ÚLTIMAS NOTÍCIAS

28 de janeiro de 2014

Resenha: Mr. X - Peter Straub


“Mr. X marca a volta triunfante de Peter Straub ao relato do paranormal e do sobrenatural. Possui várias cenas de terror absoluto e horripilante, de nos fazer desviar os olhos; quando Peter Straub aciona os motores, ninguém, na indústria do horror, pode igualá-lo. A trama nos desafia, os personagens são de uma complexidade intrigante, e o estilo é inconfundível.” Stephen King

Sinopse:
   Uma imaginação de arrepiar. E que inspira novas histórias. Provavelmente foi uma das impressões de Stephen King sobre os livros de Peter Straub. O gosto pela literatura de Straub foi tão impactante e influente que King acabou escrevendo vários livros em parceria com o ídolo. Peter Straub é conhecido no mundo inteiro por criar thrillers fora do comum, literalmente. King vai mais fundo: "Ninguém na indústria do horror pode se igualar a ele".
   Mr. X é um livro monstruoso e sobrenatural. Além de arrancar elogios da crítica de prestigiados veículos internacionais, como Publishers Weekly e Chicago Tribune, o autor é adorado por uma legião de leitores de diversas nacionalidades. Straub une personagens de grande dimensão psicológica, explorando as fronteiras da mente humana, com doses caprichadas de razão, fantasia, aventura, carnificina, ritmo e agilidade literária inconfundíveis.

Opinião:
   Peter Straub é um autor que escreve para os fãs apaixonados de literatura, quando decide escrever sobre mistérios os leitores se deliciam com suas tramas envolvendo camadas de intrigas e charadas como fez em Mistério Os Crimes da Rosa Azul. Mas quando decide escrever sobre terror, dificilmente algum outro autor se iguala em complexidade e profundidade da obra, Os Mortos-Vivos se tornou um clássico moderno do gênero além de um guia definitivo de como escrever uma estória realmente assustadora sobre fantasmas. Quando se reuniu com Stephen King nasceu Talismã, uma obra mais pendendo a fantasia que horror que mesclou o melhor dos dois mestres em um livro só. Mr. X poderia ser o resultado de mais uma dessas uniões, imagine se fosse possível Peter Straub escrever em conjunto com H. P. Lovecraft? O resultado seria uma trama detalhada e profundamente perturbadora que misturaria a complexidade da trama e personagens de Straub com horror e loucura dos Antigos e seu insaciável desejo de conquista mundial de Lovecraft. Em outras palavras Mr. X.
   Antes de tudo é preciso entender o conceito por trás da obra. O mito do doppelgänger diz a respeito da existência de outra metade em cada ser humano, o seu gêmeo do espelho que carrega todas suas qualidades físicas, mas que possui dentro de si um mal tão perverso e diabólico que as criaturas infernais tremem diante da menção de sua existência. Stephen King já explorou o tema em seu A Metade Negra. Dean Koontz foi em busca da raiz do mito com Sr. Assassino. Mas nenhum deles conseguiu descrever o horror tão bem quanto Peter Straub, as camadas existentes dentro de Mr. X são atordoantes ao leitor despreparado, quando se pensa que conhece todos os desdobramentos da trama, o autor despreocupadamente retira um véu dos nossos olhos e os pequenos detalhes que a primeira vista pareciam desconexos e até passariam despercebidos se tornam claros e mais uma camada é desvendada rumo ao amago dessa aventura sombria.
   Straub após seu explosivo Ghost Story deixou a trama sobrenatural de lado para se aventurar pelos romances de mistérios, Os Crimes da Rosa Azul, Clube do Fogo do Inferno e Koko são bons exemplos dessa fase. Suas tramas tinham personagens marcantes e bastante críveis, passavam-se em cidades pequenas e tinham grandes mistérios como força motriz da narrativa. Mr. X marca sua volta ao tema paranormal que além de trazer sua inerente fluidez no gênero traz consigo toda a experiência das obras anteriores, resultando em um mosaico popular que une todos os estilos possíveis em um só tendo como amarra central o horror lovecraftiano. Para o possível leitor de Mr. X entender e saber localizar as referencias a Lovecraft é necessário ler antes O Horror de Dunwich, obra bastante importante no desenrolar do enredo além de conhecer a mitologia básica do universo dos Antigos.
    Ned Dunstan sofre de uma peculiaridade bastante macabra. Todos os seus aniversários são marcados por episódios de histeria e epilepsias, durante alguns minutos a mente de Ned deixa seu corpo e vaga pelos obscuros recônditos da alma humana, em um fluxo de dor e desespero sua mente é arrastada para cenas sangrentas de horror e morte e tem que encarar as vitimas dessa depravação através da cruel perspectiva do assassino. Ned está com a sensação bastante terrível acerca de sua mãe, um aperto no coração que faz com se decida por retornar a sua cidade natal para descobrir o que realmente está acontecendo. Em meio a flashbacks sua estória é contada já nas primeiras páginas, seus medos, suas conquistas e derrotas são dissecadas para que o leitor entenda o tipo de homem que ele é e suas ações. Deste modo inicia-se o romance com o protagonista saindo em busca de respostas, porém o que encontrará no caminho serão mais perguntas e descobrirá segredos que mudarão para sempre seu modo de ver o mundo. E mais uma vez seu aniversário se aproxima, que horrores lhe trará desta vez?
   O sobrenatural de Peter Straub é artisticamente belo e arrepiante, oferecido em pequenas doses a cada página lentamente vicia o leitor com seus calafrios repentinos e picos de adrenalina e tensão. A escrita não é crescente no sentido geral do termo, há várias pequenas situações clímax durante a obra que se passa entre o presente enigmático que e é explicado pelos grandiosos flashbacks entre capítulos. A narrativa se divide entre as percepções de Ned e a deturpada e fascinante maneira de ver o mundo de Mr. X que registra seus feitos em um diário conversando diretamente com os grandes Antigos. É um eufemismo dizer que o livro é de leitura difícil, pois a complexidade e profundidade do autor fazem de toda sua obra um completo desafio literário, porém a emoção e aprendizado que se adquire com a leitura são inesquecíveis. Mais uma grande obra de Peter Straub indicada a todos os verdadeiros fãs de terror. Boa leitura!

