ÚLTIMAS NOTÍCIAS

16 de dezembro de 2012

Resenha: O Devorador - Lorenza Ghinelli




 “Filippo... já aprendeu várias coisas. Primeira: a vida é suor. Segunda: apanhar dói. Terceira: melhor bater primeiro... sabe uma quarta coisa: se os outros enxergam você, se te enxergam de verdade, você está frito.”


Sinopse:
   Denny Possenti tem sete anos de idade, mãe dependente química, pai louco e alcoólatra, colegas que o maltratam e o julgam um idiota. Quando está sozinho, para tentar superar a eterna sensação de medo, inventa histórias inquietantes. Seu único amigo é alguém que se autodenomina Homem dos Sonhos, um velho maltrapilho, cruel, sempre com uma bengala na mão. Se alguém abusa de Denny, o Homem dos Sonhos sempre aparece. E se vinga. Pietro tem 14 anos, é autista e tem um talento extraordinário para desenhar. É a única pessoa que testemunhou o desaparecimento misterioso de quatro meninos. Sua forma de comunicar o que sabe é desenhar o que viu. E o que Pietro viu é de gelar os ossos. Ninguém acredita nele, exceto sua educadora profissional, Alice: os desenhos tiram seu sono e a jogam em um pesadelo, trazendo a lembrança de algo que ela há muitos anos tinha tentado eliminar. Mas o passado retorna e agride. Impiedoso e onírico, O Devorador não dá escapatória ao leitor, arrastando-o em um sonho angustiante e opressivo, no qual é impossível distinguir a realidade da ficção.


Opinião:
  O Devorador é um livro bastante diferente dos que se encontram no mercado atualmente, o estilo de escrita utilizado pela autora é bem inovador e possui efeitos positivos e negativos que tornam bastante difícil colocar o livro nas simples definições de bom ou ruim. Lorenza construiu uma narrativa que foge da maneira usual de contar histórias, ao invés de grandes linhas descritivas temos frases curtíssimas, às vezes com uma única palavra, e capítulos pequenos e condessados com parágrafos minúsculos acompanhados de cenas entrecortadas. É como se a história fosse escrita em uma espécie de quebra-cabeça literário cujas palavras vão se unindo na mente do leitor e dando vida a uma história fantástica.
  É aí que se encontra o grande triunfo da autora, O Devorador parece estar sendo contado oralmente ao leitor que em sua imaginação forma os personagens e cenários de acordo com a sua vontade por isso a história pode ter nuances diferentes dependendo de que a lê.
   Porém também é nessa hora que a autora falha em alguns pontos. Primeiramente história é um suspense com um toque sobrenatural que deveria ser bastante assustadora. Deveria. Por causa dos mesmos parágrafos pequenos, e às vezes desconexos, a história não ganha ritmo, a narrativa parece simplesmente se arrastar o livro todo na mesma lerdeza angustiante. Você quer que a história prossiga, mas ela se demora como um carro velho numa subida íngreme e nos pequenos momentos em que o a trama parece ganhar agilidade a maneira crua da autora corta o clima totalmente. Como disse a história ficaria melhor se fosse contada oralmente com todas as pausas dramáticas e efeitos que possui dessa maneira o suspense cresceria na mesma medida que o enredo.
  Confesso que esperava mais de O Devorador, tantos pelas referencias que ouvi que ligavam Lorenza ao mestre King, tanto pelos elogios a obra... Mas infelizmente de Stephen king ela não possui nada, a não ser talvez o final inconclusivo. Resumindo eu poderia dizer que o livro é a síntese de como uma história que poderia ser excelente torna-se apenas passável pela falta de desenvolvimento da trama. Os personagens tanto os heróis como o vilão poderiam ter sido muito mais aproveitados, assim como os flashbacks e as relações dos protagonistas. As simples duzentas páginas poderiam facilmente se tornar quinhentas. A impressão que fica é que a história está resumida.

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (7/10 Caveiras) 

3 comentários :

  1. Nossa eu já tinha ouvido falar nesse livro e tinha grande expectativas com ele , mais depois da sua resenha me decepcionei um pouco é acho que vou deixar a leitura dele para depois , resenha muito boa parabéns :)

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é bem meio termo né?, Eu tinha visto alguém falando sobre ele mais não lembro quem, vou ver se leio
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Concordo em tudo com o Rafa, realmente o livro poderia ser melhor desenvolvido, e assim sendo seria bem maior. O vilão achei muito semelhante ao Pennywise de It A Coisa, na verdade tive a impressão durante todo o livro que a autora tentou copiar descaradamente.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir