ÚLTIMAS NOTÍCIAS

9 de agosto de 2015

O Bairro da Cripta: Tomo II - Os Epitáfios de M. R. Terci


Sinopse:
   Epitáfios é o segundo tomo da série O Bairro da Cripta, uma ode ao ossuário composta por 15 contos que relocam os hórridos horrores da Era Vitoriana para as cercanias da provinciana Tebraria, no interior do Estado de São Paulo.

Opinião: 
   Da escuridão sufocante das catacumbas do Bairro da Cripta surge Os Epitáfios, a segunda embarcação de almas condenadas a atracar nos portos do horror nacional, lotada de espíritos que entre gritos e sussurros narram as malditas aventuras que lhes trouxeram a danação eterna.  Desta vez são quinze estórias que naufragadas na praia melancólica da nostalgia e do terror, sangram corações com suas canções de amores réprobos e horrores inomináveis. O Tomo II do Bairro da Cripta segue o mesmo modelo fantástico presente em As Elegias, uma narrativa poética carregada de descrições arrepiantes mesclada com o ritmo cadenciado de uma ode às trevas. M. R. Terci é um dos poucos autores que conseguem com perfeição criar o horror a partir do banal, o medo não surge apenas das visões insanas de criaturas sanguinárias que habitam o cemitério, mas também da simples reprodução do som de uma coruja à noite enquanto caminhamos sozinhos por uma estrada deserta, ou ainda a interrupção do silêncio antes do sono pelo sussurro gelado do vento através das frestas das janelas.
  As ruas de Tebraria estão assombradas esta noite, é sempre trevas no Bairro da Cripta, mas até seus moradores sentem que essa escuridão é mais negra que as outras. Quando o céu de outono não tarda a tornar-se rubro com o crepúsculo, a voz das mães ecoa chamando por seus filhos e logo portas e janelas são trancadas com mais veemência que o normal. M. R. Terci caminha solitário, ou talvez nem tanto, por essas ruas escuras e com sua pena molhada em sangue narra os sussurros dos mortos que profanam seus ouvidos. Em um desses relatos malditos, numa estrada do interior de Tebraria um motorista de ônibus decide pegar seu último passageiro da noite, um sujeito maltrapilho e malcheiroso cujos olhos são tão profundamente escavados que parecem órbitas de uma caveira. Em outro ponto poetas embriagados percorrem a imensidão do cemitério local em busca de sinistras inspirações. Não muito longe um caçador de tesouros explora o interior das catacumbas profanando a memória daqueles que desejam apenas descanso. Nas sombrias e solitárias estradas rurais um padre confronta suas crenças ao se deparar com um culto maldito diante de seus olhos. E no Bairro da Cripta, na Casa da Dor a carne humana experimenta novas utilidades na mão de uma macabra cozinheira, enquanto o mal veste a pele de uma frágil garotinha. 
   Em Os Epitáfios a grande mitologia assombrada que envolve o Bairro da Cripta ganha contornos trevosos ao se imiscuir da escuridão primal aos dias presentes. M. R. Terci com seu estilo próprio é um sopro de ar puro para os leitores de horror que buscam experiências impactantes e refinadas, que produzam a emoção mais antiga e mais forte da humanidade, o medo. Os moradores do Bairro da Cripta estão esperando apenas uma brecha na armadura de coragem do leitor, através de um susto ou um arrepio gelado, para penetrar nas profundezas de sua mente e trazer a tona seus piores pesadelos embalados pelas imagens mais assustadoras e chocantes, testando os limites de sua sanidade. Preparado para caminhar pelo Bairro da Cripta?

Nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

2 comentários :

  1. Estou certo de que a pena de Rafa Michalski bebe sangue. Em seu penejar elegante ela deixa cicatrizes assustadoras e nefastas em nossos olhos. Sombras escuras e sussurros de almas escalpeladas vazam por esses abissais e tenebrosos corredores repletos de livros malditos. Meia noite. Gosto de caminhar, prisioneiro dessas sensações, por entre as suas estantes repletas de incontáveis segredos de continentes distantes e proibidos. Gosto do cheiro desses tomos antigos e do toque sangrento de suas páginas murmurejantes. Aqui... o lume de meu lampião não pode aclarar este nicho, penso que encontrei o lugar ideal para deixar Os Epitáfios. Bem no centro de toda essa escuridão gritante de pesadelos imemoriais da incomparável Biblioteca do Terror.
    Obrigado Rafa por dar abrigo a essas velhas assombrações. M.R.Terci

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha! Tenho o primeiro na Loja... pessoal vem, olha, folheia, diz "não sei", EU DIGO "é meu livro de cabeceira", "VOU LEVAR"! hahahahaha Como disse, tenho o primeiro na Loja, esse segundo, esgotou. De fato "sopro de ar puro para os leitores do horror". Parabéns aos idealizadores do site, sou fã de carteirinha das resenhas, minha lista de compras passa por aqui, SEMPRE! Enxofre para todos, garçom!

    ResponderExcluir