ÚLTIMAS NOTÍCIAS

12 de fevereiro de 2014

Resenha: Intensidade - Dean Koontz


Sinopse:
   Chyna Shepherd não teve uma infância feliz. De uma vida feita de violência e tragédia ela parece ter trazido apenas traumas, que aos vinte e seis anos pensa ter superado. Mas essa experiência lhe ensinou outra coisa. Ela aprendeu a sobreviver.
   Uma noite, hospedada na casa de uma amiga, ela percebe que alguma coisa está errada. Um estranho invade a casa, e Chyna se vê envolvida em um turbilhão de acontecimentos que não pode controlar. O nome do estranho é Edgler Foreman Vess, um homem que se dedica a viver com intensidade. E isso, para ele, significa matar. Vess absorve a beleza com sentidos aguçados, sente intensamente... E destrói. Calmo e preciso, absorve a morte e o horror que provoca.
   Quando percebe que todos na casa estão mortos, o primeiro impulso de Chyna é sobreviver. Esconde-se. Foge. Mas então descobre que há uma próxima vitima, em outro lugar, uma menina inocente correndo o mesmo perigo. Com um misto de pavor e coragem, lança-se então em perseguição ao hábil e frio assassino, um psicopata que já matou muitos e vai continuar matando, a menos que ela faça alguma coisa. E agora cada decisão passa-se como um jogo perigoso, e Chyna pode não estar preparada.
Opinião:
  Intensidade marca a passagem de Dean Koontz  das tramas sobrenaturais para os thrillers de suspense, os quais passou a escrever nos ultimos tempos, um método bem interessante para descobrir qual livro faz parte de uma determinada fase é a escrita de seu nome na capa. As tramas paranormais são as mais antigas e trazem como autor Dean R. Koontz, já nos recentes lançamentos o "R." é excluído e se quiser saber essa é a abreviação de Ray. Citado comumente como o mestre do suspense, Koontz faz-se reconhecer pela escrita rápida e carregada de tensão, cuja velocidade instiga o senso de voracidade do leitor. Seus thrillers são obras-primas de page-turner, aquele tipo de livro em que as páginas voam com a leitura. Suas tramas geralmente se passam em poucas horas ou dias, marcando o momento em que a vida de uma pessoa normal é modificada pelo redemoinho de desespero causado por acontecimentos malignos.
   Koontz escreve de maneira frenética, a impressão ao ler ao livro é de ver um filme ou um presenciar um acontecimento real e o leitor, por mais infundada que seja, tem a sensação de que se parar com a leitura os personagens continuarão sem ele.  Tudo  o que você precisa saber sobre o enredo está no sinopse, que descreve nada menos que as cinco páginas iniciais, o interessante do livro é ir descobrindo os acontecimentos e se surpreendendo pelo caminho. Vou falar apenas sobre os personagens, o autor conseguiu unir dois opostos, significando o bem e o mal, que se combatem mutuamente de um modo inteligente e sagaz,  possuindo o mesmo peso na balança da justiça, fazem de tudo para que esta penda para o seu lado, cada um lutando com unhas e dentes para defender seu ponto de vista.
   Chyna Shepherd teve uma infancia dificil. Pode-se ter um vislumbre do mundo em que sua mãe vivia pelo nome que deu a sua filha, uma homenagem a república socialista. Entre trancos e barrancos a jovem sobreviveu, a cada desafio sua coragem aumentava e o bordão mental "incólume e viva" surgia como inspiração a continuar. Era algo do tipo: "Ei mundo! Olhe para mim apesar de tudo o que faz para me derrotar e destruir ainda estou viva! E não desistirei". Quando alcançou a maioridade deixou para trás toda a dor e desespero anteriores e na escola de psicologia foi iniciar uma nova vida, mudou muito, se tornou uma pessoa retraida que foge  de relacionamentos e não consegue se sentir a vontade em companhia masculina.  Porém os problemas parecem a seguir, desta vez um cruel assassino irá invadir seu mundo perfeito e arrasar com todo progesso que pensava ter feito. Diferente das heroínas habituais, Chyna mostra uma garra e fibra quase sobre humanas e enfrenta todos os seus piores medos em busca da salvação.
   Edgler Foreman Vess. Ah o Mr. Vess. Nenhum livro consegue ser bom sem um antagonista feroz, cuja simples menção do nome faça arrepios percorrer a pele dos incautos e que teorize todo o conceito do mal em sua própria existencia. Mr. Vess possui uma mente aguçada pela inteligencia e loucura, sua crença é a de viver intensamente praticando todo tipo de ato que lhe der vontade, sendo o assassinato a máxima espressão de seu pensamento. Koontz consegue imiscuir uma consciencia própria a suas criações e  Mr. Vess é um dos seus vilões de melhor construção e aproveitamento.  Intensidade é um livro que retrata o que há de melhor na escrita de Dean Koontz, indispensavel para os fãs de  suspense. Boa leitura!

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (9/10 Caveiras) 

Um comentário :

  1. E ai Rafa blz, este livro do Dean e muito bom tem um q de Velocidade não concorda ... Mudando de livro, vc tem alguma novidade sobre o novo do Joe Hill, a editora Arqueiro ta devendo para nós leitores !

    ResponderExcluir