ÚLTIMAS NOTÍCIAS

13 de maio de 2014

Resenha: Misery - Louca Obsessão de Stephen King


"Além da capacidade de aterrorizar os leitores, King tem um entendimento profundo sobre o próprio ato de escrever. Nós nos deliciamos com seu virtuosismo." - Washington Post

Sinopse:
   Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho. A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegarão ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, em Misery – Louca obsessão, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.

Opinião:
   Misery - Louca Obsessão é o mais profundo e denso horror psicológico de Stephen King, saindo da temática sobrenatural o livro busca inspiração na loucura e maldade humana, o resultado é uma história assustadora, com cenas em que a tensão e o desespero se entrelaçam de uma maneira tão intrínseca que a leitura é chocante e angustiante. Sua publicação original ocorreu em 1987 e era para ser mais um dos livros de Bachman, porém como o pseudônimo de King foi descoberto antes da publicação acabou que não faria sentido lançar Misery através desse nome. No Brasil foi lançado pela extinta Editora Francisco Alves, através do selo Mestres do Horror e da Fantasia no final da década de oitenta com o nome de Angústia e até o presente lançamento era tido como uma das obras raras de Stephen King em solo nacional.
   Stephen King conseguiu traduzir em palavras toda a maldade do lado escuro da alma das pessoas, o amor excessivo que se transforma em obsessão e a loucura que nasce da admiração sem limites. O protagonista de Misery, como muitos das obras do King, é um escritor que após um trágico acidente se descobre preso a uma cama na casa de uma desconhecida que se identifica como sua fã número um. O livro se inicia em meio a uma parada cardíaca de Paul Sheldon, com a mente nublada pela dor e pelos remédios ele tenta entender o que está acontecendo, sentindo seu corpo se tornar mais leve a cada segundo seu primeiro vislumbre do inferno aparece quando o rosto de uma adorável senhora aparece em seu campo de visão. Com o hálito fétido invadindo seu corpo, a ressuscitação se torna algo desagradável, a fuga da dor que corroía suas pernas torna-se impossível e o retorno à realidade é inevitável.
    Annie Wilkes é uma das vilãs mais criativas e cruéis de Stephen King, compara-se em maldade a Pennywise e o próprio Randall Flagg, a construção de sua personalidade distorcida é bastante detalhada, King constrói um monstro em uma fachada familiar, a gentil senhora de meia idade que esconde atrás de seus olhos caridosos uma psicopata violenta e sádica. Misery é o nome da protagonista de uma série de livros escritos para o público feminino, que misturam cenas de erotismo vitoriano a um romance histórico, escritas por Paul Sheldon que em seu ultimo lançamento "O Filho de Misery" decidiu matar sua criação. A morte de sua amada personagem favorita deixou Annie mais desequilibrada ainda e a mão do destino trouxe o escritor debilitado direto em sua porta, ela irá se aproveitar dessa chance.
   Honestamente acredito que Misery nasceu em meio aos pesadelos e pensamentos mais profundos de Stephen King, não são poucas as cartas que ele recebe mensalmente de fãs, elogiando e criticando sua obra das mais diversas maneiras. Porém há aquelas cartas assustadoras de pessoas perturbadas que se sentem tocadas pessoalmente com a morte de determinado personagem ou final inconclusivo. Na época King ainda não tinha escrito o final da Torre Negra, mas imagine o volume de reclamações que recebeu por aquele final surpreendente? E as mortes desnecessárias? Como sempre digo os livros do mestre transmitem a dualidade perfeita entre amor e ódio. Misery não é um caso diferente. Ao mesmo tempo em que se aprofunda na mente psicopata de um fã obsessivo King discorre sobre o processo criativo que envolve a escrita e a criatividade.
    Misery foi finalista do World Fantasy Award de 1988, ao lado de A Trama da Maldade de Clive Barker e do ganhador Revivente de Ken Grimwood, além de ser o vencedor da primeira edição do Bram Stoker Awards, na categoria melhor romance, empatando com Swan Song de Robert McCammon. A primeira tradução da Editora Francisco Alves foi chamada de Angustia e a nova Misery – Louca Obsessão mantém o título original e adiciona o subtítulo da adaptação cinematográfica, filme no qual Kathy Bates foi magnifica no papel de Annie Wilkes ganhando um Oscar e Globo de Ouro como melhor atriz por sua atuação. A nova edição publicada pela Suma De Letras possui uma nova tradução que melhora a fluidez o texto, além do formato das fontes, que possuem diferenciação entre o texto normal e o datilografado por Paul Sheldon, e a coloração das páginas que torna a leitura mais agradável. Mais um ótimo livro de Stephen King indicado para todos os fãs do gênero e do autor. Boa leitura!

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

7 comentários :

  1. "Estou numa encrenca: essa mulher não é boa da cabeça" já devo ter te falado que o primeiro livro que li de Stephen King foi em Pdf, e o titulo: "Angústia".. Fiquei empolgado quando soube que o livro ganharia nova edição e relançamento aqui no Brasil! Ainda não adquiri, mas é o que pretendo em breve! Foi como você mesmo disse na resenha - embora eu não tenha lido muitos livros do mestre - é o mais profundo e denso horror psicológico de Stephen King"! PFT

    GabryelFellipeealgo.blogspot.com
    El Costa - Confins Literários

    ResponderExcluir
  2. Fiquei interessado em ler.
    Parabéns pelo blog,
    Abrç

    ResponderExcluir
  3. Heeeey... Só poderei ler essa resenha quando tiver lido Misery. Bom, mas dei uma olhada por cima, e... OH MY GOSH...!

    ResponderExcluir
  4. Comprei esse livro a pouco tempo.. será minha primeira leitura do Stephen King, e pelo que li e assistir de resenhas não vou em decepcionar.

    ResponderExcluir
  5. Caraca Rafa assim você mata a gente! Comprei esse livro e chegou a poucos dias e ainda não tive tempo de lê-lo, vendo sua resenha estou certo que não devo adiar muito essa leitura! Todo esse terror psicológico e essa obsessão devem mesmo abalar nossas estruturas.

    Abraço,
    Diego de França
    Leitor Sagaz | Grupo Amantes da Literatura

    ResponderExcluir
  6. Acabei de ler este livro, e o achei ótimo, e uma estória que nas mãos erradas poderia ser bem ruinzinha. A vilã do livro, um dos melhores personagens do King com certeza. Os finais do King são muito criticados, mas este achei muito bom. Maurilei.

    ResponderExcluir
  7. Esse livro é sensacional. Estou lendo e estou apaixonada pelo Paul e pela maldade da Annie. Um dos melhores momentos é quando ele toma conhecimento do passado sombrio e assassino de Annie. Paul realmente esta encrencado.

    ResponderExcluir