ÚLTIMAS NOTÍCIAS

27 de agosto de 2012

Resenha: O Pacto - Joe Hill




"- Só estou usando isso porque não tinha malha vermelha e capa.
- Malha vermelha e capa?
- Não é isso que o diabo deveria usar? Como uma roupa de super-herói. Sob muitos aspectos, acho que Satanás foi o primeiro super-herói.
- Você não quer dizer supervilão?
- Nããão. Herói, com certeza. Pensa bem. Em sua primeira aventura ele assumiu a forma de uma cobra para libertar dois prisioneiros mantidos nus numa floresta de Terceiro Mundo por um megalomaníaco todo-poderoso. Ao mesmo tempo, ampliou a dieta deles e fez com que tomassem consciência de sua sexualidade. Pra mim, parece um cruzamento entre o Homem-Animal e o conselheiro amoroso." 


Sinopse:
   Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Descobre também algo assustador: ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, como seria de esperar. Em vez disso, entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis. Um médico, o padre, seus pais e até sua querida avó, ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade. Até agora. Sozinho, sem ter aonde ir ou a quem recorrer, Ig vai descobrir que, quando as pessoas que você ama lhe viram as costas e sua vida se torna um inferno, ser o diabo não é tão mau assim. 


Opinião:
   O Pacto é um dos melhores livros que eu já li na minha vida e mostrou que definitivamente Joe Hill é um dos novos talentos na literatura a ser observado de perto. O amadurecimento do autor é visível para quem leu seu primeiro livro, A Estrada da Noite, os persoagens são mais definidos e profundos,além da trama ser surpreendente e inovadora.
  O nome original do livro é Horns (Chifres) porém por algum motivo na tradução esse nome foi alterado para O Pacto, esse título dá uma má impressão ao leitor pois o pacto na história é irrelevante e chifres seria uma denominação mais adequada e condizente com o enredo.
   O começo de O Pacto é arrasador e em menos de cinco linhas o leitor se vê sugado para a vida de Ignatius Perrish de modo tão forte que fica impossível largar o livro. Ig é apenas  um homem normal que vê toda sua existência desmoronar após perder o amor de sua vida, que foi assassinada brutalmente. 
E o pior é que ele é principal suspeito porém em um dia normal, após acordar, descobre chifres nascendo em sua cabeça e tudo muda para ele. 
  Imagine-se no lugar de Ig ao descobrir chifres nascendo na sua cabeça, medo é a primeira coisa que me vem em mente e buscar ajuda a segunda. E é isso que o nosso protagonista faz porém acaba descobrindo uma coisa, apenas ele pode ve-los e as outras pessoas no momento em que batem  o olhar nos chifres parecem entram em transe e revelam seus segredos mais obscuros em relação a ele,  elas perdem as amarras sociais que dizem que não podemos falar tudo o que pensamos e soltam o verbo entregando seus pensamentos mais horríveis e cruéis...
  Vivemos numa espécie de mundo onde se você não quer ter seus defeitos expostos em publico não exponha o de ninguém, é uma regra que aprendemos ainda crianças na escola e o aprendizado muitas vezes é traumatizante. Fazemos coisas erradas as vezes e pedimos perdão, somos perdoados mas a ferida demora a cicatrizar e por mais que tentemos não sabemos o que se passa na cabeça da pessoa magoada... Ou na da nossa mãe quando falhamos na escola ou do nosso melhor amigo quando fazemos alguma bobeira... Agora pense se essa regra não existisse ou pudesse ser burlada e conhecessemos a parte mais profunda da alma de todos, todos os pensamentos em relação a nós que já tiveram... o resultado é a loucura total para a maioria de nós... É exatamente por isso que Ig tem que passar, ouvir coisas que nunca queria da boca de que mais ama...
   Ao contrário do que muitos podem pensar O Pacto não é uma história que tem como tema central o terror, mas sim as frágeis relações humanas e sua hipocrisia deplorável. Com humor e bastante ironia, Joe constrói uma bela história de amor,  entre Ig e Merrin que tem a sua imagem tão bem definida na mémoria do protagonista que dá vontade de te-la conhecido ainda em vida e nos faz ficar chocados e com raiva da maneira que foi assassinada. 
   Um livro perfeito em todos os sentidos, uma boa diversão que leva a uma reflexão sobre a nossa vida e aqueles que nos cercam. Não se admire se após ler O Pacto mudar algumas de suas atitudes...

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras) 

7 comentários :

  1. Iai coração!

    Comprei este livro semana passada no sub e não vejo a hora dele chegar!!!
    A sinópse me chamou muita atenção, pois sou curiosa e gosto de "saber dos segredos" das pessoas...

    Imagina só ter o poder de escutar da boca de cada pessoa seus pecados mais cruéis!?
    Não sei se ficaria com medo das coisas que ouviria ou se ficaria anciosa para saber mais...

    Beijos!
    Adorei o blog viu!
    Espere minha visita mais vezes!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado :) Tenho certeza de que vai amar esse livro e o seu autor que acredito que saiba é filho de Stephen King, daí o talento não?

      Excluir
  2. Olá Rafa!

    Nossa que resenha e que livro hein!
    Não conhecia esse escritor, e me deu muita vontade de ler!
    Parabéns! Adorei a resenha! Com certeza irá para a minha lista de desejados!

    Beijão
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu li este livro. No começo achei que iria me decepcionar, pois eu realmente esperava terror. Contudo, eu adorei o livro, realmente o amadurecimento do autor é muito visível em relação ao primeiro, que eu também li. Achei que iria me decepcionar e me surpreendi.
    É muito bom mesmo!!!


    Ei, fui na Bienal e comprei um livro que está classificado como Terror, "Espíritos de Gelo" não encontrei ele aqui no blog, você conhece??


    Sério, eu adorei seu blog. Adoro livros de Terror!!! Vou indicar pra outra blogueira que também adora!!

    Vou voltar aqui depois pra ver mais resenhas!! Bjkassss


    Alessandra Tapias
    http://www.topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. "Desde o início, o Diabo e as mulheres se uniram contra Deus, desde quando Satanás, na forma de uma serpente, se aproximou do primeiro homem e sussurrou no ouvido de Adão que a verdadeira felicidade não estava nas preces, mas sim na boceta de Eva."

    Esta é, simplesmente, a minha frase favorita do livro. Joe Hill me cativou com o dom de sua escrita. Ao mesmo tempo em que ele usa palavras grotescas e obscenas, ele consegue fazer com que sua escrita seja sutil e suave. Um contraste maravilhoso, eu devo dizer.

    ResponderExcluir
  5. Uma vez você me recomendou a ler um livro de Joe Hill, e ontem eu terminei de ler O Pacto! Me surpreendi! Amei a escrita de Joe, tipo, muito! Mudei muitos atos meus, e me senti sugado pela trama, sabe, acredito, porque sei que é verdade que, quando estou lendo um livro, eu acabo vivendo coisas que coincidem com o livro, e me senti apavorado muitas vezes. RS. Breve vou postar algo sobre a minha experiencia em lê-lo, mas claro que não chegará nem aos pés da sua forma incrível e profunda de falar sobre um livro!

    Abraços!

    Gabryelfellipeealgo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li nenhum livro do Joe Hill, por receio mesmo. Mas pode ter certeza que estou convencida de que me renderão ótimas leituras.
    Excelente resenha =)

    ResponderExcluir