ÚLTIMAS NOTÍCIAS

13 de junho de 2015

Uma Sombra Passou Por Aqui (The Illustrated Man) de Ray Bradbury

Sinopse:
   Foguetes, pessoas, fontes, caminhos, cidades, flores, planícies, montanhas, estrelas - enfim, um universo em miniatura. Os detalhes e as cores eram tão vívidos que se podia até distinguir vozes e sons abafados, meio indistintos, murmurando em meio àquele fantástico emaranhado das mais belas cenas do universo. E, se observada por alguns minutos, cada ilustração "contava" uma história. Estava tudo ali, esperando apenas que alguém olhasse. Mas havia um lugar especial em suas costas que estava vazio. Não havia nenhuma ilustração tatuada lá. Quem olhasse para aquele ponto veria seu futuro e a sua morte...

Opinião:
   Era uma tarde quente quando o viajante avistou a estranha silhueta de um homem no horizonte,  que apesar do calor  estava coberto por uma pesada blusa de lã motivo essa das riscas de suor cobriam-lhe o rosto. Convidado a se sentar para uma refeição, o estranho começou a relatar sua história, mas não antes de revelar o segredo por baixo de suas roupas, seu corpo era completamente ilustrado com tatuagens dos mais diversos motivos. A cada movimento fluído de seu corpo as figuras pareciam ganhar vida. Uma mente fugaz poderia perder horas admirando aqueles desenhos, cada figura parecia concorrer com a outra em beleza e a sensação de terceira dimensão que causavam era tão poderosa que chegava a dar vertigens. Seu corpo era uma obra de arte viva.
  A história do Homem Ilustrado começa com o acidente que sofreu quando trabalhava em um espetáculo de variedades, como forma de distração para os meses de cama decidiu fazer uma tatuagem na feira. O cartaz que lhe chamou a atenção dizia: "ILUSTRAÇÕES NA PELE!", sua surpresa começou com a estranha figura que lhe atendeu, uma pequena mulher que parecia ter mais de mil anos de idade, mas quando captada com o canto dos olhos não aparentava ter mais de vinte. Ela lhe segredou que era uma feiticeira do futuro, ele apenas riu e concordou. O  resto da noite se fragmentou em sonho onírico em que ele sentiu seu corpo ser aferroado por milhares de abelhas e vespas. Quando acordou seu corpo estava coberto por ilustrações, muitas delas desenhos extremamente violentos.
   Cada ilustração conta uma pequena história. Se olhar por alguns minutos elas começarão a se movimentar e lhe contarão seus segredos, você ouvirá vozes e pensamentos. Há todo um mundo de sonhos perdidos e esperanças dementes cortejados por uma  sensação de desespero. Tudo esperando apenas que você olhe, mas cuidado, pois há uma pequena parte nas costas do Homem Ilustrado que não possui nenhum desenho em especial, apenas uma confusão de linhas tortas sem direção. Se você passar algum tempo com ele, elas começam a se misturar e formar uma nova figura, em uma hora lhe mostrarão toda sua vida até o momento exato em que morrerá. É essa a premissa de coleção de contos Uma Sombra passou por Aqui de Ray Bradbury (The Illustrated Man, no original).
  Ray Bradbury é um dos maiores escritores de todos os tempos, sua influência atravessa gerações através de nomes de como Stephen King, Neil Gaiman e Clive Barker, suas obras permeiam diversos gêneros, peculiaridade que pode ser explicada por seus autores favoritos que iam desde Edgar Allan Poe a Julio Verne, The Illustrated Man é o reflexo eclético da mistura entre ficção-científica e horror. O resultado são 18 contos instigantes que se alteram entre o bom e o ótimo, sendo alguns marcadamente clássicos. O livro foi escrito em 1951 e demorou quase vinte anos para ser traduzido no Brasil, impulsionado pelo filme de 1969,  Uma Sombra passou por Aqui de Jack Smight, protagonizado por Rod Steiger, que traz a adaptação de três das histórias presentes no livro.