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras) 

7 comentários :

  1. Nossa, parece maravilhoso!!! Já estou ansiosa para ler ele. De imaginar que eu só comprei ele por que parecia interessante e tava bem barato, achei uma jóia sem saber. E você escreve maravilhosamente bem.

    ResponderExcluir
  2. Esperava bem mais desse livro, demasiadamente longo e muito aquém do excelente "Os Mortos Vivos".

    A história se alonga demais, muitas vezes sem necessidade.

    ResponderExcluir
  3. Peter Straub é assim mesmo Hélio, por isso não faz tanto sucesso com o grande público como Stephen King, bastante detalhista :) Em contrapartida adorei demais esse livro

    ResponderExcluir
  4. Então Rafa, a partir de um determinado momento o livro começa a ficar um pouco repetitivo e sem muito suspense. Claro que Straub sabe escrever muito bem e prender a atenção, mas os cenários começam a ficar meio saturados e a história passa a dar muitas voltas para chegar sempre no mesmo lugar.

    Também não simpatizei muito com o "mocinho" e nem com o vilão. No começo do livro fica-se com a impressão que o tal Mr. X é pior do que o demônio e irá promover um carnificina em cada página, mas a partir de determinado momento ele deixa a peteca cair.

    Talvez o fato de eu estar mais acostumado como estilo do mestre do horror (King) acabe me influenciando negativamente quando leio outros autores..rs

    ResponderExcluir
  5. nossa, eu odiei esse livro. como literatura é realmente engraçada rs.

    achei o livro completamente parado, a história demora muito pra se desenrolar. o MR. X que tirando a primeira ou segunda cena que aparece e faz uma carnificina básica, passa o resto do livro fazendo absolutamente nada. enfim. eu não conheço os outros livros do peter straub, mas confesso que depois dessa estreia até desanimei de ler.

    ResponderExcluir