ÚLTIMAS NOTÍCIAS

16 de setembro de 2014

Resenha: Noir Americano de Peter Haining


Sinopse:
   Ao longo dos anos 90, estimulado pelo desconcertante Pulp Fiction, o filme de Quentin Tarantino, o mercado editorial não economizou papel para incrementar ainda mais o revival da literatura noir. Entre as dezenas de coletâneas publicadas à época, este volume é o mais completo e abrangente.

Opinião:
  A Coleção Negra é referência para os fãs de literatura policial no Brasil, responsável por traduções e novas edições de obras clássicas e inserção de grandes nomes desconhecidos do grande público, como por exemplo, Jeffery Deaver, Peter Robinson, James Ellroy, Ed McBain... São mais de quinze anos de publicações que contém material de leitura para uma vida inteira. O primeiro título lançado da Coleção foi Noir Americano, uma antologia de contos editados por Peter Haining que cobrem mais de setenta e cinco anos de produção de autores de suspense policial, traçando um grandioso mosaico que mostra as evoluções e mudanças de temas que ocorreram ao longo do tempo, as histórias sempre acompanhando as organizações sociais vigentes, cada evento real possuía um reflexo significativo na ficção e às vezes até o contrário poderia acontecer.
   Noir Americano é sem sombra de dúvidas a melhor compilação de contos policiais já publicada no Brasil, assinam as histórias nomes como Raymond Chandler, Dashiell Hammett, James Ellroy, Elmore Leonard, Ed McBain, Cornell Woolrich, James M. Cain, Jim Thompson e até Stephen King e Quentin Tarantino. O livro é dividido em três partes cada uma abordando uma abordagem diferente de um mesmo tema, a violência e o crime, ao longo dos anos os protagonistas variavam desde os heróis mais intrépidos aos antagonistas mais cruéis, aos policiais mais justos e altruístas e os mais corruptos e podres servidores que a lei possuía, gângsteres e mafiosos começam a explodir na literatura e até os bandidos passaram a ser analisados por outra ótica. São essas mudanças que Peter Haining calorosamente comenta no inicio de cada conto, situando o autor em seu próprio tempo dando assim uma dimensão maior sobre o efeito que a história causou ao ser publicada na época.

Parte I: Detetives Durões: Casos de Detetives Particulares:
   Os primeiros seis contos de Noir Americano possuem como protagonista os detetives durões, aqueles que enfrentam os bandidos e até mesmo a policia para garantir o bem estar do seu cliente, muitas vezes os próprios podem não estar do lado da lei dependendo das ações de seus contratantes. As primeiras histórias de detetives tinham como protagonistas ex-policiais que buscavam redenção de alguma grande derrocada em sua carreira como servidores da lei, mais tarde passaram a serem representados por grandes antagonistas e ao contrário do tradicional, detetives inteligentes com raciocínio aguçado, os autores começaram a retratá-los de maneira mais real, imperfeitos e problemáticos se tornam o reflexo da sociedade que os produziu.
  A primeira parte é formada pelos seguintes contos: Canção Tórrida de James Ellroy, O Feitiço do Egito de Carrol John Daly, Incêndio Criminoso e mais alguma coisa... de Dashiell Hammet, O homem que gostava de cães de Raymond Chandler, A cabeça do morto de Robert Leslie Bellem e A andorinha cantora de Ross Macdonald.

Parte II: Tiras e Agentes: Histórias de Homens da Lei:
   Os policiais sempre foram o eixo central das histórias do gênero, valorosos servos da lei que garantem o seu cumprimento e a manutenção da segurança. Essa era a antiga visão que os romances oitocentistas traziam. A partir da década de vinte, começaram a surgir histórias em que os bandidos eram maus, porém os verdadeiros vilões eram os lobos vestindo peles de coelhos, os policiais corruptos, outros temas também passaram a te grande influência nas tramas como, por exemplo, a política. Porém nem todos perderam seu caráter, alguns conservam ainda a dureza e integridade da profissão, ao longo do tempo deixaram de ser apenas protagonistas bonzinhos que ao final do dia prendiam os bandidos, para se tornarem mais realistas e humanos, as vezes as coisas funcionavam direito e tudo dava certo, mas em outras... A questão é que o policial acabou se tornando mais humano, sujeito a falhas, perseguido pela indecisão e pelo medo além de enfrentar dilemas morais com a mesma postura que cada leitor teria se estivesse vivenciando em sua pele.
   Os contos que formam a segunda parte são: A Caçada a Hemingway de Mackinlay Kantor, Morte de Pé de Cornell Woolrich, Bom Trabalho de Peter Cheyney, A dama diz morra! de Mickey Spillane, Registro de Acidente de Ed McBain e Saideira de Elmore Leonard.

Parte III: Gângsteres: Contos da Fraternidade Criminal:
    Um dos maiores resultados que o sucesso de O Poderoso Chefão de Mario Puzzo alcançou foi tornar popular os romances policiais contados através da ótica do bandido, os leitores queriam ler mais sobre como funcionava as organizações de gângsteres e mafiosos, ao mesmo tempo em que em outra linha narrativa Jim Thompson explorava o lado psicológico da mente criminosa, até quando um sujeito cativante conseguia atrair a simpatia do leitor para com seus crimes, através de dois grandes romances: O Assassino Dentro de Mim e 1280 Almas. O resultado disso repercute até hoje nas séries policiais em que os protagonistas são anti-heróis, mocinhos com atitudes politicamente incorretas como, por exemplo, os livros da série Dexter de Jeff Lindsay e os da Trilogia de Dark de Anthony Zuiker. A meu ver, os melhores contos estão do livro estão aqui.
   A terceira parte é formada pelas histórias: A Carona de W. R. Burnett, Pastoral de James M. Cain, O Círculo Mortal de Samuel Fuller, Pense Nisso de James Hadley Chase, Um Cadáver Metido a Esperto de David Goodis, Dinheiro Fácil de Jim Thompson, O Quinto Pedaço (Também conhecido como A Quinta Quarta Parte) de Stephen King e O Relógio de Quentin Tarantino.

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

Um comentário :

  1. Tenho uma relação de amor e ódio com este gênero por que eu geralmente ou gosto bastante das histórias ou acho muito chatas, tediosas e previsíveis. Mas essa compilação me parece bastante interessante. Fiquei curiosa com alguns títulos.

    ResponderExcluir