ÚLTIMAS NOTÍCIAS

9 de outubro de 2015

Livros de Terror sobre Navios Fantasmas

   Na era das Grandes Navegações o homem lançou-se na vasta imensidão do oceano em busca de terras desconhecidas, o medo era uma companhia constante, os perigos do mar não se limitavam apenas a sua natureza revoltosa e orgulhosa, acreditava-se fielmente na existência de criaturas gigantescas em suas profundezas sombrias, em navios fantasmas liderados por espíritos vingativos que coletavam almas de marinheiros incautos, ilhas habitadas por criaturas profanas e tesouros amaldiçoados. Cada misterioso naufrágio ganhava a áurea mística de lenda, servindo como uma espécie de aviso aos navegantes, de modo que mesmo anos depois de termos conquistado e mapeado o oceano existem regiões que alimentam teorias fantásticas, como é o caso do Triangulo das Bermudas, relatos de navios fantasmas, embarcações que desapareceram sem deixar rastros e naufrágios em condições misteriosas.  A literatura serviu como uma válvula de escape para esses medos, explorando os horrores advindos das profundezas do oceano como uma espécie de exorcismo. Selecionei três livros para falar sobre o assunto: A Maldição do Titanic de Robert J. Serling, Sonho Febril de George R. R. Martin e O Último Passageiro de Manel Loureiro.


A Maldição do Titanic de Robert J. Serling
   No dia 14 de Abril de 1912 o navio Titanic colidiu com um iceberg, no que resultou em um dos maiores desastres navais da história. Muitos mistérios cercam o naufrágio do poderoso transatlântico, questionamentos que vão desde o estranho fato de nenhum oficial ter avistado a grandiosa montanha de gelo à frente até o pequeno número de botes salva-vidas à disposição. Os destroços do navio foram encontrado apenas em 1985 por uma expedição conjunta americana e francesa. Robert J. Serling se baseia na história real para criar um suspense bastante perturbador acerca dos misteriosos eventos do fatídico desastre. E se a expedição oficial que redescobriu o Titanic fosse a segunda a encontrar os destroços do navio? A Maldição do Titanic (o título original é mais chamativo: Something's Alive on the Titanic!) a estória é criada a partir da informação de que havia um possível carregamento de ouro na embarcação e uma expedição privada é organizada para resgatar a carga. O que ninguém imaginava é que talvez o Titanic e as almas que ficaram presas em sua monstruosa carcaça não quisessem ser perturbados. O resultado é um livro de início morno, sua primeira metade é escrita despretensiosamente a partir da visão científica criando um contraste gritante com o final, com a tensão se desenvolvendo lentamente e o horror se imiscuindo pelas páginas até que o sobrenatural torna a leitura inesquecivelmente assustadora. 

O Último Passageiro de Manel Loureiro
   A estória de O Último Passageiro, do autor espanhol da trilogia Apocalipse Z, gira em torno do Valkirie, uma embarcação nazista encontrada misteriosamente abandonada em meio ao oceano, seu único ocupante é um bebê em prantos perdido em meio da escuridão do salão de festas. O curioso é que todos os botes salva-vidas estavam em seus lugares e nenhum dos tripulantes e passageiros que deveriam estar à bordo foram encontrados, as acomodações foram deixadas como se tivessem sido abandonadas a poucos instantes. E isso era apenas o começo da lenda macabra do Valkirie, por mais de 70 anos sua fama de amaldiçoado cresceu, impulsionada pelos inúmeros acidentes inexplicáveis que aconteciam com aqueles ousavam por os pés em seu casco, até que um poderoso milionário compra sua carcaça e decide reformá-la, sua expectativa é recriar condições perfeitas da última viagem do navio e por fim descobrir os mistérios que envolvem a fatídica noite do desaparecimento de toda tripulação. Em O Último Passageiro, o suspense em torno da narrativa é bem conduzido, o resultado é um livro enxuto que consegue ao mesmo tempo arrancar arrepios na espinha e ser uma leitura ágil e instigante.

Sonho Febril de George R. R. Martin 
   George Martin transporta a mitologia vampírica diretamente para o meio do Rio Mississipi em pleno século XIX, no livro a questão do navio fantasma é abordada através de uma embarcação infestada de vampiros, que utilizam a rota fluvial para mascarar as mortes provenientes de sua alimentação. Publicado no início da década de 80, Sonho Febril traz muitos elementos dos romances de horror da época, entre eles o cuidadoso desenvolvimento do sobrenatural ao longo das páginas, Martin trabalha como uma precisão cirúrgica na construção da ambientação da narrativa inserindo pequenos cortes na realidade, insinuando um horror que se mostrará completamente apenas na segunda metade da estória. Sonho Febril é quando a ficção histórica se apaixona pelo horror ao mesmo tempo que flerta desavergonhadamente com a fantasia urbana.

Veja Também: 

3 comentários :

  1. Sua resenha já havia atiçado minha curiosidade para Sonho Febril, agora quero ler também esse O Último Passageiro! Parece ser muito bom!

    EntreLinhas Fantásticas

    ResponderExcluir
  2. O último passageiro está no meu reader faz um tempo. Me deu uma vontade tremenda de ler esse livros agora. Vó me jogar!

    www.vidacomplicada.com

    ResponderExcluir
  3. O último passageiro está no meu reader faz um tempo. Me deu uma vontade tremenda de ler esse livros agora. Vó me jogar!

    www.vidacomplicada.com

    ResponderExcluir