Header Ads

Principais Séries de Livros Terror Abandonadas por Editoras Brasileiras

   No Brasil temos um grande histórico de autores de terror internacionais que tiveram apenas uma obra lançada por aqui, como Ray Russell e T. E. D. Klein; escritores famosos que hoje jazem esquecidos pelas editoras, a exemplo de Dean Koontz e F. Paul Wilson; ou pior ainda autores que nem chegaram a ser publicados aqui, como Jack Ketchum e Thomas Ligotti. Mas o ponto mais doloroso é o grande número de séries de livros de terror incompletas e abandonadas que existem no mercado. A Biblioteca do Terror compilou uma lista com as principais séries internacionais que atualmente se encaixam na descrição acima ou, como dizem as editoras, estão sem previsão de lançamento dos próximos volumes. Torça para que nenhuma que você acompanhe esteja nessa lista.  

Odd Thomas de Dean Koontz
   Odd Thomas é a série de maior sucesso de Dean Koontz. A editora Record começou a publicá-la em 2009 com Odd Thomas, no ano seguinte houve a publicação de outro livro do autor: A Noite mais Escura e o segundo volume, Odd para Sempre, só saiu no início de 2011, ano marcado por outro lançamento de Koontz: O Bom Sujeito. Os outros volumes saíram no espaço de um ano de diferença, Irmão Odd em 2012 e As Horas de Odd em 2013.

   O último lançamento de Dean Koontz no Brasil foi Seu Coração Me Pertence em 2014 e desde então a Record não fez mais nenhum pronunciamento sobre futuros lançamentos. Para completar a série ainda faltam Odd Interlude, uma novela publicada em três volumes no formato ebook, uma espécie de prefácio para o quinto volume Odd Apocalypse, seguido por Deeply Odd e Saint Odd que finaliza a saga de Odd Thomas.

Dead World de Joe McKinney
   Cidade dos Mortos de Joe McKinney foi a aposta da editora Novo Século, em meados de 2011, na época em que as histórias de zumbi estavam na moda. A Passagem de Justin Cronin, The Walking Dead: A Ascensão do Governador de Robert Kirkman e Jay Bonansinga, Apocalipse Zumbi de Alexandre Callari, Terra Morta: A Fuga de Tiago Toy, O Princípio do Fim de Manel Loureiro e Sangue Quente de Isaac Marion são exemplos de livros de temática similiar lançados no mesmo período.

   Nesse mercado inundado de livros de zumbis a obra de Joe McKinney apodreceu. Cidade dos Mortos foi originalmente lançado em 2006 e seu enredo clichê e sem profundidade não agradou aos fãs. Quatro anos depois, impulsionado pelo sucesso de The Walking Dead e o novo fôlego das histórias de mortos-vivos, o autor publicou Apocalypse of the Dead em 2010, Flesh Eaters em 2011 e Mutated em 2012. 

   Além dos romances em 2014 foi lançado Dead World Resurrection, uma coletânea com vários contos que servem de ligação entre os livros, mesmo ano em que o autor iniciou uma nova série chamada Deadlands, formada por The Plague of the Undead e The Dead Won't Die de 2015. Provavelmente a péssima recepção dos fãs brasileiros ao livro fez com que a Novo Século repensasse futuros lançamentos e seis anos após o seu lançamento, Cidade dos Mortos, praticamente caiu no esquecimento.

O Ciclo do Inimigo de F. Paul Wilson

   A série o Ciclo do Inimigo foi lançada no Brasil entre a segunda metade da década de oitenta e início dos anos noventa, formada por O Fortim de 1981; Sepulcro de 1984; O Toque Mágico de 1986; Renascido de 1993 e Represália de 1994 é um dos casos mais problemáticos já que apenas o último volume, Nightworld, não foi publicado aqui. 

   Alguns anos atrás, graças a uma iniciativa de um grupo de fãs do orkut, a Record iniciou o relançamento da série, em uma horrorosa versão pocket, com a promessa de enfim lançar Nightworld, porém as publicações cessaram em 2013 e desde então nada se ouviu sobre F. Paul Wilson. Entre outros lançamentos do autor no Brasil estão Kuroikaze: Vento Negro de 1992 e dois thrillers médicos na esteira do sucesso de Robin Cook: Os Escolhidos em 1993 e Implante em 1997.

Anno Dracula de Kim Newman
   Publicado pela editora Aleph em 2009, Anno Drácula de Kim Newman imagina um universo povoado por todos os personagens clássicos da literatura vampírica no qual Drácula vence Van Hellsing e obtém sucesso na dominação da Inglaterra. É um ótimo livro e infelizmente não há nenhuma previsão da editora sobre futuros lançamentos da série. Anno Drácula continua com The Bloody Red Baron, Dracula Cha Cha Cha, Johnny Alucard e One Thousand Monsters (cujo lançamento internacional acontecerá esse mês) além da coletânea Anno Dracula 1899 and Other Stories.

O Inimigo de Charlie Higson
   A série O Inimigo de Charlie Higson começou a ser publicada pela editora Record em 2011, com o segundo volume, O Morto, sendo lançado em 2013. Desde então a série foi completamente abandonada e isso é uma das coisas que desmotiva muitas pessoas a embarcar na leitura. A série já foi terminada pelo autor e conta com sete livros, além dos citados, temos: The Fear, The Sacrifice, The Fallen, The Hunted e The End.

Trilogia Bloodlines de Glen Duncan
   A trilogia Bloodlines de Glen Duncan começou a ser publicada pela editora Record em 2012 com O Último Lobisomem e com A Ascensão de Tallulla em 2014. Desde então não há nenhuma informação sobre o lançamento da conclusão da saga By Blood We Live.

