ÚLTIMAS NOTÍCIAS

21 de agosto de 2012

Resenha: O Demônio de Gólgota - Frank de Felitta




Sinopse:
    Cataratas de Gólgota fica num vale ressequido e desolado, ao norte do estado de Massachusetts onde, em 1919, o padre Bernard K. Lovell, pároco da igreja das Dores Eternas, sucumbindo do isolamento e ao desespero, entrega-se a uma negra noite de loucura, necrofilia e suicídio. Em 1978, um padre jesuíta enviado pela diocese para reconsagrar a igreja perdida e profanada, vê-se dominado pelas garras abjetas da bestialidade. Um local amaldiçoado em que, no limiar do século XXI, um homem de fé profundíssima e dois brilhantes pesquisadores do paranormal travam combate, tendo por armas a fé inabalável e a mais sofisticada tecnologia, contra Satanaz, o mais antigo e ardiloso adversário de todos. 
Cataratas de Gólgota narra a fascinante história da colisão frontal entre a moderna ciência da parapsicologia e os antiqüíssimos mistérios da fé.


Opinião:
    Um livro incrível e surpreendente que está no mesmo nível de O Exorcista. Frank de Felitta conseguiu criar uma trama assustadora sobre o demônio e possessão, o diferencial está nas  diferentes interpretações dos fenômenos que ele nos apresenta: a religiosa a partir do ponto de vista católico e a científica partindo da visão da parapsicologia.
    Cada cena criada pelo autor é assombrosa e realmente causa medo ao leitor por se tratar de um tema tão ambíguo como o exorcismo. Quando se lê um livro sobre vampiros e fantasmas nossa mente tem a luxúria de (acreditar) saber que tudo aquilo não é real e trata tudo como ficção ou fantasia. Porém livros que tratam de temas que estão vigorosamente ligados à religião são verossímeis demais para o leitor rotular de cara como "apenas fantasia" pois no fundo, lá no cantinho da mente a dúvida vai se plantar e à noite quando estiver próximo ao sono ela irá florescer em toda sua totalidade perturbadora. Tudo porque o assunto está relacionado a fé,  algo que não podemos provar mas que acreditamos na existência. E se há o bem... há o mal.
    Frank de Fellita  desafia os limites da imaginação ao revelar ao leitor passo a passo de um exorcismo de uma igreja que foi profanada pelo demônio e a sua consagração. Longe de ser chato, o livro como muitos que tratam de temas ligados a religião, não possui apenas a visão da fé, vemos personagens católicos, católicos não praticantes, ateus, agnósticos... Cada um com sua crença, isso enriquece e muito as observações dos acontecimentos dos quais o leitor,  dependendo do que acredita, tirará suas próprias conclusões.
   É um livro que consegue criar um clima de tensão e horror que ultrapassa as páginas e absorve o leitor transportando-o a horrores que a mente se recusa a crer. Para os mais habituados ao terror talvez o livro não seja tão chocante, mas quem é iniciante vai sentir a força esmagadora de um terror asssustadoramente real. 
   Altamente recomendável para ser lido sem moderação nas noites mais escuras.

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠☠☠☠ (10/10 Caveiras) 

4 comentários :

  1. Nossa.......li esse livro por volta de 1985, e até hoje guardo a narrativa excitante e contagiante que realmente me prendeu em cada pagina.
    E sensacional, Leiam!!!!

    ResponderExcluir
  2. Pra mim, um dos melhores livros de terror já escritos... denso e cheio de simbolismos, retrata bem a velha máxima "fé x misticismo" . Vale a pena!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo livro mesmo. O li há uns anos atrás mas agora que vi esse post deu vontade de lê-lo novamente num futuro próximo.

    ResponderExcluir
  4. Nossa é tão bom mesmo? Comparável com O Exorcista? Preciso ler imediatamente. Pior que achei esse livro umas semanas atras num sebo perto do trabalho por apenas 7 reais e não comprei...espero que ainda tenha!!

    ResponderExcluir