ÚLTIMAS NOTÍCIAS

28 de maio de 2014

Resenha: Seu Coração Me Pertence de Dean Koontz


Sinopse:
   Aos 34 anos, o bem-sucedido empresário Ryan Perry descobre sofrer de uma grave doença cardíaca. Sua única chance é um transplante de coração, mas o tempo é curto. Desesperado, ele não mede esforços para conseguir o novo órgão e, com o auxílio de um novo cardiologista, encontra um doador. Entretanto, um ano depois, Ryan começa a vivenciar uma série de estranhos eventos: sonhos excêntricos, vultos inexplicáveis, presentes bizarros e um vídeo de uma cirurgia com a arrepiante mensagem: “Seu coração me pertence.” De uma dádiva, o coração de Ryan se torna uma maldição.

Opinião:
   Seu Coração Me Pertence é um livro indicado apenas para quem já conhece Dean Koontz e sua obra, pois apenas assim o leitor sentirá a diferença na profundidade da trama e a maneira como os personagens são criados e conduzidos. Diferente de seus romances sobrenaturais e dos thrillers mais atuais, o livro se destaca por ser um drama psicológico altamente consistente, que traz consigo uma reflexão sobre a vida e a morte e como somos reféns dos hábitos diários. Koontz consegue descrever todo o medo e a paranoia que advém da descoberta de que a morte está próxima e a aflição e desespero de um paciente desenganado pelos médicos, de uma maneira pessoal, induzindo o leitor a sentir na pele o sofrimento do protagonista.
   Ryan Perry é um desenvolvedor de softwares que conseguiu alcançar êxito na carreira através da criação do Be2Do, um site de relacionamentos que se tornou bastante popular. Amante inveterado do mar divide seu tempo entre o surfe e exercícios sendo dono de uma forma física exemplar. Sua vida é um eterno dia ensolarado de verão. Isto é, até uma nuvem de dor surgir para obscurecer o seu horizonte e trazer escuridão para sua vida. Sofrendo de acessos de pânico que tragavam seu coração em uma espiral de horror desenfreado Ryan se descobre como portador de hipertrofia cardíaca no qual o seu coração cresceu em massa e decaiu em potencia, seu diagnostico foi apenas um ano de vida ou um transplante como solução final.
  Porém na fila de espera os necessitados são mais numerosos que os doadores, além de que questões como compatibilidade sanguínea também pesam na balança na hora da escolha. Ryan não consegue imaginar como adquiriu a doença, envenenamento é a causa mais provável de modo que para descobrir a verdade passa a desconfiar de tudo e de todos, é quando os barulhos estranhos começam a ocorrer, a paranoia se infiltra aos poucos pelas fendas na sua personalidade que a convivência com a sombra da morte produz, e a realidade se desfaz em pequenos pedaços de desespero.
   Diferente dos lançamentos nacionais mais recentes de Dean Koontz, como O Bom Sujeito, A Noite Mais Escura do Ano e Velocidade, a trama de Seu Coração Me Pertence é mais aprofundada e detalhista, a leitura como sempre é ágil, mas há uma sutil diferença em como a história se desenrola, como por exemplo, a profundidade dos protagonistas, o suspense é desenvolvido lentamente, a fogo brando, durante a maior parte do livro para irromper em um misto de tensão nas páginas finais. É um livro bom, mas não supera os rompantes criativos de Koontz no seu auge na década de oitenta e noventa como A Casa do Mal, Meia-Noite, Esconderijo e Lágrimas do Dragão, uma leitura que leva a uma reflexão sobre o modo com vemos à vida. Indicado aos fãs de Dean Koontz e de um bom suspense psicológico. Boa Leitura!

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠ (8/10 Caveiras)

2 comentários :

  1. Não conhecia o livro e já anotei aqui.
    Gostei da capa e da resenha. Bem bacana mesmo!!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Caro, Rafa. Me perdoe pelo que vou dizer, mas sou um leitor de Dean Koontz há muitos anos, pelo menos vinte anos, e de todos os livros que eu já li desse que já foi o meu autor preferido por anos, até agora não entendi o lançamento desse livro no Brasil, sendo que existem dezenas de títulos que poderiam ser lançados por aqui. Realmente, fiquei surpreso pelos editores terem escolhido essa, que na minha opinião, é a pior obra de Dean Koontz. Nesse livro, temos um escritor que parece sem rumo, com uma idéia muito boa, mas extremamente mal executada, inclusive em seu final. Realmente, gostaria de ver no Brasil obras como Twilight Eyes, Sole Survivor, a série Frankenstein, a série de Cristopher Snow, mesmo ainda não tendo sido terminada, The Face e muitas, mas muitas outras ainda inéditas por aqui. Ao invés disso, vejo apenas obras medianas a mediocres, como essa série Odd Thomas que em nada acrescentou na vida deste grande escritor [a não ser os milhares de dólares na conta do DK, claro]. Mas, claro, isso tudo é apenas minha opinião!! Abraços e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir