Header Ads

Semana dos Livros Banidos: Livros de Terror Proibidos em bibliotecas ao redor do mundo

   Um dos maiores desafios para um bibliotecário é a formação do acervo de sua biblioteca conforme a necessidade de informação de seus usuários, são vários os aspectos a serem observados no momento da escolha dos títulos, desde a faixa etária ate o tipo de público que aquele material se destina, porém essa experiência ganha outra dimensão quando o assunto são bibliotecas escolares e públicas. Não é apenas em romances distópicos como Fahrenheit 451 de Ray Bradbury que movimentos opressores tentam condenar a leitura de determinadas obras, a Associação Americana de Bibliotecários é famosa por compilar listas com os livros mais contestados e censurados ao longo das décadas em bibliotecas e as reclamações vão desde o incentivo à bruxaria da Saga Harry Potter ao canibalismo em Goosebumps. 

   Neste contexto a Banned Books Week surgiu como uma iniciativa de conscientização sobre um dos direitos inalienáveis de todo o leitor: o direito de ler o que quiser onde quiser. Neste ano ela ocorrerá entre 24 e 30 de Setembro e o Biblioteca do Terror para celebrar o seu direito à liberdade de ler os livros mais assustadores, controversos e perturbadores lançará uma série de listas sobre o tema. A primeira delas é uma compilação de obras que já foram proibidas, censuras ou banidas de biblioteca e seus motivos.

Frankenstein de Mary Shelley
Sinopse: Victor é um cientista que dedica a juventude e a saúde para descobrir como reanimar tecidos mortos e gerar vida artificialmente. O resultado de sua experiência, um monstro que o próprio Frankenstein considera uma aberração, ganha consciência, vontade, desejo, medo. Criador e criatura se enfrentam: são opostos e, de certa forma, iguais. Humanos! Eis a força descomunal de um grande texto.

Motivos: Shelley já sofreu com a censura de sua obra em sua primeira publicação em 1818, na época o livro foi publicado anonimamente já que a escrita não era considerada uma profissão para mulheres, além da própria questão do teor violento e macabro da história. Em tempos modernos Frankenstein foi banido por grupos cristãos que o consideraram "indecente" e "obsceno".

Cujo de Stephen King
Sinopse: O livro conta a história da família Trenton, de classe-média. Mundana conjugal e as dificuldades financeiras desgraçaram a vida de Vic Trenton e sua esposa, Donna. Seus problemas domésticos são aumentados pelo perigo mortal quando Donna e seu filho de quatro anos, Tad, são aterrorizados por um cão da raça São Bernardo chamado Cujo. 

Motivos: Em 1984 um grupo de pais de estudantes do condado de Rankin, no Mississipi, tentou banir Cujo da biblioteca da escola alegando a existência de "grande número de "palavrões" e "material sexualmente censurável", sem sucesso. Porém em 1985 outro grupo de pais em Bradford, New York conseguiu retirá-lo da biblioteca, ao mesmo tempo que o conselho escolar de Washington, Alabama se recusou a comprar Cujo (e também Christine) por conter "linguagem inaceitável" e "cenas de sexo explícitas". Em 1992, pais da cidade de Sparta, Illinois pediram para que todos os livros de Stephen King fossem banidos das bibliotecas sob alegação de que são "violentos" e "contém sexo e linguagem explícita", o conselho deliberativo, em honra aos pedidos dos pais, recomendou que os alunos não lessem Stephen King em sala de aula, porém se negaram a retirar os exemplares das bibliotecas.

Série Goosebumps de R. L. Stine
Motivos: Na década de 90, a série Goosebumps marcou a infância de muitos leitores, mas esse sentimento não era compartilhado pelos pais, mais de 15 livros de R. L. Stine foram alvo da ira de conselhos de pais, as alegações iam desde "incentivo ao satanismo"e "invocação de espíritos" até "canibalismo" e "abuso infantil".

O Psicopata Americano de Bret Easton Ellis
Sinopse: O psicopata americano é um dos mais radicais relatos sobre a banalidade da violência, do consumo e do vazio da geração de yuppies que viveu sua juventude nos anos 80. O protagonista é Patrick Batemann, um jovem de 26 anos que de dia fatura uma fortuna trabalhando em Wall Street e à noite se acaba em festas regadas a cocaína e uísque. Quando se sente muito entediado, sai pelas ruas de Nova York assassinando brutalmente mendigos, torturando prostitutas e todos aqueles que de alguma forma o entediam. Sem piedade, sem remorso, sem consciência, em seguida saindo para tomar um drinque ou fazer compras em lojas de grifes.

Motivos: Praticamente todas as listas de livros mais perturbadores de todos os tempos trazem O Psicopata Americano nas posições iniciais, sua história é tão violenta que a editora do autor se recusou a publicá-la e com isso ajudou na criação do mito e popularização do mesma. O livro foi banido no estado australiano de Queensland e restrito para maiores de 18 anos no resto da Austrália, Alemanha e Nova Zelândia.

Carrie, a estranha de Stephen King
Sinopse: Carrie tem 16 anos e não é feliz. Sufocada pela mãe, uma fanática religiosa dominadora e cruel, Carrie não pode desfrutar os mesmos prazeres que os jovens de sua idade. Na escola, ela é motivo de risos. Em casa, é perseguida pelo olhar onipotente da mãe. Sem amigos, Carrie vai alimentando, dia a dia, um profundo ódio. Só que existe um segredo. Carrie tem poderes sobrenaturais. E chega o dia em que ela decide dar um basta a essa vida de submissão. Tudo o que ela deseja é vingar-se. De todos. Por tudo.

Motivos: Em 1978 o livro foi para uma coleção especial fechada em Union High School em Vergennes, Vermont com a alegação de que "poderia prejudicar os alunos, em especial as meninas mais novas." Em 1994 um pai em Boyertown, Pensilvania pediu a proibição do livro com base em "descrições sexuais" e 'matança satânica."

Senhor das Moscas de William Golding
Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, um avião cai numa ilha deserta, e seus únicos sobreviventes são um grupo de meninos em idade escolar. Eles descobrem os encantos desse refúgio tropical e, liderados por Ralph, procuram se organizar enquanto esperam um possível resgate. Mas aos poucos — e por seus próprios desígnios — esses garotos aparentemente inocentes transformam a ilha numa visceral disputa pelo poder, e sua selvageria rasga a fina superfície da civilidade, que mantinham como uma lembrança remota da vida em sociedade. 

Motivos: O Senhor das Moscas é considerado um dos livros mais polêmicos de todos os tempos e apesar de não ser um livro de terror possui algumas cenas bem assustadoras, entre os principais motivos dos pedidos de proibição estão a violência, linguagem inadequada, sexualidade, críticas à religião, entre outras. 

Fontes:
"2017 Banned Books Week Celebrates Our Right to Read" em Baned Books Week
"Celebrate Banned Books Week with these 7 Banned Horror Books" em iHorror.com
"Censoring of Stephen King" em The Censorship of Stephen King 

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.