ÚLTIMAS NOTÍCIAS

31 de agosto de 2012

Resenha: A Dança da Morte - Stephen King


Sinopse:
   Uma poderosa arma biológica, conhecida formalmente como Projeto Azul ou "Capitão Viajante", acaba presumivelmente com grande parte da população do planeta. Apenas uma pequena parcela da população é resistente ao vírus, que é extremamente mortal. A primeira parte do romance abrange 19 dias e discorre sobre a quebra e destruição da sociedade em cenas bastante gráficas. O romance prossegue, na parte dois, entrelaçando odisseias da travessia do país de um pequeno número de sobreviventes, incluindo uma estudante colegial grávida (Frances Goldsmith), um trabalhador de fábricas desempregado do Texas (Stuart Redman), um errante com ensino superior (Harold Lauder), um viajante surdo-mudo (Nick Andros), um músico pop insatisfeito (Larry Underwood), e um professor de sociologia pessimista (Glen Bateman). Eles se afogam juntos por seus sonhos compartilhados de uma mulher psíquica idosa que eles viam como um refúgio. Esta mulher, Abigail Freemantle (conhecida como 'Mãe Abigail'), se torna a líder espiritual dessa turma de refugiados, que tentam reestabelecer uma sociedade democrática na cidade Boulder, do Colorado. Enquanto isso, outro grupo de sobreviventes incluindo um ladrão de bens públicos, um incendiário (Trashcan Man), e o ex-chefe do Departamento de Polícia de Santa Monica são impelidos a Las Vegas, Nevada, por outra entidade, um ser mau e sobrenatural conhecido como Randall Flagg, o "homem negro," ou o "homem andante." O comando de Flagg é tirânico e brutal, ainda que efetivo. Na parte três, o palco final é montado quando os dois grupos tomam consciência de si, e cada um reconhece o outro como uma ameaça para sua sobrevivência, levando à resistência do bem contra o mal.


Opinião:
      Stephen King criou um clássico da nossa era numa história que mistura terror, ficção-científica e fantasia criando um épico assombroso sobre a eterna luta do bem e do mal. Uma fábula sobre o fim do mundo e a sobrevivência na terra pós-apocalíptica que restou. É um livro grande, mas que prende a atenção do leitor, que enquanto estiver lendo não conseguirá ser absorvido por nenhum outro livro ou história tamanho é feitiço de A Dança da Morte. Ao lado de Torre Negra é a obra do mestre que possui os personagens mais cativantes e reais de toda a sua criação, os protagonistas são tão profundos que se tornam pessoas de verdade em nossa mente.
   O fim do mundo começa quando um vírus escapa de um laboratório e se espalha pelos Estados Unidos. É um vírus potente de transmissão rápida e sua letalidade é de 99,9% mas os sintomas de quem estão contaminados são iguais aos da gripe: febre, espirros... O governo tenta esconder e controlar a situação de maneira rápida e eficaz isolando cidades e famílias doentes para procurar uma cura, mas tudo em vão. Nada se compara a velocidade de dispersão da doença que em poucos dias cobre o país todo e no caminho deixa a loucura e morte se tornando conhecida como Capitão Viajante.
   A maneira como Stephen descreve as ultimas batidas do coração da cidade é impressionante, à medida que todos morrem o sistema começa a falhar, a ajuda médica não existe mais e a cura é apenas um sonho em meio ao delírio febril. À medida que tudo se deteriora o governo começa a tomar medidas drásticas, a liberdade de imprensa é retirada sob a alegação de controlar o pânico que a essa altura já está profundamente nos lares de todo o cidadão americano. Filhos veem seus pais morrerem diante de seus olhos, pais vão à loucura com a visão dos seus filhos sucumbindo à doença, um após o outro. O caos impera num mundo sem lei. As pessoas com a certeza de que podem morrer no dia seguinte liberam o animal dentro de si e roubos, estupros, assassinatos se tornam comuns.
   De maneira detalhada na primeira parte do livro, o fim do mundo é relatado aos olhos de quem por algum motivo não adoeceu com o vírus. São pessoas normais, cada uma vivendo a vida ao seu jeito até que o fim tem inicio e eles em meio ao caos veem a morte de todos os que amam e do mundo.
   A segunda parte do livro talvez seja a mais interessante, pois aqui é que há a mudança nos personagens, convicções, crenças e credos são confrontados diante de um cenário de absoluto terror e morte onde corpos estão largados em todo lugar, carros batidos e destruídos impedem a locomoção...  Passamos a conhecer e se apaixonar pelos personagens que nos fazem rir, chorar, odiar, amar e sofrer. O que cresce ao fundo da segunda parte do livro é a guerra entre o bem e mal que por enquanto nada mais é que um rumor, sonhos escassos... O bem é representado por uma amável velhinha de 108 anos e com uma fé inabalável em Deus e através de sonhos ela guia os sobreviventes até onde vive para se unirem contra o mal... Que tem sua forma personificada em Randall Flagg o mais famoso vilão do mestre, o homem de preto é maligno, cruel e assustador, mas também muito fascinante.
   A terceira e última parte do livro é a mais emocionante com ambos os lados já formados e decididos tem inicio a dança da morte, a batalha entre e o mal enfim acontece, mas não da maneira como o leitor imagina, muitas surpresas e lágrimas aguardam essas páginas e se no começo a vontade era de ler rápido pela curiosidade sobre o final aqui o leitor lê devagar tentando adiar o inevitável fim que o pega de surpresa e emociona. Ao fechar o livro com lágrimas nos olhos e um sorriso no rosto tem-se a certeza: Este é o melhor livro que já li.

