ÚLTIMAS NOTÍCIAS

3 de outubro de 2014

Resenha: Mausoléu de Duda Falcão

Sinopse:
   O Anfitrião apresenta Mausoléu de Duda Falcão: “Seja bem-vindo, leitor incauto! Eu sou O Anfitrião! Fico muito contente que você tenha chegado até aqui para conhecer a arquitetura do my master! Nesta obra sepulcral sua ótica humana será ofuscada por visões grotescas. Folheie as próximas páginas... Abra a porta e entre na cripta dos insanos. Durma na pedra fria do Mausoléu e tenha pesadelos eternos, he, he, he, he”. 336 páginas de horror com bruxas, zumbis, lobisomens, vampiros, fantasmas, alienígenas e monstros bizarros!!!

Opinião:
    Mausoléu é o tipo de livro feito para os leitores incautos que buscam histórias de terror para conhecer o gênero e testar seus nervos com relatos assustadores, o que acabam encontrando uma dose cavalar de horror que vai, ou causar uma overdose e explodir a cabeça do leitor ou viciar irremediavelmente em livros de terror, um vicio tão terrível que te transformará em um zumbi em busca de livros para saciar a sede, um lobisomem que nas noites anteriores ao lançamento do autor favorito se transformará em uma criatura sanguinária para conseguir o exemplar desejado, um vampiro com o desejo de abraçar a eternidade para ter tempo o suficiente para desmembrar os autores do gênero... Mausoléu é um banquete para os fãs de horror que encontrarão todos os tipos de preciosidades e especiarias que o gênero pode produzir.
   Duda Falcão mostra todo seu virtuosismo nos contos que fazem parte de Mausoléu, formado por histórias que produziu para outras coletâneas temáticas e alguns que ainda não haviam publicados. São contos que possuem como protagonistas lobisomens, vampiros, zumbis, fantasmas, bruxas, alienígenas, monstros em cenários distópicos, espíritos demoníacos, seres cujo simples vislumbre de sua sombra leva a loucura e a velha crueldade humana, mais assustador que qualquer outra criatura, o homem surge como principal fonte de maldade nas histórias e esse caráter real é o mais assustador. O tipo de leitura nostálgica que consegue alcançar todos os medos infantis de que o leitor possa lembrar, além de material interessante para novos horrores. A escrita do autor é leve, variando contos curtos que agem como uma picada de abelha inchando na mente do leitor após o fim e histórias mais longas que são bem aproveitadas na arte de causar calafrios. Há também uma grande homenagem aos mestres do horror clássico como Edgar Allan Poe, recontando e recriando situações baseadas em seus personagens.
    Mausoléu é extremamente indicado para os fãs de terror que adoram o gênero em todas as suas manifestações, desde a narrativa clássica com alguns sustos esparsos até o horror mais moderno, com cenas gore que causam calafrios. Meus contos favoritos são Mausoléu, um homem descobre antigos segredos em um cemitério; Antigos, uma jornada em um mundo pós-apocalíptico em busca do conhecimento dos antigos, o final é espetacular; Fantasmas do Tempo, a viagem temporal foi dominada pelos seres humanos, porém apenas os servos da Igreja Temporal podem desfrutar desta dádiva divina; Sem Lembranças Daquele Inverno; Desfile, um estranho circo chega a uma pequena cidade e suas atrações macabras encantam o povo; Máscaras, a história de uma banda de rock e seu sucesso; Missa Negra, uma grandiosa história sobre bruxas... Duda Falcão escreveu um dos melhores livros de contos de terror nacional, leitura obrigatória para o leitor de brasileiro, mostrando que os escritores do país também conseguem produzir ficção de qualidade, mais um autor para se acompanhar de perto.

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

Um comentário :

  1. Nossa! Um nacional conseguiu causar isso num leitor extremo do gênero como você! Mas o que que é isso!!! Eu fiquei, sabe, sem palavras. E com vontade de procurar por esse livro, comprá-lo e parar tudo só pra ele, pra poder sentir semelhantes do que você sentiu, e virar o zumbi que você citou, em busca cruel por outros tantos livros de terror! Parabéns.

    Gabryel Fellipe e algo - Confins Literários

    ResponderExcluir