ÚLTIMAS NOTÍCIAS

17 de março de 2012

Resenha: Cerimônias Satânicas - T. E. D. Klein




"Cerimônias Satânicas é um livro maravilhoso. (...) Eu me perdi nele por vários dias, e este é o maior presente que uma história e um escritor podem dar"  
                                                                          Stephen King 



 O nome do livro já chama a atenção pois é a velha jogada de marketing para atrair os fãs de terror, o título original The Ceremonies talvez traduzido não tivesse tanta força como Cerimônias Satânicas, mas adianto que o título "satânicas" não tem nada a ver com a história. A frase na capa do King serve para atiçar ainda mais a curiosidade e concordo plenamente com a sua opinião, o livro é uma obra de arte do gênero, mesmo sendo grande não deixa quem lê impaciente ou entediado, cada acontecimento é importante para a história e não há nenhuma ponta solta e sem sentido, não é aquela montanha-russa que geralmente enfrentamos num livro desse porte de um autor desconhecido, para desfrutar de algumas passagens boas têm-se que ler algumas chatas e entediantes. Klein escreve de forma decidida, mantêm um ritmo constante, não diminui e nem acelera, a história flui naturalmente e a ânsia de pular páginas para saber o que acontece na próxima não ocorre, isso deixa o livro muito mais gostoso de se ler  pois não há pressão. Os personagens são primorosamente descritos, sentimentos e pensamentos tão bem definidos que eles  se tornam reais em nossas mentes.
  Cerimônias Satânicas é um livro de terror mas contém poucas cenas de sobrenatural explícitas, porém quando essas ocorrem dificilmente são esquecidas. Na história os acontecimentos são tão bem construídos que até a ultima página fica impossível prever o que vai acontecer e o fim surpreende bastante, o destino do mundo está ameaçado, porém de uma forma que não é aparente para os personagens e isso é o que causa mais tensão na história, porque salvar o mundo está nas mãos de pessoas normais como nós que nem tem a noção que isso está por sua conta. 
    A história começa com um prólogo enigmático que nos faz prender a respiração, um garoto tem sua vontade dominada por uma "coisa", a origem dessa coisa não é especificada deixando nos a imaginar se seria algo extraterreste ou algum monstro antigo, porém não tem nada em comum com demônios cristãos. Após o enigmático prólogo temos um início aparentemente inocente. Conhecemos Jeremy um estudante e professor em Nova York que decide passar suas férias em um lugar calmo para terminar sua dissertação sobre romances góticos, ele encontra na biblioteca um anúncio de aluguel de verão de uma casa de fazenda em Gilead, colocado pelo casal Poroth, Sarr e Deborah. Esse local é lar de uma seita cristã fundamentalista (ficitícia) onde todos os moradores são adeptos vivendo reclusos do mundo moderno. Antes de se mudar para lá ele conhece Carol e iniciam uma relação um pouco estranha e incompreensível. O mais fascinante é que os personagens se veem em acontecimentos que acreditam ser obra do acaso, como encontros na rua e em outros lugares porém tudo isso é cuidadosamente arquitetado pelo misterioso "Velho" que no fim mostra não ser apenas um simples velho... 

2 comentários :

  1. Não conhecia esse livro, vou coloca-lo na minha lista! ótima resenha!

    ResponderExcluir
  2. Tem razão sobre o título. Encontrei esse livro em uma livraria de usados e resolvi comprá-lo, em parte, por conta do título, que chama atenção e desperta curiosidade.

    ResponderExcluir