ÚLTIMAS NOTÍCIAS

22 de junho de 2012

Resenha- O Bebê de Rosemary - Ira Levin




        O Bebê de Rosemary é incrível, leve e ágil. A escrita de Ira Levin, bastante cinematográfica, cria uma ansiedade, um desejo, uma agonia de prosseguir a história, ele seduz e te faz acompanhar cada página, cada linha, com os cabelos arrepiados... É talvez um dos melhores livros de horror psicológico já escritos, mostra toda a classe do terror pois a história garante horas de tensão sem derramar uma gota de sangue e mesmo assim o medo nos acompanha constantemente durante a leitura.
     
 Em O Bebê de Rosemary, Ira Levin nos apresenta um casal normal da década de 60, Rosemary e Guy. Ela é uma dona de casa, jovem, saudável e feliz; ele um ator carismático e ambicioso. Quando encontram o lar que tanto almejavam em West Side, Manhattan, pensam que seus problemas acabaram, o apartamento espaçoso e ensolarado é muito mais do que imaginaram de sua "casa dos sonhos". Porém esse apartamento esconde uma passado bastante obscuro, lá moraram satanistas, bruxas, canibais e Deus sabe o que mais...  Isso não afeta o casal que se muda e acaba conhecendo seus vizinhos idosos ( e desagradáveis) Minnie e Roman. Após um jantar inicial bastante problemático Rosemary está pronta para cortar os laços com eles mas seu marido parece gostar do velho casal então relutante ela os "aceita".
      Então Rosemary engravida, não da maneira romântica e apaixonante que achou que seria mas de forma brutal e animal, ela foi praticamente estuprada por Guy e as marcas de arranhões em suas costas provam isso... É aí que a paranoia começa, na noite em que o bebê foi feito Rose tinha ido jantar na casa de Minnie e ligando os pontos chega a conclusão de que foi drogada e que querem roubar seus bebê... Enquanto a gravidez avança, sua desconfiança cresce com a barriga, seu marido começa a agir estranho e os casal de idosos torna-se assustador. Guy começa a passar bastante tempo na casa dos vizinhos e de lá sons estranhos podem ser ouvidos. Todos ficam contra ela  até o dia do nascimento, onde todo o suspense chega ao clímax e ficamos chocados, horrorizados, sem acreditar no que nossos olhos leem...

Minha nota: ☠☠☠☠☠☠☠ (8/10 Caveiras) 

     

2 comentários :

  1. Sou louca pra ler ou assistir ao filme, minha mãe fala demais desse filme. Ela adorava assistir filmes de terror quando estava gravida de mim, acho que explica em parte esse meu gosto ^.^
    Qual seu email, Rafa?

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é um clássico da literatura de terror. E quando Romam Polanski o colocou no cinema, o resultado foi ótimo. É uma bora que mexe com a imaginação. Pois o terror imaginado é sempre maior e pior do que o terror visto.
    Gostei muito da temática do blog. Estou seguindo, pois esse tipo de literatura me remete á meus tempos de rolê rs. Se puder me segue, para trocarmos idéias.

    abs!

    ResponderExcluir