está perdendo sua sanidade dia após dia tendo a plena consciência de sua crescente loucura? A maioria não é por isso que o livro de Peter Blauner é chocante, pois leva ao leitor à parte mais suja da sarjeta, aquele beco escuro da rua que você sempre desvia aquele local pra que evita olhar tudo isso na frágil mente de um ser humano igual a você e eu.
   O livro funciona melhor quando lido às cegas, sem nenhuma noção do que esperar ou do que encontrará na leitura por isso estou falando o menos possível sobre a história para que a sua experiência seja tão prazerosa quanto a minha foi. Como já citei os personagens são profundos e reais, temos o morador de rua que perdeu a pessoa que mais amava neste mundo e sua vida desmoronou numa eterna queda em um poço sem fundo, há o mafioso mentiroso que se utiliza da violência domestica e contra a sociedade para esconder seus desejos homossexuais, há o advogado de classe média alta que por um descuido momentâneo de seus sentimentos vê sua carreira meteórica acabar, a assistente social engajada com o trabalho, mas que por inexperiência não consegue manter um limite aceitável entre o trabalho e sua vida. Todos juntos formam um romance arrebatador e cruel em sua metáfora que expõe a nudez da mente humana. Um livro inesquecível e imperdível. 

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

7 comentários :

  1. Gostei da resenha quero ler esse livro! Gosto de personagens profundos e com esse comentário do King é leitura obrigatória.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi assim que encontrei o livro através da opinião do King, como ele é o meu autor favorito tudo o que indica procuro ler e nunca me decepcionei...

      Excluir
  2. Nossa cara! Estou amando o seu blog! Suas resenhas são detalhadas e realmente falam do livro, sem enrolação...Quero muito ler este livro! Já está entre os meus desejados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Realmente fico feliz que goste pois é uma coisa de fã feita para fã, tento passar a minha emoção de ler para quem está querendo ler o livro ou buscando uma confirmação se é bom ou não encontre o que procura

      Excluir
  3. Cara fui atrás deste livro depois que li sua resenha, muito bom ! Não e bem o meu estilo, gosto mais de terror e suspense, mais estes livro tem personagens excelentes, valeu mesmo pela dica ! Estes dois q vc tá lendo Troca Macabras e as Horas de Odd eu já li são bons livros, atualmente eu estou lendo Guerra Mundial Z , e Papillon , se vc tiver um tempo da uma lida são dois grandes livros, até mais .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado cara! É uma honra e enorme felicidade saber que a resenha inspirou uma leitura rs Eu adorei essa história que não tem nada de terror ou sobrenatural mas é bem contada de uma maneira inteligente e emocionante. O autor sabe escrever! Tanto que já comprei um outro livro dele lançado no Brasil, Em Câmara Lenta e estou procurando pela seu ultimo lançamento: O Homem da Hora... Estou amando os dois livros e concerteza vou procurar suas indicações.

      Excluir
  4. Esse livro foi muito marcante para mim e não conseguia mais encontrá-lo. Não sabia o nome do autor. Que surpresa feliz encontrá-lo aqui, garimpando suas resenhas. Foi um presentão.

    Me apaixonei por esse livro. A edição que tenho é a de bolso, com uma modelo na capa, nada a ver com o livro. Espero que relancem numa bela edição. Um ,livro muito humano, apesar de ser uma obra de terror.

    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/2014/11/sete-serial-killers-da-literatura.html

    ResponderExcluir