ÚLTIMAS NOTÍCIAS

22 de dezembro de 2014

Arquivos Serial Killers: Louco ou Cruel? de Ilana Casoy

Sinopse:
   Primeira coletânea sobre serial killers elaborada por uma escritora brasileira. Este livro é composto por duas partes. Na primeira são expostas informações e características psicológicas e físicas sobre os serial killers. Na segunda, casos reais clássicos de assassinos seriais internacionais.

Opinião:
   Desde os primórdios da humanidade o mal sempre é um conceito amplamente discutido, o homem como único ser que mata a própria espécie por prazer é um dos pilares das discussões, será que a bondade é mesmo um "artigo de fábrica" presente em todos? O que leva uma pessoa a assassinar um ser igual a ela? E a continuar matando metódica e cruelmente até que alguém consiga por um fim em seu ciclo mortal? Serial Killers: Louco ou Cruel é um mergulho insano no mundo dos psicopatas, um vislumbre da mácula que corrói suas mentes criando espaço para a fera enjaulada da animalidade humana se expressar. Não é um livro para pessoas fracas e altamente impressionáveis, descrições chocantes de mutilações, desmembramentos, estupros e torturas sádicas emplastam as páginas de sangue. Talvez o mais chocante seja o relato do próprio assassino, que disseca seus atos com a calma de uma mente tão fria que é um sopro de horror no coração do leitor. 
     Iliana Casoy para escrever Serial Killers: Louco ou Cruel, seu primeiro livro, realizou uma extensa pesquisa nos arquivos policiais do FBI e Scotland Yard além de procurar embasamento na grande estante de obras sobre os assassinos seriais existente. Mórbido ou não, o tema sempre foi sinônimo de vendagens, desde a época que os pasquins se lambuzavam na trilha pútrida de Jack, O Estripador, e investigadores e assassinos sempre souberam aproveitar bem a fama macabra de seus atos.  Serial Killers: Louco ou Cruel é dividido em duas partes importantes, a primeira é contém a definição do que é um serial killer, motivações, mitos e crenças, curiosidades sobre todo o processo de investigação e criação de um perfil criminal. É uma leitura interessante para quem não conhece o tema que se familiarizará com todas as definições e linguajar deste mundo, para  leitores mais experientes a uma primeira vista pode parecer uma parte desnecessária, mas lendo com um pouco mais de atenção é possível aprender muita coisa com a explicação da autora. 
   A segunda parte é uma dissecação 16 casos de serial killers que chocaram e marcaram o século XX. É curioso como há uma grande diferença entre a literatura e a realidade, nos livros sempre há um investigador durão que consegue capturar o criminoso através de sua própria perspicácia mas na vida real tudo é diferente. A maioria dos serial killers possui um QI acima da média e cometem seus crimes com uma excelência que beira ao sobrenatural, em muitos casos só foram pegos por sua ganância mortal que os acaba denunciando, a polícia por mais inteligente que seja precisa contar com a sorte para encontrar o assassino com rapidez. E muitas vezes crimes jamais são resolvidos, como é caso dos célebres Jack, O Estripador, O Zodíaco e O Monstro de Florença. São monstros assustadores mas familiares que serviram de inspiração para personagens como Hannibal, Norman Bates, Leatherface, Bufallo Bill e muitos outros pesadelos que povoam o cinema e a literatura. Um livro indicado com reservas. Para finalizar a frase mais famosa de Ted Bundy, que ficou conhecido como o "Picasso" dos assassinos em série: "Nós, serial killers, somos seus filhos, seus maridos, estamos em toda a parte. E haverá mais de suas crianças mortas amanhã. Vocês sentirão o último suspiro deixando seus corpos. Vocês estarão olhando dentro de seus olhos. Uma pessoa nessa situação é Deus!..." 

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

Postar um comentário