The Omen: A Profecia
   A série A Profecia é uma das famosas novelizações de clássicos do cinema que fizeram grande sucesso no Brasil nos anos setenta e oitenta, porém a editora Record publicou apenas os três primeiros livros: A Profecia de David Seltzer em 1976, Damien: Profecia II de Joseph Howard em 1978 e Conflito Final: A Última Profecia de Gordon Mcgill em 1980. Além destes ainda existem Armageddon 2000: Omen IV e The Abomination: Omen V.

Frankenstein de Dean Koontz
   Outra série de Dean Koontz que foi abandonada, desta vez pela Editora Prumo. Foram publicados da série Frankenstein no Brasil os três primeiros volumes: O Filho Pródigo em 2010, Cidade das Trevas e Vida e Morte em 2011. Ao que tudo indica a editora deixou de existir, sua última publicação oficial no facebook é de 2013 e está repleta de comentários de leitores indignados sobre outras séries que também ficaram em aberto. Para Frankenstein ficar completa no Brasil faltam Lost Souls e The Dead Town.

Ainda existem séries mais recentes que estão com as publicações em hiato: A trilogia A Caçada de Andrew Fukuda da Intrínseca; Wayward Pines de Blake Crouch da Planeta, Ex-Heróis de Peter Clines, isso apenas para citar algumas. O que nos resta é esperar que em um futuro próximo as editoras decidam dar continuidade a essas publicações...

8 comentários:

  1. gente vcs são maravilhosos! Eu tenho alguns do Paul Wilson que amo e fiquei órfã porque a Record não publicou mais. O mesmo com Charlaine Harris que escreveu os livros que deram origem a série True blood. Eu comprei três mas a obra completa acho que são treze. Dean Kootz só tenho um...

    ResponderExcluir
  2. Sério que Anno Dracula é uma série e foi abandonada no Brasil?! Que droga, hein! Tava tão empolgada pra ler esse livro...

    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
  3. Caro Rafael, fico feliz por saber que mais gente como eu ainda aguarda continuações que provavelmente nunca serão retomadas, é um caso clássico de descaso com o leitor. Vou acrescentar mais alguns livros que aguardo ansiosamente pelo restante da série:
    1 - "Wunderkind: Uma reluzente moeda de prata" (D'Andrea G.L.) - apenas o primeiro volume da trilogia foi lançado por aqui em 2012 pela Bertrand Brasil.
    2 - "Abarat" (Clive Barker) - apenas o primeiro volume desta trilogia belíssima, com edição luxuosa cheia de ilustrações do próprio autor, foi lançado em 2002 pela Companhia das Letras.
    3 - "Boudicca" (Manda Scott) - apenas o último volume ficou de fora de um total de 4 livros. Os volumes I - Água; II - Touro e III - Cão, foram lançados todos em 2011 pela Bertrand Brasil.
    4 - "Metro" (Dmitry Glukhovsky) - apenas o primeiro volume "Metro 2033" de uma trilogia foi lançado em 2010 pela Planeta.
    5 - "As Lendas de Yelena Zaltana" (Maria V.Snyder) - apenas os dois primeiros volumes "Estudos sobre veneno" e "Estudos sobre magia" foram lançados em 2011 na versão impressa. "Estudos sobre fogo" saiu na versão digital em 2012 e os outros 3 livros restantes foram ignorados pela Harlekin.
    Estes são os que me lembro rapidamente de memória por ter gostado bastante, existem muitos outros, como o brazuca Bruno Godoi que teve sua série "O grito vermelho" iniciada em 2013 pela Novo Século e não houve continuação. Muitos autores esperam lançamento por aqui tanto nacionais quanto estrangeiros.
    Entrei em contato com cada uma das editoras citadas acima. Ou fui completamente ignorado ou recebi respostas lacônicas sem muito sentido. A vida de um leitor por aqui é bem difícil.

    ResponderExcluir
  4. Existem dois lados dessa moeda. Primeiro é a falta de interesse das editoras em dar continuidade em series de livros já que as mesmas são mais difíceis de vender a cada nova edição. Além disso, as editoras não divulgam e nem se preocupam em incentivar essas publicações, vão apenas na sorte, caso de certo, elas vão em frente até parar de dar lucro. Por outro lado, comprar os direitos autorais esta cada vez mais difícil, já que muitas editoras estrangeiras estão no perrengue, e cobram um cache exorbitante para a venda dos direitos de publicação, o que dificulta para as editoras brasileiras. É um negocio complicado e infelizmente quem paga por isso são os leitores.

    ResponderExcluir
  5. opa... lembrei de mais um:
    6 - "Wayward Pines" - apenas o primeiro volume "Pines" de uma trilogia foi lançado em 2015 pela Planeta.
    assim que for lembrando de mais vou colocando por aqui para ficar eternizado :)

    ResponderExcluir
  6. Que pena as editoras não investirem em continuações!!Tenho as duas coleções do koontz e estava esperando as continuações e AMO F.Paul Wilson, só aguardando o lançamento do último volume! Uma pena!!

    ResponderExcluir
  7. vamos continuar colocando por aqui livros que não têm continuação:
    7 - saga "Dark Swan" - apenas os volumes "Filha da tempestade" (Vol 1, lançado em 2011 pela ed.Agir) e "A rainha dos espinhos" (vol 2, lançado em 2015 pela Nova Fronteira). lá fora já existem mais dois livros.

    ResponderExcluir
  8. Creio que deveria ser colocado como uma obrigação, no sentido em que começou, agora termina! O Frankenstein acabei lendo em inglês os dois últimos, mas não é a mesma coisa. Fugindo do assunto, sem fugir, cito as séries americanas que são interrompidas sem que se dê um desfecho ao menos. Dinheiro é tudo o que importa.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.