ÚLTIMAS NOTÍCIAS

19 de dezembro de 2012

Resenha: Carte Blanche - Jeffery Deaver


"Sozinho agora, Hydt agachou-se ao lado do corpo.
A descoberta de cadáveres ali acontecia com relativa frequência.
Hydt nunca dava parte das mortes. A presença da polícia era a última coisa que ele desejava.
Além disso, por que abriria mão de um tesouro como aquele?
Ele chegou mais perto do corpo, os joelhos comprimindo o que havia sobrado do jeans da mulher. O cheiro de podre-penetrante, como o de papelão molhado - seria desagradável para a maioria das pessoas. Entretanto, o lixo fazia parte da profissão de toda a vida de Hydt, e este lhe era tão indiferente quanto o odor de graxa para um mecânico de oficina ou o cheiro de sangue e vísceras para o trabalhador de um abatedouro."


Sinopse:
   Jeffery Deaver reconstrói a saga do espião mais famoso do mundo, tendo como pano de fundo o globalizado e extremamente tecnológico século XXI. James Bond, um veterano da Guerra do Afeganistão, é um agente secreto especializado em operações internacionais. Sob o comando do enigmático M, Bond intercepta uma troca de mensagens que parece indicar que um atentado de grandes proporções está sendo articulado, embora o autor do plano, suas intenções e seu alvo sejam um mistério. Com a ajuda de outros agentes, Bond conduz uma investigação ao redor do mundo, durante a qual irá se deparar com muitos perigos e belas mulheres. Porém, seu tempo é bem curto: se as mensagens estiverem certas, ele tem apenas uma semana para impedir um crime de proporções assustadoras.

Opinião:
   Jeffery Deaver é um mestre na arte de contar histórias e envolver o leitor com seu ritmo narrativo seduzente. Sua principal característica sem sombra de duvidas são as reviravoltas existentes no enredo, nada é o que parece ser e tudo o que não aparenta ser na realidade é. É difícil imaginar o que acontecerá nas próximas linhas muito disso por causa da imprevisibilidade do autor que nos engana até o ultimo segundo.
   E todo o talento do autor foi usado para reconstruir o grande mito da espionagem, James Bond, mais conhecido como 007. Deaver cria uma nova identidade ao espião, deixando-o com uma nova cara, mais atual e mais crível com relação a nossa atualidade. Os outros livros da série trazem um herói bastante antigo enfrentando perigos que na época eram fortes e mitigavam medo no leitor, como a Guerra Fria, porém hoje os novos leitores que não viveram esses terrores não entendem a obra completamente. Em Carte Blanche isso muda, pois a história acontece quase que paralela ao nosso dia-a-dia.
    A história começa quando o governo inglês obtém uma informação acerca de um possível atentado criminoso que culminará em centenas de mortes. James Bond é agente da MI6, um tentáculo do governo especializado em ações internacionais, e como as informações falam sobre um escritório na Sérvia ele recebe Carte Blanche, pode agir e fazer o que achar necessário para alcançar êxito na missão. Porem as pistas acabam levando de volta a Inglaterra aonde 007 não tem permissão para portar armas e possui a Carte Grise.
     Bond se vê privado da Carte Blanche e tendo que responder suas ações a Osborne-Smith, vice-diretor da MI5 que acaba atrapalhando os movimentos do espião, além dos encontros entre os dois serem carregados de tensão há uma certa batalha subliminar entre eles. O papel do vilão do livro fica a cargo de Severan Hydt, um homem obscuro com um passado sombrio que pouco a pouco vai sendo revelado, junto com sua fascinação estranha por cadáveres e tudo o que está relacionado com a decadência humana.
    Carte Blanche é um livro repleto de cenas de ação e suspense acompanhadas de um enredo particularmente interessante e inteligente. Deaver recria com maestria James Bond numa aventura cinematográfica que sacia todos os gostos literários.

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras)

Postar um comentário