ÚLTIMAS NOTÍCIAS

22 de dezembro de 2013

Guia de Sobrevivência da Biblioteca do Terror


    Já passou por alguma situação ruim? Eu não quero dizer coisas do tipo: "Meu carro quebrou e vou ter que caminhar quinze quilômetros" ou "Fui demitido do emprego que consumiu dez anos da minha vida a troco de nada" ou ainda na infância "Minha mãe vai arrancar minha pele quando entrar em casa, ou eu passo a noite fora sendo comido vivo aos pedaços lentamente, por pernilongos ou escolho entrar e sofrer uma morte rápida mas dolorosa". Não. Não. Tá são coisas ruins, mas não chegam aos pés de situações que mentes como as de Stephen King e Clive Barker criam para seus personagens.
   Estou falando de cadáveres canibais te perseguindo ou aquele maluco homicida com uma mascara de pele humana que quer te estripar. Quem sabe aquele espirito demoníaco que seu amigo bêbado despertou enquanto você dormia? Ou senão aquele monstro sádico que se esconde por trás de um sorriso sedutor feminino? Ainda não? Se algum dia você se ver um uma situação com elementos de terror trash rodeado de pessoas estranhas ou até amigos e não souber o que fazer. Bem, relaxe. É provável que todos vocês morram. Ou quem sabe apenas a menininha bonitinha sobreviva mutilada. Quer tentar evitar isso? Bom aqui vai uma lista da Biblioteca do Terror de pequenas dicas que podem te salvar em uma hora dessas:

1°. Livros Antigos: Se você encontrar um livro bem antigo, com uma capa de couro parecendo pele humana com o seguinte alerta: NÃO LEIA bem destacado com uma tinta vermelha que parece sangue, o que você faz? Bom lê é claro não é? É muita tentação para um amante de terror, mas bem, é melhor lê-lo em silêncio apenas com a voz da mente. É uma boa maneira de descobrir como derrotar aquele terror se ele já estiver acordado. Porém ler em voz alta é maravilhoso se quiser invocar o fim do mundo.

2°. Use o Bom Senso: Qualquer porta que estiver trancada com aviso de Perigo deve ser evitada ao máximo, a não ser que seja sua ultima opção para escapar de uma horda zumbi. Recipientes e caixões selados com runas ou alguma coisa escrita em latim devem ser manuseados com cuidado. Nunca abertos. Árabe e japonês abra sem moderação. Agora se essa porta realmente não deve ser aberta, tranque-a e certifique-se que aquele amigo azarado fique a pelo menos cinco metros e não toque em nada.

3°. O Local: Tenha sempre um olho clinico para investigar o local em que vai se esconder do serial killer ou criatura que estiver te perseguindo. Nunca corra para lugares sem saída ou abertos sem possibilidade de uma cobertura. Agora para que perder tempo fazendo uma barricada na porta se bem ao lado existe uma janela de vidro enorme com uma magnifica visão de toda a sua desproteção? Utilize esse tempo para se armar ou quem sabe escapar para ainda mais longe.

4°. Amuletos: Independente se você é religioso ou não levar uma cruz sempre ajuda em alguns casos. Não se esqueça da água benta, algumas estacas de madeira, precaução nunca é demais. E dependendo da fase da Lua algum objeto perfurante de prata.

5°. Cemitérios: Não.  Cemitérios Antigos podem parecer oferecer boas chances de se esconder, mas não. Evite entrar nesses lugares principalmente se o lugar tiver um coveiro estranho tarado sexual. Ahwn mas como saberei disso? É sua cidade informe-se! A única exceção para essa regra é se o horror já tiver sido liberado e a única maneira de bani-lo for realizar um ritual em alguma lápide em especial. Tirando isso... Não vá a cemitérios!

6°. Foco: Eu sei que a primeira aparição da criatura pode ser bem legal, mas aqueles minutos todos que você perde de boca aberta, babando e olhando o monstro sair de seu caixão seriam muito melhor aproveitados se fosse utilizados para estar já na próxima esquina quando a criatura começar se mover. Não fique olhando com descrença para o horror inominável, tentando em vão absorver suas formas enquanto ela se arrasta para cada vez mais perto de você...

7°. Pontos Fracos: Se os primeiros dez tiros da arma em sua mão não matarem a criatura, que sequer sentiu os impactos das balas, é provável que gritar e dar mais dez tiros não fará efeito algum. Jogar a arma no monstro quando ela descarregar também não é boa ideia. A questão é identificar o ponto fraco do monstro: coração, cérebro, meio das pernas. Tudo é válido na hora de escapar.

. Companheiros: Bom essa vale para todos, se alguém morrer e depois voltar para te ver não é porque ela te ama e quer estar para sempre ao seu lado. É mais provável que essa pessoa agora te ache gostoso (a) de outra forma, eu diria mais saboroso. Não de atenção a eles. Agora se a pessoa estiver gemendo e com algumas partes do corpo faltando, coberta de sangue com um andar cambaleante ou quiser muito que você a convide para entrar no esconderijo onde ela própria já viveu. Corre! Corre que fudeu.

9°. Atenção: Se ouvir barulhos estranhos, risadas fantasmagóricas, batidas repetidas ao seu lado ou vultos pelo canto dos olhos corra. Não fique esperando que seja uma pegadinha ou brincadeira de seus amigos. Especialmente se estiver acampando no meio de uma floresta. Ninguém quer brincar com você, ainda mais no meio da noite. Mesmo aquele amigo engraçadinho que ama filmes de terror e te assustar. Quer dizer até pode ser ele porque geralmente é o primeiro corpo a ser encontrado mutilado.

10°. Curiosidade: Não seja curioso. A curiosidade matou o gato, o dono dele, a namorada do dono, a família dos dois e qualquer outra pessoa que tentou descobrir o que estava acontecendo. Provavelmente não vai gostar do que descobrir. Principalmente se as trilhas a serem seguidas são feitas de sangue. E pedaços de corpo humano. Fique na sua ou instigue a curiosidade de outra pessoa a veja o que acontece.
  
   Essas são as primeiras dicas do Guia de Sobrevivência da Biblioteca do Terror. Toda semana mais algumas dicas, temáticas abordando livros ou autores ou como essas que servem para o geral, para você sobreviver aos horrores das escuridão. O post foi apenas uma brincadeira que me divertiu tanto quanto espero que divirta a quem for ler.  Comente o que achou e deixe a sua própria recomendação. Até a próxima se estivermos todos vivos. Ou com membros no corpo o suficiente para acessar a internet e se locomover com certa liberdade. Ou com a mente intacta o bastante para poder ler e interagir socialmente. Que a força esteja com todos vocês.

3 comentários :

  1. RÁ! Muito bom esse post! Massa! Recomendadíssimo!

    ResponderExcluir
  2. hahaha... boa observação, espero usar essas dicas (ou não...)!

    ResponderExcluir
  3. mas minha avô ta morta tenho que ir ao cemiterio '-'

    ResponderExcluir