  A principal influência de The Illustrated Man é notadamente na obra de Clive Barker, Os Livros de Sangue não existiram sem o Homem Ilustrado. Bradbury diferente de seus contemporâneos na literatura de ficção cientifica, preferia antes a ficção que a própria coesão científica, não é estranho em suas histórias seres humanos respirando normalmente na atmosfera de Vênus ou Marte, por exemplo, seus pensamentos sempre foram voltados para o interior humano, suas emoções e pensamentos, em como reagiria a mente humana em situações que desafiassem o misticismo das suas crenças e a influência da tecnologia na sociedade. Dentre os contos presentes no livro, se destacam como clássicos:
   Em A Estepe Africana um casal compra um quarto para seus filhos onde os frutos de sua imaginação ganham vida através de paredes holográficas, porém começam a ficar preocupados quando as imagens começam a ser tornam extremamente sombrias. Caleidoscópio é uma história envolvente e emocionante sobre um grupo de astronautas que flutuam no espaço após a destruição da sua nave, o foco é em seus últimos minutos de vida e as considerações finais que surgem de seus diálogos.
   A Grande Chuva se passa em Vênus, um planeta constantemente açoitado por uma forte e interminável chuva, onde os seres humanos em uma forma rudimentar de colonização construíram grandes "cúpulas sóis". Um grupo de homens atravessa as florestas e planícies devastadas pela chuva em busca de abrigo, a sensação de desolação e solidão faz com que a loucura se infiltre lentamente em suas mentes. É uma história bastante claustrofóbica sobre a esperança. A Última Noite apresenta uma indagação curiosa, o que você faria se descobrisse que hoje será a última noite de sua vida? Já Os Expatriados é uma história fantástica em que autores como Edgar Allan Poe, Ambrose Bierce e Algernoon Blackwood, não morreram e vivem em exílio em Marte. Sua existência está diretamente ligada a suas obras na Terra. Seus problemas começam quando a sociedade de Fahrenheit 451 começa a tomar forma.
   Em O Visitante, Marte é utilizado como um planeta depósito para pessoas que adquiram a ferrugem sangrenta, uma doença mortal. A vida de todos mudam com a chegada de um visitante com poderes telecinéticos. Marionetes S.A. é provavelmente o melhor conto da antologia. Um homem após anos sofrendo com um casamento baseado na chantagem decide fazer a viagem de seus sonhos sozinho, mas sua esposa não pode nem saber que esse pensamento passou por sua cabeça, para isso ele contrata a Marionetes S.A., empresa especializada na construção de robôs que são réplicas exatas de seus compradores. Lógico que tudo sai terrivelmente errado. Em Zero Hora as crianças por todo o país estão viciadas em jogo emocionante conhecido como Invasão, os pequenos passavam horas entretidos em espécies de formações de batalha que divertiam os pais. Isto é, até a verdadeira invasão começar.
  The Illustrated Man termina com um epílogo chocante que concluí de maneira fantástica a história do Homem Ilustrado, mesmo recurso que Clive Barker utilizou nos Livros de Sangue. O legado de Bradbury vive até hoje, uma nova adaptação cinematográfica do livro está em produção, que será dirigida por Zack Snyder e roteirizada por Alex Tse, responsável pelo roteiro de Watchmen.  O conto Zero Hora serviu de inspiração para a série que estreou esse mês nos Estados Unidos, The Whispers que conta com produção de Soo Hugh e Steven SpielbergEstá esperando o que para ler?

Nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (9/10 Caveiras)

2 comentários :

  1. Fiquei muito interessado nestes contos ! As premissas são bem instigantes.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Viu só? Quando eu digo que você é o oráculo do terror não estou exagerando. Man, vou atrás desse livro agora mesmo, já li uns trechos e, de fato, é nítido que influenciou Barker. Valeu por trazê-lo à tona.

    ResponderExcluir