ÚLTIMAS NOTÍCIAS

27 de julho de 2013

Resenha: Saga do Assassino: O Aprendiz de Assassino - Robin Hobb



Sinopse:
   O jovem Fitz é o filho bastardo do nobre Príncipe Cavalaria e foi criado pelo cocheiro de seu pai, à sombra da corte real. Ele é tratado como um penetra por todos na realeza, com exceção do Rei Sagaz, que faz com que ele seja secretamente treinado na arte do assassinato. Porque nas veias de Fitz corre a mágica do Talento – e o conhecimento obscuro de um garoto criado em um estábulo, entre cães, e rejeitado por sua família. Quando assaltantes bárbaros invadem a costa, Fitz está se tornando um homem. Logo ele enfrentará sua primeira missão, perigosa e que despedaçará sua alma. E embora alguns o vejam como uma ameaça ao trono, ele pode ser a chave para a sobrevivência do reino.

  “É assassinato mais ou menos. A fina arte do assassinato diplomático. Matar pessoas. Ou cegá-las, ensurdecê-las, debilitá-las, paralisá-las, provocar nelas tosses debilitantes ou impotência; ou senilidade precoce, ou loucura ou... Mas não interessa. Tudo isso é o meu ofício. E será o seu se concordar agora mesmo, desde o princípio, que eu vou te ensinar a matar pessoas. A serviço do seu rei. Vou te ensinar maneira sórdidas, discretas e delicadas de matar pessoas. E pode ser que venha a desenvolver um gosto por tais artes.”

Opinião:
   O Aprendiz de Assassino é o primeiro livro da saga criada por Robin Hobb, em meados dos anos noventa e que se tornou uma espécie de clássico da fantasia, mas que só agora, quase dezoito anos depois, chega ao Brasil. A história é narrada por Fitz, um bastardo do príncipe herdeiro, já velho que tenta escrever a história dos Seis Ducados através das suas memórias desde modo temos uma narrativa linear com relação ao tempo que evolui à medida que o narrador cresce. Os capítulos são bem organizados e diretos, sem enrolação cada um possui uma pequena introdução que revela uma curiosidade ou evento que será de suma importância para se entender os acontecimentos das páginas a seguir. 
   O desenvolvimento dos personagens pela autora, principalmente o protagonista, é ponto central da história, todas as intrigas e traições da nobreza somada aos anos de trabalho árduo e incessante transformam profundamente a psique de Fitz, de jovem bastardo tímido nas páginas iniciais se transforma em um trunfo perigoso a nobreza nas mangas do rei lá pela metade da história e sua participação nos assuntos do reino cresce cada vez mais. Sua personalidade e seus talentos são lapidados cuidadosamente por seus "mestres", que surgem como figuras interessantes e misteriosas ao longo da narrativa, tornando-o profundamente real e cativante.
  A magia em o "Aprendiz de Assassino" é utilizada por um grupo muito seleto da nobreza e é transmitida através da linhagem sanguínea de pai para filho. Os únicos que a utilizam sãos os príncipes e o próprio rei. O tipo de magia de que falo é bem diferente das "histórias convencionais", trata-se de um domínio mental bastante avançado conhecido como Talento. O desenvolvimento do Talento requer um treinamento bastante pesado e não são todos os herdeiros do rei que manifestam o poder, apenas os mais fortes conseguem ter o domínio dessa arte. Entre seus efeitos estão à comunicação a distancia com outro usuário do Talento e a inserção de ideias na mente das pessoas além da morte causada pela extração de energia. Essa técnica é extremamente poderosa, porém é uma faca de dois gumes, pois quanto maior seu efeito mais energia é gasta e mais debilitado o usuário fica. Há outra forma de magia mais genética que o Talento, a Manha que é a habilidade de tocar a mente dos animais, útil, mas como diz a frase de Nietzsche: "Quando se olha muito tempo para o abismo, o abismo olha para você."
    Um ponto que é quase inexplorado no livro é a religião, um tema tão comum entre a luta de poder entre lados nas fantasias medievais aqui se relega a pequenas menções dos nomes dos deuses, mas sem nenhuma descrição mais aprofundada sobre rituais de culto ou chefes religiosos. Não que isso faça falta no livro, apenas para constar.  O tipo de monarquia nos Seis Ducados é bastante interessante, pois ao contrário do rei ser um tirano que controla o povo com mãos de ferro, ele se preocupa muito com o que seus súditos pensam de seu reinado e suas realizações além de que se a população estiver descontente com seus feitos ele pode ser deposto.
   O Aprendiz De Assassino é uma ótima leitura que irá surpreender a todos pela rápida introdução ao mundo do livro e seus personagens que a autora fornece. Depois de poucas páginas já nos vemos torcendo pelo jovem protagonista em seus infortúnios e aventuras... E que venha o próximo livro.

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

Um comentário :

  1. Oie :)

    Nossa primeiramente parabéns pela resenha, esse livro está praticamente no topo da minha lista de comprar quero ele imediatamente hahaha, abraços !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir