ÚLTIMAS NOTÍCIAS

22 de julho de 2015

Resenha: Demon de C. Terry Cline Jr.


Sinopse:
   Um menino de quatro anos com uma rara disfunção glandular, QI de gênio e faculdades telepáticas fantásticas é o centro de uma história sobre o caso de dupla personalidade e transe psicológico. Mas no fundo, qual é a verdadeira doença de que o jovem Demon padece? Quais são as verdadeiras causas dos estranhos acessos de Demon, da exatidão surpreendente com que ele lê os pensamentos do seu médico e da crescente ameaça do seu comportamento?

Opinião:
    Demon de C. Terry Cline é um dos livros mais perturbadores e notáveis a trazer um protagonista infantil em uma trama de horror psicológico pesada, não é um livro indicado para leitores fracos, tanto pela brutalidade chocante das descrições de violência em algumas cenas como pela abordagem animalesca e profana do erotismo. Demon pode ser definido como um híbrido entre A Profecia de David Seltzer e O Exorcista de William Peter Blatty, com a diferença que o tema "possessão" é dissecado através de uma ótica científica que descarta o misticismo religioso. Terry Cline escreve com maestria conduzindo o leitor através de um intrincado labirinto psicológico, com a aplicação de pequenas doses de suspense e tensão, fazendo com que o leitor experimente uma sensação de loucura, que cresce ao longo das páginas até a explosão de horror das cenas finais.
    Demon é um garoto de quatro anos que demonstra uma introspecção e mentalidade similares a de um adulto, seus pais preocupados com sua situação decidem levá-lo a um psiquiatra, após uma exaustiva bateria de testes os resultados são impressionantes. O menino possui uma capacidade de entendimento acima da média e logo a fonte de seu QI de gênio é encontrada, ele é telepático, consegue ler os pensamentos das pessoas ao seu redor e isso contribui para seu estado emocional. O mais estranho, porém é o aparecimento de uma segunda personalidade, madura e maliciosa, que assume o controle do corpo do menino com sintomas parecidos ao de uma possessão.
    A narrativa é construída a partir das impressões do psiquiatra Kyle Burnette, sua abordagem ao caso desde o início é científica e seu primeiro diagnóstico é uma disfunção glandular cujos efeitos atingem o cerne psicológico de Demon causando  alterações em sua voz, rompantes de fúria e também explica sua força acima do normal. Quando as manifestações da segunda personalidade de Demon começam a aumentar não apenas seu estado psicológico é afetado, mas também seu corpo que passa a sofrer um acelerado amadurecimento sexual que culmina no aparecimento de pelos em seu corpo, um desenvolvimento exacerbado de seus órgãos genitais e um  irrefreável desejo sexual. Começa então a desesperada batalha dos psiquiatras em busca de uma cura para o pobre Demon, a cada dia sua personalidade sofre grandes alterações e o inocente menino das páginas iniciais se transforma em um pervertido degenerado que vai contra a todos os parâmetros da Criação.
   Durante a leitura alguns pontos me perturbaram,  como a facilidade com que os psiquiatras aceitaram o fato inacreditável e fantástico de que Demon pode ler mentes e pequenas incongruências ao longo do texto que faziam a estória perder sua plausibilidade, deixando grandes lacunas na questão das motivações de determinados personagens. Mesmo assim a escrita de Terry Cline conseguia suprir esses defeitos aproveitando-se do elemento surpresa, quando menos  esperava era surpreendido por cenas de extrema violência, sem falar que os diálogos entre os psiquiatras foi bem estruturado e explicativo. Mas a grande realização do autor está no modo como insere a semente dúvida na mente do leitor sobre a veracidade dos acontecimentos, com a precisão de um cirurgião questiona se toda a estória não passa de delírios de uma mente insana e doente ou se realmente estamos diante de uma  manifestação do sobrenatural. Eis que então chegam as páginas finais e a atordoante conclusão. Nunca antes tinha encontrado um final tão arrebatador na construção de suas idéias, fui obrigado a reler as últimas páginas mais de três vezes para testar a minha teoria do segredo por trás de Demon, mas mesmo assim fiquei com a impressão de que existem outras interpretações. 
   O final de Terry Cline foi fantástico! De um momento para o outro todas as incoerências passaram a fazer sentido e a conclusão que se tira é de explodir a cabeça. Talvez o final de livro de terror que mais me surpreendeu em todos esses anos de estrada, fiquei muito tempo após a leitura pensando no seu significado, um verdadeiro exercício dos limites que um bom suspense psicológico ultrapassa para afetar o leitor. A dualidade ciência e sobrenatural é bem descrita e a influência que ambas percepções da realidade afetam na construção das personalidades de Demon é magnífica, colocando-o como um dos personagens mais aterrorizantes da literatura de horror dos anos setenta. O livro é contra indicado para aqueles leitores casuais de livros de terror, não tanto pela violência, mas pela mensagem por trás da história, apenas os fãs de verdade conseguem aguentar as incríveis revelações sem perder a sanidade. 


Nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

8 comentários :

  1. Mais um para minha lista de compras !

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, Rafa.
    Parabéns pelo blog !
    Sou novo aqui, mas já virei assíduo. Vez ou outra, estou aqui, pescando dicas de leitura e lendo suas resenhas. Adoro literatura em geral, mas essencialmente a de suspense e terror. Também sou cinéfilo de carteirinha.

    Fiquei super curioso para ler "Demon".
    Já tinha ouvido falar nele através do Skoob. E gostei de sua resenha. Deu mais vontade ainda de ler o livro. Quem sabe nesse final de inverno. Gosto de livros assim, capazes de tirar o leitor de sua zona de conforto nas páginas finais.
    Já estou encomendando o meu.

    Ao amigo acima que perguntou, sim, foi lançado no Brasil, em 1975, pela Editora Record. Ainda se encontra à venda, com preços acessíveis, na Estante Virtual.

    Obs.: Achei curiosa a "tradução" do título original, que é nome próprio, afinal, é o nome do protagonista, de Damon para o oportuno "Demon". Mas talvez tenha a ver com a estória.

    ResponderExcluir
  3. Isso mesmo a edição nacional é da década de setenta, meu exemplar foi restaurado com capa dura e no processo a capa perdeu-se então por isso não a digitalizei como nos outros casos. Obrigado pelo comentário Jair! Também adoro filmes de terror dos anos oitenta, grande parte das pesquisas de livros de terror esquecidos faço através dos filmes, naquela época novelizações e livros que inspiraram determinados filmes faziam bastante sucesso. Foi assim que acabei encontrando A Sentinela de Jeffrey Konvitz através de sua adaptação A Sentinela dos Malditos.
    Quanto a tradução tenho duas teorias, a primeira é que pela época para abranger um público maior sem conhecimento da lingua inglesa tentaram uma tradução que se adapta-se mais a fonética do nome, Demon ou quem sabe para fazer uma ligação com o Demonio já que é um livro que trata de possessão, possivelmente a segunda opção acredito.

    ResponderExcluir
  4. Meu exemplar chegou hoje, vamos lá .

    ResponderExcluir
  5. oi Andre onde comprou seu livro ? procurei para baixar em pdf mas não encontrei.

    ResponderExcluir
  6. Willian, vc não perguntou pra mim, mas também comprei, então respondo,rsrs.
    Comprei o meu na Estante Virtual. Paguei 7,90R$ e está em perfeito estado. Dê uma olhada lá. Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Incrível sua capacidade de nos provocar a comprar e ler os livros de suas resenhas Rafa! É a primeira resenha sua que leio depois de uns tempos sem andar por aqui e já estou caçando o livro na estante virtual... rsrs Realmente o livro parece ser super interessante e seu "aviso" aos leitores casuais só me atiçou mais. Não vejo a hora de descobrir o que tanto te intrigou no final do livro.

    ResponderExcluir