ÚLTIMAS NOTÍCIAS

17 de fevereiro de 2015

Resenha: A Menina Que Tinha Dons de M. R. Carey


Sinopse:
   M. R. Carey apresenta uma trama original e emocionante em sua estreia como romancista com A Menina Que Tinha Dons aclamado pela crítica, o livro se tornou um best-seller imediato na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos ao contar a história de Melanie, uma menina superdotada que faz parte de um grupo de crianças portadoras de um vírus que se espalhou pela Terra e que são a única esperança de reverter os efeitos dessa terrível praga sobre a humanidade. Uma comovente história sobre amor, perda e companheirismo encenada num futuro distópico.

Opinião:
   Ophiocordyceps unilateralis. Esse é um dos camaradas mais violentos da natureza e olhe que não passa de um simples fungo. As principais vítimas do Ophiocordyceps são as formigas, em sua forma menos desenvolvida o fungo é um poro microscópico, apenas mais uma das muitas partículas que são carregadas pelo vento até encontrar um hospedeiro. Ao entrar no corpo da inocente formiguinha sua primeira medida é assumir o controle das suas ações, os esporos germinam e começam a consumir os músculos e o sistema nervoso, transformando a formiga em uma espécie de zumbi cuja única preocupação é se alimentar para manter o fungo vivo. Em um estágio mais avançado o fungo atinge sua maturidade, suas hastes acabam explodindo a cabeça da formiga e seu corpo começa a crescer, até que atinja sua fase de ovulação e comece a espalhar novos esporos no ambiente. Agora imagine se esse adorável fungo se torna parasita da raça humana? A Menina Que Tinha Dons imagina um mundo assolado por este mal no qual a humanidade é dizimada por sua própria espécie, transformada em monstro pelo fungo. Uma das histórias de zumbis mais originais desde A Noite dos Mortos-Vivos de George Romero.
   A visão pós-apocalíptica de M. R. Carey é bastante criativa e imaginativa, reconhecido por ser roteirista de quadrinhos consegue trazer a ambientação e agilidade deste tipo de mídia para seu livro, o resultado é uma obra de leitura ágil e viciante. A exploração do fungo como causador da doença 'zumbi' é o diferencial da narrativa, os famintos, como são conhecidos os infectados, possuem uma grande influência dos zumbis de George Romero com relação ao aparecimento de uma débil inteligência em alguns deles, o Ophiocordyceps é bastante sútil e ataca de maneira diferente cada pessoa, mas as semelhanças param nisso, com relação ao porte físico e reações explosivas, seguem o modelo moderno criado por Danny Boyle em Extermínio. Os famintos são verdadeiros maratonistas, não há como fugir eles  já que são mais rápidos do qualquer ser humano, o melhor jeito é atrasá-los quebrando suas pernas e mutilando qualquer membro que puder. Os infectados são atraídos por sons, sua visão é extremamente deficiente, mas em compensação seus olfato é perfeito, entram em uma espécie de estado de excitação ao sentir os feromônios humanos.
    A Menina Que Tinha Dons me surpreendeu bastante por sua qualidade e pela grande dose de ação/horror/ficção-científica presente em suas páginas, é um livro que inova não por abordar novas ameaças ou fugir dos clichês das histórias de zumbis, mas sim por trazer uma visão diferente sobre aquilo que todo mundo conhece, uma coisa tão banal que passa despercebida diante de nossos olhos cansados de enxergar apenas o usual.  O autor consegue dosar com perfeição as cenas de horror e suspense criando um mundo e um fim para a humanidade bastante plausíveis. O final da história é simplesmente magnifico, contrariando todas as expectativas para uma obra sobre zumbis, Carey  ao mesmo tempo emociona e dá esperanças. Leia! Um dos melhores livros sobre o apocalipse publicado nos últimos anos! 

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

3 comentários :

  1. Vou comprar agora mesmo. Se você diz que é o melhor dos últimos tempos, quem sou eu pra duvidar.

    Melhor, não vou comprar. Domingo tem evento da Rocco e este livro é um dos que serão discutidos. Quem sabe eu ganhe, rs.

    Amei a resenha!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Rafa!
    Estava apenas esperando sua resenha, como sempre, para saber se esse livro realmente valia a pena! E pelo que vi, já vai entrar pra minha lista de próximas compras hehe A premissa já era incrível, agora sua opinião me deixou ainda mais curiosa!
    Beijinho :*
    www.ourivesdaspalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu já tenho medo de ver os zumbis, lendo acho que vai ser ainda mais assustador. Ótima resenha!

    ResponderExcluir