10 comentários :

  1. Stephen King é um dos meus autores prediletos,gosto do seu estilo literário pois sou fascinado por livros de terror e horror.
    Ele juntamente com o Clive Barker são os grandes mestres do gênero.
    Infelizmente eu ainda não li o livro em questão,mas gostei bastante da resenha.
    Abraço!

    Bruno
    http://oexploradorcultural.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Caramba o só lendo o seu texto fiquei morrendo de curiosidade em ler o livro.

    ResponderExcluir
  3. Sempre gostei do Stephen King, confesso que nunca li algum de seus livros apenas vi alguns filmes quando dou sorte de algum canal passar né? Quando possível vou pegar esse livro na biblioteca, já fiquei curiosa por causa do final.

    ResponderExcluir
  4. Muito foda sua resenha, com ctza considero um dos melhores livro que ja li tbm,ao lado da torre negra, Dança da Morte é um livro gigantesco que prende sua atençao do inicio ao fim, da uma dó enorme qdo acaba-se de ler. Randall Flag e um vilao fantástico. Ler King e sempre especial, tenho 14 livros dele, sua forma de descrever o terror e fantastica.

    ResponderExcluir
  5. Uma vez eu vi um dvd aqui em casa que tinha o nome Dança da Morte na capa, e quando eu fui ver eram episódios de uma série antiga de tv, eu teria visto tudo até o fim mas o dvd estava com defeito e travava toda hora, até que em um momento eu desisti. Se eu não me engano o livro está sendo adaptado para o cinema desta vez, eu quero ler ele antes que isso aconteça.
    Gostei da sua resenha.
    Abraços.

    http://viciadoemlivrosefilmes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Caraaaaaaaaaaaaamba, Rafa!

    Estou impressionado, quero pegar firme na leitura do livro. Estava achando muito confuso, mas quem não acharia quando se está lendo três livros ao mesmo tempo! Resolvi adiar a leitura, vou terminar de ler os atuais e depois que termina-los vou ler A Dança da Morte, senão eu acabo deixando os outros de lado e fico só nesse e isso não pode acontecer!

    Abçs

    Gabryelfellipeealgo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Estou lendo, gosto muito do king, ele é sem duvida o melhor escritor do gênero?

    ResponderExcluir
  8. Parabens pela resenha, estou lendo agora novembro de 63 e estou amando, tô muito a fim de ler esse livro mas confesso que estou meio apreensiva pelo fato de a história ser bem parecida com a trilogia a passagem por isso ainda estou na dúvida, o que vc acha?

    ResponderExcluir
  9. Rafael, que resenha legal. Comprei esse Livro na Americanas e está para chegar (acho que chega essa semana), estava me perguntando se era bom começar com ele, mas agora tenho certeza.

    Quero Lê-lo e paralelamente ler Contos do próprio King. Acho que comprarei Sombras da Noite, um dia ou outro quero dar uma pausa na Dança da Morte e ler um conto. O que acha?

    Obrigado por essa Resenha maravilhosa.

    ResponderExcluir
  10. Com certeza é espetacular este livro. A história tem um tom de realismo impressionante, e os personagens muito cativantes e reais.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir