ÚLTIMAS NOTÍCIAS

28 de setembro de 2012

Resenha: Clube da Luta - Chuck Palahniuk



Sinopse:
Considerado um clássico moderno desde sua publicação em 1996, o livro Clube da Luta consagrou Chuck Palahniuk como um dos mais importantes e criativos autores contemporâneos, além do próprio livro como um cânone da cultura pop. O livro que estava esgotado há anos volta às livrarias nessa caprichada edição. O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acha que encontrou uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e das regras sem sentido. Mas o que está por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente. O livro foi filmado em 1999, Por David Fincher (Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, A Rede Social), que possui duas nomeações ao Oscar, que conseguiu adaptar toda atmosfera do livro, o mundo caótico do personagem e o humor negro de Palahniuk em uma trama recebida com inúmeros elogios pela crítica e pelo público que conta com os atores Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter.

Trecho:
"Nós somos os filhos do meio da história, sem propósito ou lugar. Não tivemos Grande Guerra, não tivemos Grande Depressão. Nossa grande guerra é a guerra espiritual, nossa grande depressão é a nossa vida. Fomos criados pela televisão para acreditar que um dia seríamos ricos, estrelas de cinema e do Rock. Mas não seremos. E estamos aos poucos aprendendo isso. E estamos muito, muito revoltados".


Regras:
  1. Você não fala sobre o Clube da Luta;
  2. Você não fala sobre o Clube da Luta;
  3. Quando alguém gritar "para!", sinalizar ou desmaiar, a luta acaba;
  4. Somente duas pessoas por luta;
  5. Uma luta de cada vez;
  6. Sem camisa, sem sapatos;
  7. As lutas duram o tempo que for necessário;
  8. Se for a sua primeira noite no Clube da Luta, você tem que lutar!
Opinião:
"Eu não quero morrer sem cicatrizes..."
   Chuck Palahniuk é ousado e ácido em suas criticas, escreve rápido e surpreende o leitor com reviravoltas na trama que são como um soco de direita no rosto, sua visão particular é forte e influenciadora de pensamentos, descreve cenas absurdas tão calmamente que é difícil não encarar as situações estranhas como normais do cotidiano. O livro é simplesmente genial.
   Clube da luta é narrado por um homem comum que vivia de acordo com as regras, tinha uma vida e trabalho normais, mas não era feliz ele tentou se adaptar ao mundo tornando-se algo que não é para ser aceito. Suas noites eram recheadas de tédio e insônia e interminavelmente longas até conhecer os grupos de ajuda. Nesses grupos pessoas com doenças incuráveis ou bastante debilitantes e traumatizantes trocam experiências de como é a viver cada segundo da vida flertando com a morte, são pessoas que já aceitaram e assinaram seu óbito e querem compartilhar seus pensamentos, porque quando sabem que você vai morrer as pessoas te escutam de verdade e não apenas fingem estar interessadas. É nesse contexto que o protagonista é inserido, inexplicavelmente nesses lugares ele alcança a paz e consegue dormir, falar e ouvir tanto sobre a morte tem um efeito calmante.  Porém isso tem um limite quando conhece Marla, uma mulher que assim como ele vai de grupo em grupo fingindo doenças ouvindo e contando histórias, sua paz é tirada.
  É quando conhece Tyler Durden que é tudo o que ele sempre quis ser, mas não pode. Tyler lhe apresenta um mundo novo, onde regras são feitas para serem quebradas e onde a dor é uma espécie de prazer calmante, surge assim o Clube da Luta, um lugar aonde os homens vão não apenas descarregar suas forças, mas também emoções, o lutador se sente poderoso quando tem o sangue do outro em suas mãos da mesma forma que aquele que possui cicatrizes se sente orgulhoso de exibi-las.
   Clube da Luta é análise ácida e inquietante sobre a sociedade atual, seus valores e a inutilidade das ações do cotidiano. “Fomos criados pela televisão para acreditar que um dia seríamos ricos, estrelas de cinema e do Rock. Mas não seremos. E estamos aos poucos aprendendo isso". É uma critica ao nosso egocentrismo natural de se imaginarmos como o centro do mundo, como os protagonistas da história numa eterna competição para ver quem aparece mais e quem é mais cultuado. É uma leitura que faz refletir sobre o que somos e o que representamos para a sociedade. Se tiver coragem leia-o.

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras) 

Um comentário :

  1. Puts gostei muito do livro, nem imaginava que se tratava de uma reflexão da sociedade.. está na wish... grande abraço

    Me visita?
    Guilherme Kunz
    www.tematoa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir