ÚLTIMAS NOTÍCIAS

18 de janeiro de 2014

Resenha: A Trama da Maldade - Clive Barker


“As visões de Clive Barker são a um só tempo horroríficas e refulgentes pela extraordinária capacidade inventiva, deixando os leitores trêmulos - não de medo, mas de encantamento." SOUNDS MAGAZINE

"A TRAMA DA MALDADE revela prodigiosa imaginação... é um romance deveras perturbador precisamente por isso." TODAY

"Clive Barker é tão bom que me tira o folego. Ele dá a seus colegas a impressão de que estiveram dormindo durante os últimos dez anos." STEPHEN KING

"Ele é a um tempo lírico e dramático. Seus textos transmitem imagens tão vividas que podemos logo entender como são, por que são, como agem e reagem seus personagens quando o perigo se aproxima..."  SEATTLE POST

"Barker é o mais importante novelista do gênero horror desta década." RAMSEY CAMPBELL

"Um livro mais do que recomendável: é uma fantástica aventura da imaginação." SUNDAY EXPRESS

Sinopse:
  O enredo gira em torno de uma raça de seres mágicos, os despertos, que viveram anonimamente entre os mortais, a quem se referem como os loucos, mas que, após terem suas existências ameaçadas, passaram a habitar um mundo fantástico conhecido como a Fuga.

Opinião:
   Clive Barker se iniciou na literatura com O Jogo da Perdição na metade da década de oitenta, logo após seus contos foram publicados com Livros de Sangue seguidos de sua novela The Hellbound Heart, títulos que lhe renderam fama na literatura de horror. Em seu segundo romance, WeaveWorld, Barker mistura suas imagens sangrentas e assustadoras com uma visionária fantasia criando um livro que tende mais a dark fantasy que ao horror propriamente dito. É um livro grandioso cuja imensidão suga o leitor para dentro de suas páginas onde a beleza divina caminha ao lado das deformidades diabólicas, onde a atração carnal mais animalesca se camufla sob a forma inocente de amor, onde fé e magia se mesclam como um casal perfeito e onde a maldade ou bondade são só maneiras diferentes de se posicionar e apontar o dedo. A tradução de WeaveWorld como Trama da Maldade pode levar a muitos erros de interpretação por parte dos leitores, na época Clive Barker gozava de um relativo sucesso no Brasil como autor de horror de modo que traduzir uma gigantesca fantasia intitulada A Trama do Mundo não chamaria tanto a atenção, entendo e respeito à escolha mas aviso aos possíveis leitores, A Trama da Maldade é diferente de tudo o que Clive tinha escrito até então, possui sim cenas de horror mas também há muito drama existencial, seu volume lhe permitiu refletir profundamente sobre temas sociais e humanidade.
    Em A Trama da Maldade, Clive Barker leva o leitor aos limites da imaginação humana, em uma viagem mágica e macabra por um mundo fantástico cheio de simbolismos em suas estórias. Seus personagens muitas vezes refletem a si próprio, seus pensamentos e ideias sobre a sociedade que o cerca e seus pré-julgamentos, isso faz com que o texto seja recheado de interpretações de dilemas morais que impelem o leitor a fazer uma reflexão detalhada ao final da trama. O livro possui mais de 730 páginas e pode-se dizer que está dividido em três livros menores que se concluem mutuamente, como o próprio Clive Barker na obra frisa: “Nada jamais começa, não existe um primeiro momento; nenhuma palavra ou local primordiais dos quais esta ou qualquer outra história se origine.” Ou seja você pode simplesmente ler o primeiro livro e parar sua leitura, mas se quiser saber o que aconteceu aos protagonistas e os desdobramentos da história irá continuar, mesmo porque uma vez iniciado é impossível parar.
    Antigamente havia a magia. Havia locais sagrados e lugares secretos onde seres mágicos se misturavam aos seres humanos normais. Então surgiu o Flagelo. Um ser poderoso e cruel cuja obsessão era unicamente destruir esse povo mágico, suas razões eram desconhecidas e sua selvageria não permitia negociações. Sendo assim em meio à morte de seus companheiros, esse povo se escondeu. Utilizaram suas melhores magias e os mais requintados poderes para tecer lugares maravilhosos que humanos nunca haviam pisado em uma espécie de paraíso que ninguém jamais iria encontrar, em um lugar que mesmo alguém que conhecesse a sua existência jamais pensaria em procurar. Um tapete. Um mundo foi costurado em uma trama mágica. Nascia A Trama do Mundo. WeaveWorld. A Trama da Maldade. Esse livro é indicado a todos os leitores fãs de horror e fantasia, porém é um livro longo e sua leitura deve ser atenta e com tempo de sobra para mergulhar na imensidão da trama. Não é uma leitura de dias ou semana, a narrativa é muito rica em detalhes e em desdobramentos da trama de modo que muitas vezes é preciso dar um tempo para a mente digerir todas as informações que leu. Um dos melhores do Clive Barker sem dúvidas. Acredite no inacreditável.

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

11 comentários :

  1. Rafa você sempre nos trazendo excelente dicas, já vi que pela grandiosidade da obra devemos ler pausadamente e digerir tudo a fim de obter o máximo dela! Muito bom histórias assim, nos faz pensar no impensável! Este misto de magia e terror é fascinante.

    Abraço,
    Diego de França

    http://leitorsagaz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Caramba! Mais uma vez fico embasbacado com suas resenhas! Como pode? Esse livro é demais, dá pra saber pela sua resenha! A cada nova resenha eu fico pensando "Caramba! Deveria ter feito minha meta de 2014 baseada só em livros que o Rafa resenha!" Mas infelizmente só 6 livros estão dentro dessa meta! Já estou amando Clive - Acredite no inacreditável!

    GabryelFellipeealgo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Rafa, obrigado por mais uma dica incrível de livro que você nos traz, estou sempre ligado nas suas opiniões sinceras e ótimas resenhas. A Trama da Maldade é certamente um livro que vou ler, Clive Baker já me conquistou.
    http://bibliotecadomedo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Rafa. Já li alguns livros de Clive Barker, e A Trama da Maldade está entre eles. Sua resenha faz jus ao livro. É uma história muito boa. A imaginação de Clive é de um nível altíssimo! Melhor que ele só Stephen King...(ou será que os dois se igualam?) Ohhhh dúvida...rsrsrsrs.

    ResponderExcluir
  5. Desse autor, eu li:
    - Esse Trama da Maldade, e gostei muito! É um livro que prende a atenção em suas 700 páginas. Uma história legal, com monstros, mas também com criaturas fantásticas de um mundo que muitos desejarão viver...
    - Desfiladeiro do Medo, também gostei.
    - Os seis livros de sangue, há contos muito bons e uns mais ou menos...
    - Li recentemente aquele livro-conto que deu origem aos Cenobitas, Hellbound Hert (tive de ler a versão em espanhol, porque não tem em português. Ótimo.
    E li um que acho que você não leu, mas recomendo, ótimo! Jogo de Perdição.

    ResponderExcluir
  6. Gostei deste livro. A imaginação de Clive Barker não tem limites. Maurilei.

    ResponderExcluir
  7. Lí estes livro há muitos anos. E sem dúvida esta encabeçando a minha lista dos melhores. Essa semana encontrei um exemplar praticamente novo num sebo. Comprei!

    ResponderExcluir
  8. Poxa vida... Li esse livro quando tinha uns 12 anos... e estou beirando meus 34... Lembro que peguei na biblioteca pública ao lado da minha escola... Tive que renovar o empréstimo algumas vezes até terminar de ler... Coisa que foi fácil. Um livro com tantas páginas não atraiam as pessoas da minha idade... Esse livro me marcou pra sempre. Não conseguia parar de ler.

    ResponderExcluir
  9. Poxa vida... Li esse livro quando tinha uns 12 anos... e estou beirando meus 34... Lembro que peguei na biblioteca pública ao lado da minha escola... Tive que renovar o empréstimo algumas vezes até terminar de ler... Coisa que foi fácil. Um livro com tantas páginas não atraiam as pessoas da minha idade... Esse livro me marcou pra sempre. Não conseguia parar de ler.

    ResponderExcluir
  10. um dos melhores livros que já li.

    ResponderExcluir
  11. Antes de escrever livros, Clive Barker escrevia peças de teatro, e como "se iniciou" na literatura com "O Jogo da Perdição" se o primeiro volume dos Livros de Sangue é de 1984?!?!

    ResponderExcluir